Pensando alto: a análise informal do UFC on Fox 12

Renato Rebelo | 27/07/2014 às 00:58

UFC on Fox é sempre a mesma coisa: cards carentes de popstars, mas milimetricamente planejados (leia-se recheado com porradeiros) para agradar o amplo público alcançado pela TV aberta.

Sendo assim, desdobramentos importantes e diversão à pampa na Califórnia – apesar de nove decisões e apenas duas finalizações e um nocaute.

Sem muito papo furado, vamos à minha humilde leitura das principais lutas:

LAWLERRobbie Lawler x Matt Brown 

Começo dizendo que achei a disputa muito mais parelha que 99% dos gatos-mestres que povoam minha timeline. Puxando pelos números, Ruthless aterrissou apenas três golpes significativos a mais durante 25 minutos – e, por mais que Brown tenha escrotizado aquela bomba no fígado (fingindo que foi no saco para evitar o castigo que viria na sequência), Lawler também perdeu o controle das pernas (bambeou) por alguns segundos no primeiro round. Vi o Imortal, com sangue no olho e envergadura superior, aproveitando-se da falta de urgência do rival (que, devido à potência descomunal que carrega nos punhos, não se preocupa tanto em golpear em volume e/ou com o domínio territorial) pontuando bastante nos primeiros rounds. Talvez, com um pouco menos de respeito ao poder de fogo do produto da ATT no final das duas uma: ou o ex-drogadicto estaria com o title shot debaixo do braço, ou algum perito forense etiquetaria seu dedão na Califórnia. Bom, vitória justa e a certeza de que, em janeiro ou fevereiro, nosso querido Mão de Pilão terá a chance de se vingar daquele barbudo que triturou seus sonhos no UFC 171.

Tiro o meu chapéu pro Matt Brown. Ninguém aceita trocar francamente comigo e foi isso que ele fez. O cara é muito duro! – elogiou o vencedor.

JOHNSONAnthony Johnson x Antonio Rogério Nogueira

Troca de guarda purinha. Minotouro, carregando 38 anos e um caminhão de chagas nas costas, não aguentou nem um minuto de pressão do garotão americano. Quando um medalhista pan-americano no boxe é facilmente nocauteado por um wrestler que lança overhands tão abertos a resposta só pode estar nas colossais diferenças de velocidade, timing e força, amigos. Aí, chegamos no momento de encarar a bigorna do realismo: enquanto a carreira do brasileiro recebe um xeque (talvez, não o mate ainda), Rumble chega em chamas na zona do gargalo. Diria até que Johnson, demitido como meio-médio no passado, virou hoje o quarto nome da categoria até 93kg (atrás de Jon Jones, Daniel Cormier e Alexander Gustafsson). O mundo dá voltas, não?

Sabia que teria que machucá-lo muito ou finalizá-lo porque ele é um Nogueira e eles não desistem. Só queria destruí-lo e foi isso que fiz – analisou o Blackzilian.

BERMUDEZDennis Bermudez x Clay Guida

Quando previ que o Homem das Cavernas neutralizaria o jovem porradeiro com a boa e velha tática do cobertor maluco, a besta quadrada aqui esqueceu um simples detalhe: A Ameaça deixou o circuito colegial americano de wrestling com 112 vitórias e 23 derrotas – alcançado a primeira divisão da NCAA como calouro e o status de all-american no freestyle. Ou seja, o meio-campo foi negado ao cover do Bell Marques que, em pé, não tem bala na agulha pra trocar mão com a elite da divisão. E é exatamente aí que Bermudez, com sete vitórias consecutivas, chegou, na elite. Agora, convenhamos, title shot também já é demais – entendendo que Cub Swanson, Chad Mendes e até Conor McGregor (pensemos no retorno, pessoal) não sobrevoarão a Ucrânia abordo de um avião da Malaysia Airlines.

Eu disse que, se finalizasse o Guida, pediria um title shot. Mas, aceito qualquer um no top 5 – mandou o descendente de porto-riquenhos.

Quanto à performance dos cinco brasileiros, passo a bola pra vocês: o que acharam?

Abraços.

  • Dan Mendes

    O UFC/Comissão Atlética tem que punir os lutadores que fingem golpe baixo caso contrário isto vai virar rotina. Isso é quase tão escroto quanto dopping.

  • Walber Gomes

    Triste pelo Minotouro….vai sofrer a pressao do Dana para aposentar…..

  • Marcelo

    Vai rolar um oba oba em torno do Anthony Johnson, mas o único que me impressionou ontem foi o Minoto. Na primeira mão que entrou, que eu nem sequer vi, ele já ficou completamente atordoado e em seguida foi vítima de um espancamento. Achava o AJ favorito, mas não que venceria desse jeito.

  • lãrrauze

    Green já se encontra mais maduro na categoria!

    [img]http://1.bp.blogspot.com/-uwbM9wKa2-A/TsFCCvHeBJI/AAAAAAAACcg/HPsr2olRrHg/s1600/10.JPG[/img]

  • Alexandre Andrade

    Trator mandou bem, mostrou boa versatilidade e volume, resta sabermos se ele aguenta os próximos passos.

  • Rubens Rodrigues

    Eu também não assisti a Thomson x Green. Eu estava trabalhando 🙁

  • Leo Ferreira

    Ruthless fez uma grande exibição e mostrou que somente o barba está no seu nível hoje em dia. Mais uma vez caiu um team nogueira.. o que acontece por aquelas bandas? Treino fácil? Tá faltando parâmetro?

  • Gabriel Castelani

    Acredito que o Glover seja o 4, e vou alem ele venceria o RAMBLE!

Tags: