Pensando alto: a análise
informal do UFC FN 104

Lucas Carrano | 05/02/2017 às 07:57

Amigos do Sexto Round, com o titular Renato Rebelo no DM, coube a mim, jovem garoto subindo das divisões de base e buscando seu espaço no elenco, assumir a análise do card pré-Super Bowl em HoustonTexas.

Uma noite de lutas interessante, com algumas surpresas e definições importantes para os rumos de algumas categorias, principalmente as mais leves.

Sem mais delongas, vamos ao que realmente interessa:

Jung Chan Sung x Dennis Bermudez

Um one-punch knockout é uma forma e tanto de espantar todas as dúvidas sobre sua forma, quando se retorna ao octógono após três anos de inatividade, não é? Em seu aguardado retorno, o Zumbi Coreano mostrou um pouco do “de sempre”, queixo de aço e precisão cirúrgica. Após engolir dois duros overheads de Dennis Bermudez, o agora ex-militar pegou o rival exatamente no botão “On/Off” com um uppercut certeiro na terceira tentativa. De toda forma, apesar de boa demonstração de defesa de quedas, não custa ficar um pouco mais esperto com essa guarda vazada, já que confiar no queixo e só então partir pro ataque não me parece um plano com grande prazo de validade. Pra quem se perguntava sobre a “ferrugem de octógono”, a resposta veio na entrevista pós-luta.

Durante o tempo que estiva longe, eu estava treinando muito. Tanto o wrestling quanto o trabalho de luta em pé. Mas, não estava esperando esse nocaute. Simplesmente aconteceu”, revelou o vilão de Mortal Kombat.

Felice Herrig x Alexa Grasso

É uma frase comum no meio do MMA: “A primeira derrota é uma de suas lutas mais importantes”. De fato, a derrota te define. Portanto, podemos afirmar que essa foi uma das lutas mais importantes da carreira da jovem mexicana e ajudou bastante a entendê-la como atleta. Grasso pecou bastante pela falta de volume e agressividade, uma combinação fatal para uma atleta sem tanta pegada. Do outro lado, Felice Herrig teve uma de suas melhores performances em pé, combinando com quedas pontuais, que lhe garantiram a vantagem na decisão dos jurados. Comemoração no QG do Renato, que foi sozinho de Felice nos palpites.

As pessoas esqueceram que eu sou quatro vezes campeã de kickboxing. O que eles veem no octógono é meu grappling, mas não é bem assim. (…) Eu quero lutar contra a Paige VanZant, pois ela não enfrentou a verdadeira Felice Herrig, ou a Michelle Waterson, que estava escalada para lutar comigo, mas foi retirada para lutar com a Paige. Eu quero uma das duas”, disse Herrig, fugindo do discurso-padrão.

James Vick x Abel Trujillo

Sempre ficou a impressão de que Abel Trujillo, apesar de ser um cara duro, sempre foi um “porteirão”. Analisando o cartel do ex-Blackzilians fica claro que sempre que ele enfrentar um desafio superior. A questão principal é que agora ficou exposto qual é exatamente o nível que estamos falando. Anteriormente, Killa havia sido superado por Khabib Nurmagomedov Tony Ferguson. Até aí tudo bem, não é mesmo? Mas ficou claro que: a) Trujillo não vai tropeçar só diante dos dois contenders. b) apesar do deslize diante de Beneil DariushJames Vick é um atleta pra se prestar muita atenção. O gigante do Texas usou muito bem a vantagem de envergadura e mostrou habilidade no chão para finalizar o rival com um D’arce choke. Seria uma boa colocá-lo novamente contra alguém do top-15, para uma segunda impressão? O compadre Laerte vai dizer…

Jessica Bate-Estaca x Angela Hill

Bate-Estaca é sinistra! Por diversas vezes, batemos na tecla de que apenas mudar de peso não é o suficiente para garantir ganho de performance (em muitos casos, aliás, quer dizer exatamente o oposto). Para a brasileira, porém, a decida de duas (!) divisões foi uma mudança tão radical quanto essencial. De uma atleta de meio de tabela, com desvantagem de envergadura e força diante de suas rivais no peso galo, Jéssica tornou-se extremamente veloz e com potência esmagadora, o que combinado a sua agressividade a transformou em uma arma letal. Angela Hill bem que tentou usar a movimentação e os chutes para evitar a rival, mas Andrade cortava os ângulos de forma precisa e liberava a metralhadora giratória todas as vezes que a luta se aproximava da grade, com destaque para seu clinch e dirty boxing. Falando em pontos a serem destacados, uma última nota para o queixo e resiliência de Hill, que resistiu até a decisão dos jurados, mesmo após tomar uma sova monumental. Joanna Jedrzejczyk é a próxima, e eu vou (na verdade todos vamos) adorar assistir este embate.

Claro que sim (ela vai ter o próximo title shot). Quando você vê a forma que ela lutou essa noite, imagine essa duas (Jéssica e Joanna) frente a frente lá dentro, ia ser uma verdadeira guerra. Essa luta vai ser divertida”, disse Dana White, à FOX Sports 1.

Menções Honrosas:

Marcel Fortuna: Estrear com vitória por 1×0 e com gol roubado já seria demais, já que Marcel foi chamado às pressas, pra lutar na divisão de cima e ainda bateu 22kg a menos que seu adversário. O craque do jiu-jitsu fez mais e, pasmem, nocauteou Anthony Hamilton. Chega com moral nos meio-pesados.

Volkan Oezdemir: Na verdade essa é mais uma menção “desonrosa” a Ovince St. Preux, que, não satisfeito com o desprestígio recebido da organização ao casar essa luta, ainda foi lá e perdeu o duelo. Que fase vive a divisão de 93kg, que fase…

Ricardo Carcacinha: Bela estreia do promissor brasileiro. Destaque negativo para o japa Michinori Tanaka, que levou até advertência por falta de combatividade.

Para os demais resultados e a resenha pós-evento, é só dar um pulinho no tópico do UFC Fight Night 104.

  • Nelson Junior Ticaum

    Ainda não vi aa lutas… tava trabalhando (Austrália… horário sempre fica uma merda…)… Mas li no fórum que foi uma lutaça a da bate estaca e a Hill…. To procurando mas n acho p ver…
    e shogun top 6… que fase da categoria….

  • Walter Filho

    Menos que Marcel Fortuna x Jon Jones eu não aceito. Sem imediatismo, 2017 é o ano! Kk
    Baita vitória do brasileiro, por mais que o Hamilton não seja um primor técnico, aplicar um walk off ko em um rinoceronte daqueles, 22 kg mais pesado, merece uma atenção.
    KZ é um monstro bicho, 1240 e tantos dias sem lutar, e ele arruma um nocaute desse contra um duríssimo Bermudez. Que botem ele contra o Cub, valendo o próximo tittle shot.
    A Jéssica lembra demais o Lineker, se joga na trocação lançando uns cruzadões meio abertos rs Acho que ela se expõe demais, e deveria fechar um pouco essa guarda pra enfrentar uma striker do calibre da Joanna. Mas de qualquer forma, é difícil conter o ímpeto dá brasileira.

    • Hyuriel Constantino

      Já imaginou Korean Zombie x Edgar? LOL

      • Walter Filho

        Vdd, eu tinha me esquecido do Edgar. Mas de qualquer forma, ele já lutou pela cinta dessa categoria duas vezes, e perdeu as duas, pro atual campeão, então acho que vai demorar um pouco pra ele ter outra chance. Queria muito ver ele nos galos, e talvez pela primeira vez na carreira lutando em pé de igualdade física com seu adversário kk

      • Vinicius Maia

        Caralho, seria muito tenso veio kkk. Apesar de nunca torcer contra o Edgar. Apenas quando ele luta com o Aldo kkk

        • Hyuriel Constantino

          Eu acho que nessa não torceria pra ninguém. kkkkk… Não conseguiria ser contra algum deles. São muito carismáticos. haha…

          • Vinicius Maia

            Sabe o que é pior? O UFC tem esses caras e não gasta dinheiro pra promove-los veio. Olha a quantidade de lutador sensacional que o UFC e o UFC não move um dedo pra promove-los. Isso que me entristece.

          • Hyuriel Constantino

            A categoria dos Penas é bastante promissora, cara. Ainda existem match-ups que são absurdamente empolgantes, como o que citei, e vc pode pegar além deles dois o Holloway, Swanson, Doo Ho Choi, Lamas, Stephens, o próprio Bermudez, Ortega (que vejo entre os atletas do ranking da FW o mais tecnicamente enigmático), Barão, Yair…
            Ela só não é mais promissora pro Aldo que, caso ganhe do Holloway, tem que subir e deixar a FW ter vida e identidade própria.

    • magnuseverest

      Fortuna e Weidman no Brasil.

  • Pô, todo mundo viu um meio pesado a frente um pesadão e imaginando ele medindo forças com caras da categoria que tem DC como champ. Mas é muito legal ver uma luta onde a categoria que tem limite de 120 quilos um cara com velocidade no octógono, batendo e saindo e com capacidade de mostrar um jogo de chão de qualidade. Uma pena ter o fato do lutador de 95 quilos mandando tijolada e recebendo bigornadas, senão adoraria ver até onde pode ir Fortuna dos HW.

  • Vinicius Maia

    Porra, mais uns 5 foristas que viu o copo meio vazio na vitória da Jessica? Caralho, achei a defesa dela muito vazada, step out lateral e jab iria matar todos os ataques da Jessica. Golpes muito pendulados, poucos golpes retos, sem precisão, se abrindo muito pra contragolpes, afobada. Não me entendam mal, eu adorei a luta mas esses buracos defensivos da Jessica serão mortais contra trocadoras mais rápidas e eficazes que a Hill. Apesar da mão pesada da Jessica metade dos golpes lançados contra a Hill erraram e acredito que mais da metade errarão a polonesa. E no Clinch ela será severamente punida.
    Gosto da Jessica, MMA é imprevisível mas não aposto meu dinheiro nela.

    • Gustavo Lima

      Gabarito!

    • il Quasímodo

      falou tudo. óbvio que cada luta é uma luta e ela pode se dar contas dos erros e tentar corrigir, mas acho que não dá pra ela. e corre o risco de sair com a lataria mais amassada que a letournou.
      parecia o tominhas se defendendo e o lineker atacando.

      • Vinicius Maia

        kkk pior que é verdade. Apesar de achar o Lineker mais técnico na trocação que a Jessica. Porra, gostaria muito que ela ganhasse mas vejo o caminho bastante ingrato pra ela.

        • Samuel Moreira

          concordo com o vinicius, é feio demais a trocação da Jéssica parecia briga de rua, desprovida de técnica, se for assim pra cima da Joanna a polonesa vai saber aproveitar essas brechas.

        • Francisco Júnior

          Olá Vinicius! Você tem Facebook? Te procurei lá e não achei. Você pode passar seu e-mail? Quero falar com você (sobre MMA, claro).

    • Weslei Alvarenga

      A Jessica virou um “Lineker” nessa categoria. Eu também vi esses pontos, e tem que ser trabalhados, pq provavelmente na próxima ela irá lidar com um animal diferente.

      Uma dica seria fazer quem no Chad na 2ª luta com o Aldo, já que o jogo de grappling vem “automático”, só treina o striking em 90% camp.

    • Rodrigo Alves

      Também achei que ela lutou como numa briga de bar. Gosto muito dela, mas pra enfrentar a Joanna precisa melhorar muito!

      • thai verdadeira

        bote muito nisso meu amigo

    • Hyuriel Constantino

      Eu divirjo da sua visão. Se tem uma qualidade na qual até hj a Joanna não foi superada foi na durabilidade do gás. Todas as suas oponentes foram suplantadas até então nesse quesito, mas a Jéssica ontem lutou três rounds num ritmo e pressão absurdos, e a maior pressão que a polonesa teve até o momento foi contra a Gadelha, e mais no grappling.
      Agora imagine se a Jéssica aplica essa pressão só no striking?
      Nas últimas lutas a polonesa mais tem dependido da exaustão das oponentes do que da brutalidade de sua própria trocação.Tb tem outro cenário que pode se configurar e não ser muito bacana para a atual campeã dos palhas: considerando que já pra uma luta de três rounds, a Jéssica lutou com tanta pressão e sem perder no gás, ela já tem base pra se preparar pra cinco rounds.
      Consequentemente, se na disputa da cinta largar na vantagem e abrir um 30-27, nesse quadro, pra continuar campeã, só restariam duas coisas a Joanna: KO ou SUB. Levando em conta que a Joanna tb nunca foi grappler e não nocauteia há três lutas, pode se sentir pressionada e começar a ficar desleixada na luta em pé. Perante a Bate-Estaca isso seria mortal, pois tb nas duas últimas lutas mostrou que o queixo tá se deteriorando e a brasileira é, no papel (e até por vir da categoria de cima), a desafiante com maior punch e tb de striking mais veloz.
      Ah, e nem vou considerar a parte do grappling da brasileira. É mais outro problema com a qual a Joanna terá que lidar, já que o tanque da Bate-Estaca promete ser mais durável e o abafamento mais justo do que o grappling da Gadelha.

      • Vinicius Maia

        Você diz pressão absurda eu digo falta de eficiência e muitos golpes no vazio sem precisão alguma. Seus ataques na Hill poderiam ser contragolpeados com side step e uma combinação de golpes retos pois a Hill tinha uma maior envergadura. Contra a JoJo a Jessica foi sensacional, tentou trocar viu que não seria o melhor caminho e botou pra baixo. Jessica teve dificuldades pra botar a combalida Hill pra baixo no segundo round não vejo ela obtendo sucesso com a Joanna. Fora que no Clinch ela deu abertura para tomar vários golpes.
        Eu gostaria que o mestre Cappeli ainda estivesse escrevendo sobre as lutas pois com o pouco de conhecimento de boxe que tenho vi erros grotescos na trocação da Jessica que qualquer Striking experiente pode explorar essa brecha. Fora que se falam do queixo da Joanna a Jessica caiu com um direto da Hill sem gás algum no tanque no R3 se não me falha a memória. Se não controlar o jogo e parar de ir pra cima afobada não vejo ela ganhando.
        Tu fala das 3 últimas lutas da Joanna ela não nocauteou. A Valerie a luta depois do R1 foi uma surra. Jessica lutou contra a Valerie e pra mim eu daria vitória pra Valerie mas não vejo como garfo a vitória da Jessica. Claudinha Gadelha depois do 3 round ficou tomando porrada até o soar do gongo. Contra a KK tomou um susto que foi um golpe no queixo que ela sequer foi ao chão e se recuperou rapidamente.
        Quando a Jéssica ataca da forma como atacou a Hill qualquer atleta de melhor movimentação, volume e envergadura iria cair matando.
        Eu tenho convicção que se a Jessica tivesse maior frieza e escolhesse melhor os golpes poderia ter ganho de TKO no R1. Pra vc ter uma ideia ela lançou 322 golpes e acertou 131. Foram quase 200 golpes no vazio veio. Gastando energia atoa socando o vento.

        • Hyuriel Constantino

          Vc subestima demais a Angela Hill apenas considerando o background dela no UFC. Até o momento ela não foi nocauteada por ninguém e ela não é campeã do Invicta por acaso. A verdade é que todo mundo aqui achou que ela seria mamão com açúcar e quebraram a cara com a evolução monstra da negona (essa Hill 2.0 faz, pelo menos, metade da categoria comer poeira).
          A Jessica caiu mais por um escorregão, decorrente de mau posicionamento do corpo, do que por um knockdown. Ela tá longe de ser uma mulher com queixo frágil pra ser nocauteada.
          Onde que a Jessica lutou contra a Letorneau? É a Viviane Sucuri a quem vc se refere.
          Referente as adversárias da Joanna, vc só descreveu aquilo que eu disse: ou ganhou, mas virando o placar, e contra a Karolina, ao conduzir os três primeiros rounds a seu favor, tomou uma no R4 que passou o resto da luta se recobrando enquanto tinha a lataria mais amassada, sendo que a oponente fora mais passiva do que a Gadelha e a Letorneau.
          Esse é o perigo que a Joanna enfrentará contra a Jessica que tem um punch mais pesado que as demais. Não precisa entrar muitas patadas apoiadas na polonesa pra ela dobrar as pernas ou cair de bunda no chão, e pela primeira vez ela vai pegar uma atleta que não tem medo de partir na mão com ela.
          Outra coisa tb que vc não se atentou é que a própria Hill exibiu um footwork bem melhor que o da Joanna que luta mais plantada devido ao seu background no Muay Thai. Então a Joanna já não terá esse critério da mobilidade tanto ao seu favor. Ela pode compensar com a larga envergadura que tem contra a brasileira, mas esta já pegou a Calderwood que tem um porte similar ao da Joanna e soube encurtar diversas vezes.
          O que prevejo pra essa disputa é uma troca de chumbo grosso como jamais visto na divisão. Joanna tem seu background em pé de qualidade inquestionável tecnicamente falando, mas o queixo está erodindo e o poder de KO diminuindo a cada luta. É um péssimo combo para se manter diante de uma oponente que aguenta castigo como nenhuma outra mostrou aguentar e que, no monte de petardos que sai distribuindo a cada arrancada, algum pode sobrar no botão de ON/OFF da polonesa.
          Jessica tem suas falhas técnicas e habilidades para polir? Com certeza. Porém, são gaps que não são tão difíceis de serem, pelo menos, significativamente atenuadas até o próximo combate. Enquanto isso, a Joanna já tem demonstrado que está cada vez mais próxima do seu limite evolutivo permanecendo num patamar que dá pra se medir o que vai ser preciso pra vencê-la. É a velha máxima dos campeões que, quanto mais tempo no topo, mais em evidência e mais vão sendo estudados enquanto precisam adaptar o seu jogo contra cada desafiante para se manterem campeões.

          • Vinicius Maia

            Ae que ta, tu ta supondo que os gaps da Jessica serão atenuados e afirmando que a Joanna esta chegando no limite sendo que a campeã mudou de camp pros EUA agora pouco. Sendo que ambas tem idade próximas 25 e 29.
            Pelo que vi da Joanna e pelo que vi da Jessica. Acho difícil ela ganhar. Claudinha é uma lutadora muito melhor que a Jessica. Pra mim em todos os sentidos, grappling, BJJ e trocação.
            Me confundi com a Sucuri mesmo. Sorry.
            E veio, que luta tu viu que ela depois do knockdown ela ficou levando porrada até a luta acabar? Joanna só perdeu o R4 pelo knockdown de resto levou a luta tranquilamente.
            Até no Round que ela perdeu ela aplicou mais golpes que a KK. Pra tu ter uma ideia a KK mandou 234 golpes e acertou apenas 63 golpes.

          • Hyuriel Constantino

            Bom, podemos considerar a possibilidade da Joanna estar fazendo um trabalho diferenciado na ATT, inclusive melhorando alguns pontos da luta agarrada. Mas se for olhar somente o fator idade, isso é muito subjetivo. Aldo e Cruz, por exemplo, são atletas que, apesar da condição de longevidade no pico, há anos não evoluem tecnicamente. Já o Jon Jones a cada luta parecia um animal diferente graças a um QI gigante de adaptar o seu estilo ao oponente. Todos os citados tem na mesma faixa de idade da Joanna.
            Quanto a Gadelha, ela pode ser mais refinada no striking e ter maior graduação que a Jessica no grappling, mas ela sempre lutou como Palha, enquanto Jessica vem de uma categoria de 10 Kg de diferença. Isso tb conta pro outro aspecto, que é o gás, onde a Gadelha deixa muito a desejar e a Andrade não. Não adianta vc ter um striking e grappling refinados e balanceados se vc não consegue manter uma constante, e isso foi o que mais me impressionou quanto a Jessica ontem.
            Vc diz que ela desperdiçou muita energia com golpes não-acertados. Mas veja que ela lutou 3 rounds sem perder a pressão, cara. Se ela atenuar esse problema do volume e precisão daqui pra próxima, ela vai fazer uma pressão na Joanna que ainda não foi vista.
            Outra coisa é quanto a luta contra KK. É verdade que a Joanna golpeou múltiplas vezes mais que sua compatriota, mas os 50 golpes que lhe foram acertados lhe causaram mais estrago do que os 220 que devolveu. Isso é um indicativo de que números de golpes é um fator mais significativo para decisões. Contudo, nem maior número de golpes pode significar um maior castigo (por isso existem lutadores que ganham exclusivamente pelo volume), e poucos golpes podem ser mais que suficientes para encerrar a peleja se tem um punch mais pesado.

          • Matheus V.

            Acho que a tendência é a Joanna ficar mais pragmática, então esse tipo de lutadora que trás o caos – principalmente nas categorias femininas onde é menos comum – é sempre um desafio. Isso se atenua pelo muay thai da campeã não fazê-la evitar muito o in-fight.
            É importante lembrar também que em todas as lutas da Jéssica nos palhas, ela lutou com uma estratégia diferente. Contra a Penne privilegiou os golpes na linha de cintura, na luta da JoJo soube evadir e ser eficiente no chão (inclusive esse é um ponto em que ela é superior à Claudinha); apenas nessa última luta que a vi como brawler.

      • thai verdadeira

        3 rounds de pressão, sem “quase” ser pressionada, quero ver manter esse ritmo de trocação com a joanna do outro lado do octógono, em geral, “bate-estaca” manteve o ritmo sobre “angela hill”, o nome é tão fraco, que todos estavam esperando um nocaute sem muita demora, mas os socos perderam a potencia com o passar dos rounds, e acabou em uma decisão unanime bem “fraca” para uma desafiante que se diz ter “mão pesada” como a maior arma pra nocautear a joanna…a arma não funcionou contra uma atleta de nivel mediano, vai ter o TS por falta de opção, mas ao que tudo indicam “bate-estaca” não passaria nem por karolina kowalkiewicz

        • Hyuriel Constantino

          Tb quero ver a Joanna ter o mesmo controle de distância que teve contra as adversárias anteriores contra uma oponente que não teme tomar porrada e que só vai pra frente. Letorneau e Gadelha tentaram mais o grappling do que o striking, enquanto Penne e Kovalkiewicz ao serem mais strikers foram engolidas (apesar da Karolina ter saído menos avariada que as demais).
          Quanto ao resto sobre Angela Hill, até agora ela só perdeu para pedreiras (Tecia, Namajunas e agora a Jessica) e no Invicta tá 4-0, incluindo ser campeã da franquia e com uma defesa de cinturão. Ela nunca foi tão cordeiro sacrificial quanto a galera aqui tava pagando. Então desvalorizar a Jessica nada mais é do que uma tática da galera aqui para “encobrir” o equívoco em achar que a Hill não ia oferecer nada.
          Relativo ao poder de KO da Jessica, basta lembrar que o que a Joanna precisou fazer em 4 rounds contra a Penne, a Bate Estaca fez em 2. Então por aí vc dizer que a brasileira é uma desafiante fraca é dizer que a Joanna tb não é lá essas coisas, hein? 😉

          • thai verdadeira

            “Dizer que a brasileira é uma desafiante fraca é dizer dizer que Joanna não é lá essas coisas” 😉 interprete da forma que você achar mais comodo para a sua teoria RS, bate estaca vem da categoria de cima, e tem “punch” e nocauteou a penne, ja Joanna “engoliu” penne e não a nocauteou no primeiro round por que não tem “punch”, mas dominou a luta por completo ;), em uma analise geral, Joanna é muito, mas muito superior que bate estaca, você está analisando o resultado de uma única luta hein rs,

          • Hyuriel Constantino

            Então dentro da avaliação geral, tirando a Esparza que é uma nanica dependente do grappling e a Jessica Penne (só lá pelo R4), a Joanna só foi pra decisão desde então, e cada vez mais apertada ficando cada vez mais descuidada (contra a Karolina, que só tem de qualidade mesmo a dureza, acabou saindo com a lataria mais avariada que sua oponente, apesar de ter batido o quádruplo de vezes).
            Tá mais do que na cara que a Joanna só tá lutando pra não perder, enquanto a Andrade só tem ido pra finalizar antes do tempo. Essa vai ser a pressão que a Joanna vai sentir agora.

    • Wanderson Oliveira

      Empolgou mas preocupou, a Joanna já provou que é de outro mundo, torço muito e sempre pela Bate-Estaca, mas se não se preparar bem, a polonesa pode capitalizar. Concordo com vc

    • Tiago Nicolau de Melo

      Em certos momento me pareceu que ela não quis definir pra levar o bônus de luta da noite e ter mais grana pro próximo Camp. Mandava uma blitz na Hill e deixava a cosplayer de Sagat dar uma respirada…

      No entanto, só vejo a Gadelha entrando com boas chances (51/49 pra JJ) contra a Campeã. A Jéssica (contender com todo mérito) é azarão (60/40 pra Joana Campeã).

  • il Quasímodo

    – p or que em algumas categorias é tão fácil definir o desafiante e en outras é um verdadeiro pé de pica? tão mais fácil e justo dar o ts pra que vem de boas vitórias.

    – brabo mesmo é aguentar nego dizer que o hyoe da grasso acabou. ora, como se não fosse possível perder em uma noite ruim.

    – torci para o zumbi e gostei da vitória, mas deu pra perceber a diferença de velocidade e ritmo entre os dois. se não fosse o soco preciso ia dar ruim para o zumbi. espero que não joguem ele aos leões da divisão do Conor ainda.

    • Hyuriel Constantino

      Não sabia que Korean Zombie era peso-leve, fera…

      • il Quasímodo

        e eu disse que ele era? ele é pena e como o irlandês é campeão das duas categorias, logo…

        • Hyuriel Constantino
          • il Quasímodo

            ahhhh, legal, e o Aldo ganhou a cinta LINEAR lutando contra quem?

          • Hyuriel Constantino

            Vai ver vc entende isso pq pode vc explicar a sua franquia de MMA onde as categorias podem funcionar com apenas campeões interinos.

            Tô esperando vc expor a sua tese, champs.

            http://tecnologia.culturamix.com/blog/wp-content/uploads/2011/11/tela-azul-pc.jpg

            #IlQuasimodoLeQuadradoRedondo LOL

          • Silas K

            Acho que acabaram as respostas…Contra fatos não há argumentos…

          • il Quasímodo

            mimimi… vc pode falar o que quiser, mas campeão de vida ganha a cinta na porrsda e não na canetas ponto.
            e pra mim o alto sempre vai ser um campeão com uma ressalva. é só esse meu ponto.

            vc pode dizer o que quiser sobre defesas e isso é aquilo, mas não mudará o fato que um cinturão de caridade foi dado ao querido aldo.

            e não precisa ficar retrucando todo comentário meu não. daqui a pouco vc se irrita e volta a fazer comentários ofensivos e homofóbicos. vc pode ser banido. cuidado para vai ficar sem lugar para postar sua incrível, maravilhosa e abalizada opinião. 😉

          • Hyuriel Constantino

            “Mimimi canetada…”, “Mimimi sem lutar…”, “Mimimi seu homofóbico.” LOL

            Don’t be butthurt, my little gremlim fan. xD

            http://i.imgur.com/TN2Bo5t.png

          • Tião Marreta

            Quasimodo, ele ganhou o cinturão ao vencer o excelente Edgar. Daí, a luta pelo cinturão linear não aconteceu por que o McGregor não quer saber de defender cinturão. Ele literalmente abriu mão do cinturão. Se ele arregou ou se acovardou, aí vai de cada um achar uma coisa ou outra… Mas o Aldo não ganhou “na canetada”. Falando assim dá a impressão que tomaram o cinturão do McGregor na canetada e deram pro Aldo, e não foi isso que aconteceu. Ele se negou a lutar e a defender o cinturão. Qual seria a outra solução? Tem horas que fã é cego, né…

          • AlbertoJr Amaral

            Foi no evento que o irlandês não viu $$$$$ suficiente para lutar com o desafiante interino!

        • AlbertoJr Amaral

          Campeão que não defende a coroa ???????????????
          Ele realmente é campeão,mas em conseguir $$$$$$$$

  • Flavio Rezende

    felice surpreendeu , acreditava em na vitória dela via finalização por algum vacilo da alexa.
    oque presenciamos foi uma ótima performance da atleta que era nitidamente a zebra da luta
    agora seria interessante um duelo com a namajunas que até aonde sei não tem luta marcada.

  • Lucas Santana

    vou falar aqui do Marcel, o cara é oriundo do Jiu-Jitsu, é um peso-médio natural e praticamente não corta para bater os meio-pesados, faz uma luta nos pesados contra um cara que na hora da luta deveria estar pesando quase 30 kg a mais, o nocauteia e ainda faz Walk-Off. QUE HOMÃO DA PORRA
    já o Zumbi Koreano só digo isso para ele: INNN YOUR HEEEAAAD, IN YOUR HEEEAAAD, ZOMBIE, ZOMBIE.

  • Weslei Alvarenga

    Zumbi mesmo tendo a obvia falta de ritmo/timing nas defesas e velocidade gerida pelo adversário, foi o oposto ofensivamente, é muito bom ter ele novamente e quero Swanson x Zombie PRA ONTEM !

    A Jessica provavelmente é a próxima desafiante, pela “falta” de concorrência no momento, por mim ela deveria fazer mais uma luta. Ela tem que corrigir alguns cacoetes e erros defensivos, e parando bem pra pensar, será uma luta divertida com a Joanna. Serão duas locomotivas se colidindo e o fator principal dessa provável luta é quem irá se impor primeiro e por mais tempo.

    • magnuseverest

      Pensei o mesmo,Bate-Estaca poderia fazer mais uma luta,mas aí correria o risco de uma lesão da campeã,ou ser criada outra categoria ,peso mosca,e ter reviravolta nas desafiantes.Então que Jessica e Joanna se enfrentem logo.

  • Hyuriel Constantino

    Galera, juro como pensei em deixar pra ver esse card só nos VTs com match-ups mais interessantes. Contudo, fui abençoado com uma mudança de lazeres essa noite e pude ver ao vivo o ranking de diversas categorias sendo remexidas e viradas ao avesso através de combates épicos e desfechos estelares.

    Apesar do longo tempo distante do octógono e pegando uma adversária não tão dotada de renome, o redemoinho Tecia Torres mostrou que é um tanquezinho de oxigênio sinistro. A moleca não para um segundo em um canto e tem um striking bem volumoso e frenético, além de um solo eficiente. A única coisa que precisa realmente desenvolver nos treinos é poder de nocaute, o que lhe garante um título não muito lisonjeiro de ser a rainha das decisões.
    Por causa disso, fica difícil crer se Bec Rawlings foi uma atleta dura de vencer ao suportar tais castigos, ou se se manteve de pé apenas pq do outro lado era a esposa da Raquel Pennington.

    Passando para o extremo oposto da categoria dos Palhas Feminino, parece que hj vimos uma outra luz de renovação para a tão surrada categoria dos Pesados. Melhor: desde tempos imemoriais, não havia um grappler tão poderoso quanto Curtis Blades. O que essa versão Heavyweight do Khabib fez contra Adam Milstead pareceu jogo de videogame, desferindo tantas quedas que pareceu já ter vindo hackeado com a barra de SUPER estourada e lutou apertando o botão de Desperate Move.
    Mais impressionante do que tal performance (na minha opinião, merecedora de 50K Trumps) é outra peça de renovação da categoria, Ngannou, ter atropelado esse Zangief de ébano em sua jornada rumo ao topo da categoria. #EssesNegrosMaravilhosos

    Falando em premiações, à prova de quaisquer questionamentos, Bate-Estaca x Overkill não só merece o prêmio de “Luta da Noite” como tb pode ser considerada uma das melhores lutas (senão a melhor até então) da história dos Palhas Feminino.
    Deixando muita luta de categorias masculinas mais emocionantes e agitadas, o confronto foi um show de porradaria insana, dureza diamantina e força de vontade sobrenatural. Enquanto Bate-Estaca foi tirada para assassina prematura, a campeã dos Palhas do Invicta mostrou que não detém o cinturão da outra franquia por acaso e se mostrou mais cascuda que muito marmanjão tirado a porradeiro com footwork intenso, trocação de personalidade e um queixo mais duro que brita. Apesar da derrota, e ainda não ter ganho no UFC, saiu maior do que entrou e, na minha opinião, merece mais uma chance no UFC. #HillAgoraVai
    Do outro lado, a Lineker de saia, a mini-Wand, a LawlerBR, minha musinha porradeira, Jessica Andrade, é mais do que merecedora desse TS e, ao contrário do que uma boa parte está dizendo, pode redefinir o que é momento de crise para a rainha da violência Joanna Datilógrafo Quebrado. Lutou três rounds numa porradaria frenética e potente sem mostrar problemas de gás, tem um grappling com pressão similar, porém mais dosado, que o da Gadelha, é um mini-tanque blindado e, graças a tudo isso, diminui a distância com explosão absurda.
    Com todo o respeito, amantes da polonesa, mas minha musa cuticuti cumprirá a promessa:

    http://imgur.com/AvAXZzG.jpg

    Apesar do alto nível de competição e profissionalização do MMA no UFC, o esporte nunca estará vedado contra freakices. A diferença de peso entre Fortuna e Hamilton caracteriza um match-up digno de uma colaboração de matchmakers do Bellator e Rizin. Além disso, como se já não fosse bastante a bizarra lacuna de 22 Kg entre dois atletas que irão se enfrentar (ainda assim, ambos pesos-pesados!), o lado menor é um oriundo da LW, com tradição no grappling que, com apenas duas semanas de aviso, estréia na maior organização de MMA do mundo conquistando não só o primeiro KO de sua carreira, como tb fazendo Dana White desembolsar mais 50K Trumps!
    O brasileiro “landovannatizou” lindamente e, para delírio de Anderson Tomaz, é um BR que fala inglês corretamente.

    Apesar da estreia na categoria dominada por Miocic, para iniciar uma nova Era de competitividade na divisão dos Meio-Pesados, o UFC tem que descer o Marcel para tb fazer par a mais outro promissor prospecto revelado essa noite. Suíça e Haiti se chocaram no octógono, e após mostrar personalidade e perseverança num combate bem parelho, Volkan Oezdemir ganha impulso de ranqueamento à la Masvidal chutando o esquisitão St. Preux ainda mais pra baixo no ranking. O outrora candidato a cinta interina da divisão, por sua vez, corre o sério risco de ser desranqueado e só não corre o risco de ficar desempregado ao acumular três revezes seguidos se as ausências de Bader e Circunov forem bem sentidas.

    Falando em meio-pesados, se vc fosse suficientemente desatento, teria achado que Cormier e Rockhold se desentenderam como parceiros de treino e lutaram entre si no evento de hj. Contudo, ao informar que era um combate entre dois pesos leves, concluiria que o empacado de ranqueamento, Abel Trujillo, enfrentou o Slender texano, James Vick.
    Trujillo é um atleta pujante, com mãos pesadas e bom wrestler. Entretanto, do outro lado viu um gigante longilíneo bastante evasivo que lhe dificultava a medida da distância e o erodiu no cardio e na trocação. No fim, lembrando a mim combatendo a gripe, o preço do Vaporub tava meio salgado para Abel, e após ser “fergunsonado” num triângulo de mão, terá que se contentar com um chá de limão na próxima.

    Observando o card, eu só não entendi pq tendo Torres x Rawlings e Andrade x Hill, o Co-Main Event foi protagonizado pela irregular Felice Herrig e uma prospecta Alexa Grasso. Tudo bem que a mexicana era invicta, graciosa e já tinha estreado com vitória na organização, mas minha pergunta se torna ainda mais necessária depois da prospecta ter sido “northcuttzada” pela Lil Bulldog. Esta, bastante ofuscada pela hype da oponente, acabou surpreendendo a mim não só por ter botado água no chope da galera, como tb por mostrar uma qualidade na luta em pé e nas mudanças de níveis como não me recordava quanto a ela. Não foi uma luta das mais emocionantes, mas a performance de Herrig foi convincente.

    No evento de hj algumas lutas trouxeram anarquia dentro do octógono. Outras no ranking. Contudo, o Main-Event garantiu a bagunça em ambos os quesitos, e bem do jeitinho que todo mundo aqui gosta. Após um dos hiatos mais longos dos últimos anos no UFC, o nosso querido Korean Zombie retornou de maneira triunfal.
    Mostrando que voltou com nada lhe faltando (inclusive aquilo ao que lhe torna digno da alcunha), o coreano não temeu a pujança e atividade do recordista tomador de limonada. Bermudez, por sua vez, se tivesse uma shotgun, teria abatido o zumbi coreano. Mas como só tinha um petardo de direita, apenas lhe deu uma chacoalhada a qual não estamos muito acostumados a ver muito nego se mantendo de pé. Não demorou muito para ter o presente de boas-vindas do ex-militar retribuído: um upper tão brutal que, considerando o oponente, foi especialmente desferido pra já sair os miolos e servir de alimento para encerrar o jejum de três anos e meio do nosso querido Korean Zombie.

    Tal triunfo após tanto tempo fora do octógono só provou um paradoxo: Chan Sung Jung é o zumbi que não se decompõe. É “inapodrecível”.

    Zumbizão da porra, esse coreano…!

    PS: para o meu grande choque, descobri que há anos eu dormia com um dos narradores do UFC e não sabia.

    http://i.imgur.com/Txq72Rg.jpg
    Nunca mais serei o mesmo…

    • il Quasímodo

      zzzzzzzzzzz….

    • Anderson Tomaz

      O brasileiro “landovannatizou” lindamente e, para delírio de Anderson Tomaz, é um BR que fala inglês corretamente.

      KKKKKKKKKKKKKKKK

      FUNDAMENTAL!!!!! kkkk

    • Fernando Ribeiro

      Eu diria que Andrade vs Hill foi/é a segunda melhor luta da divisão no UFC, o primeiro lugar pertence a Joanna vs Claudinha 2. Torci demais pra Jessica, fiquei feliz por ela ter vencido, ao mesmo tempo, fiquei triste pela Angela. A mulher não emplaca no UFC mesmo, o cartel dela na franquia deve ser 0-3, certo? E a Angela, após a luta ela chorou…. aaaaaahhhhhh….. faz qualquer coisa, xinga, esperneia, reclama, fica indiferente, tudo menos chorar, corta o meu coração ver um lutador(a) chorar após a derrota. A Angela já tem minha torcida pra sua próxima luta.

      • Hyuriel Constantino

        haha… Eu fiquei muito fã da Angela ontem. Por mim, o UFC tem que readmiti-la. Essa versão 2.0 dela ganha de muita gente na categoria. Aposto nela contra atletas tipo Letorneau, Vanzant, Grasso, Herrig, Moroz e até a Esparza que, apesar de ser #3, passa muito tempo na geladeira podendo sofrer de ring rust.

    • Luis Coppola

      Fortuna nocauteou e no melhor estilo hunto virou as costas e saiu andando (walk off)..
      Espero que desça para os médios.

  • Marcos Henrique Lira

    O jogo da Jéssica casa com o da Joana. A polonesa tem um jogo mais polido em pé. Porém não tem muito punch, e já mostrou que não tem o queixo muito confiável. Portanto, a brasileira traçando uma estratégia certinha, de não se abrir muito e trabalhando bem as combinações, pode surpreender a campeã. Não duvido que saia um nocaute.

  • Lorenzo Fertitta

    Tem toda razão, Carrano. “Que fase vive a divisão de 93kg…” LHW e HW brigam intensamente para saber qual é a categoria mais rasa do UFC. Em uma delas, temos Jan Blachowicz. que só perde e ainda sim não sai do ranking, e na HW Anthony ‘Barangão’ Hamilton fez o que fez ontem. Briga dura…
    Achei a Arena em Houston bem vazia, será que é por causa do Super Bowl?

    • Lucas Pereira Carrano

      Lorenzão, na sua mão essas coisas não aconteciam. Não dá pra fazer um card de Fight Night pra “concorrer” com o Super Bowl né?

      Todo mundo sabe o custo elevadíssimo pra se realizar um evento na cidade-sede do maior evento esportivo dos EUA anualmente, e se não tiver estrelas, mesmo que entregue lutas interessantíssimas (como esse card, de fato, entregou) ninguém vai ir pra Houston pra assistir (pq não vai aguentar pagar nem o hotel) e quem já está lá gastando uma mini-fortuna pra ver o SB não vai animar a gastar sua noite pré-jogo por lá.

      • Lorenzo Fertitta

        kkkkkk Agradecemos a preferência. Falou tudo, Carrano. Realmente me pareceu um erro estratégico grotesco, mais um da empresa que comprou o UFC por uma grana que poderia ter arrematado o UFC e o Bellator.

  • Luiz Henrique

    Zumbi conseguiu dar um dibre na ferrugem e capitalizar um nocaute belo de tão rato que é. Eu marcava Zumbi x Barão. Mas não duvido alçarem ele ao topo da categoria agora mesmo, contra Cub ou Lamas.

  • Matheus V.

    O ano tá bom para os brasileiros no MMA: além das defesas de título de Aldo e Amanda, tem Demian, Jacaré, Cigano, Bate-Estaca e Formiga na linha de um cinturão – todos, talvez o Formiga menos, com boas chances.

    • Hyuriel Constantino

      Formiga tem que ser mais vocal. O cara tá servindo de porteiro estando na boca do TS em uma categoria devastada e que corre o risco de ter uma trilogia como TS sendo 2-0 pro campeão.

      • Matheus V.

        É sempre bom, mas na falta de desafiantes – se o nova gestão do UFC tiver o mínimo de inteligência e guardar os prospectos para depois da subida do DJ – talvez nem precise. Agora, ele tem que vencer o Borg, perder o quarto title eliminatória é feio.

        • Ruan Lopes

          Pessoal, e o José Maria Sem Chance , não luta mais não?

          • Matheus V.

            Luta pelo ACB. Tava se saindo bem pós-UFC, mas perdeu a luta pelo cinturão inaugural dos moscas para o Askar Askarov – uma baita prospecto – numa das melhores lutas do ano passado.

          • Ruan Lopes

            vlw cara.

  • Luiz Henrique

    Jéssica claramente estava lutando para provar que tem striking e que pode nocautear alguém, ao invés de fazer o que sabe fazer de melhor: amassar os outros. E ela confirmou isso na entrevista pós-luta. Espero que ela refine o striking, mas que não entre contra a Joanna achando que pode trocar com ela. Tem que jogar certo e procura o gnp ou uma finalização.

  • AlbertoJr Amaral

    Apesar da vitória Zumbi precisa treinar muito! Nitidamente sem ritmo, mas um matador com certeza! Fiquei fã depois de vê-lo lutar com Aldo!

  • AlbertoJr Amaral

    Jessica Bate Estaca + Liniker + Massa Muscular = USADA (Abre o olho Demente e vê se prende alguma coisa!

  • Fernando Ribeiro

    Assisti o evento de ontem muito por causa do title eliminator entre a Jessica e a Angela, e devo dizer que foi melhor até do que eu esperava. Grande performance da Bate Estaca, três rounds de trocação continua e sem morrer no gás. Chega com moral na disputa de cinta. E o pessoal comparam a Jessica com o Lineker, ambos andam pra frente o tempo inteiro e lançam golpes a torto e a direito, é uma comparação bem justa pra ser sincero. No caso da Joanna, digo que ela é uma Cerrone sem jogo de chão. Assim como o Cowboy, a Campeã consegue sucesso quando dita o ritmo de luta, quando assume a posição ativa na luta, não a passiva. Mas quando encontra alguém que lhe ponha pressão, que parte pra cima sem medo, tanto a Joanna quanto o Cowboy tem dificuldades. E é exatamente esse o jogo da Bate Estaca, partir pra cima o tempo inteiro. Minha única dúvida em relação a Jessica era sobre o cardio, o ponto forte da Campeã, mas essa dúvida não existe mais, ontem ela mostrou um cardio que não deve em nada a Campeã. Inclusive, eu fiquei chateado dela não ter conseguido um KO, mas depois eu percebi que vencer por pontos foi a melhor coisa a acontecer, assim ela pode acabar de vez com as dúvidas em relação ao seu gás.
    Lembro que o Miocic, antes do UFC 198, foi questionado quem era o favorito em sua luta, e ele disse que no papel ela acreditava que o Werdum era o favorito, mas em sua cabeça ele se enxergava como o favorito. Eu penso de maneira igual, por tudo que a Joanna fez na divisão, por ela ser a campeã e vir de 4 defesas, ela tem que ser a favorita, mas na minha cabeça eu vejo a Bate Estaca como a favorita. A Jessica vem tocando o terror na divisão, três vitórias muito convicentes, tô muito confiante que vai trazer essa cinta pra nós.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Eu fiquei abismado com o OSP hahaha, de disputa de título para derrota para estreante com uma luta só de intervalo, tá no fundo do poço, isso que dá ele lutar normal demais, é o Anderson Silva reverso.
    Quanto a bate- estaca, aposto na Joanna mas ela tem chances sim, boa lutadora com problemas defensivos claros, mas compensa com bom jogo de chão e strik poderoso.
    E nem deu direito pra ver a ferrugem do Zumbi, foi um nocaute até rápido, mas ele aguentou umas pedradas bacanas, quanto ao Herb Dean parou certinho na hora, por ser apenas 3 golpes teve gente que achou precipitado, mas foram certeiros e o Bermudez tava perdido, tinha que parar já no primeiro.

Tags: , , , , ,
Instagram