Pensando alto: a análise informal do TUF BR 3 Finale

Renato Rebelo | 01/06/2014 às 03:34

O TUF Brasil 3 Finale, que começou estrelado por Chael Sonnen x Wanderlei Silva, chegou a ter Júnior Cigano x Stipe Miocic e terminou com Fábio Maldonado x Miocic, atraiu cerca de oito mil pessoas para o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Se por um lado o “main event” deixou o recinto ensurdecedoramente silencioso, as finais do reality show esquentaram a platéia

Sem muita enrolação, vamos à minha tradicional leitura do card principal:

MIOCICStipe Miocic x Fábio Maldonado

“Maldomito” merece todos os elogios que possam ser direcionados a um homem íntegro: é corajoso, persistente, legítimo… Sujeito a ser admirado, eu diria. Mas há um motivo claro pelo qual separam lutadores por classes de peso desde mil novecentos e Guaraná com rolha. No MMA é assim: as palavras valentia e embaraço andam praticamente de mãos dadas. Pois bem, em meio minuto, Miocic pôs fim ao “main event” menos competitivo desde o UFC 55 – onde Andrei Arlovski deitou Paul Buentello num piscar de olhos. Fui criticado por um seguidor no Twitter por evidenciar o óbvio. Aí, pergunto: quando aprenderemos a diferença entre torcida e análise?

Estou muito envergonhado. Mesmo lutando fora da minha divisão, ainda é muito difícil perder desta forma – lamentou o brasileiro.

SAPATOVitor Miranda x Antônio Cara de Sapato

Primeiro, confesso ter ficado impressionado com a ausência de fragilidade de ambos em (teoricamente) seus pontos fracos. Miranda, que até pouco jamais havia feito qualquer luta agarrada, evitou a maioria das quedas e se defendeu de todos os botes no chão de um campeão mundial absoluto de jiu-jítsu (na faixa-marrom). Sapato, por sua vez, estava super à vontade para trocar mãos e pernadas com um veterano do K-1. Na minha humilde prévia, disse que o benefício da dúvida (vai quedar ou vai trocar?) poderia fazer a balança pender pro lado do garotão. E fez. Com mistura bem temperada, o pessoense radicado na Bahia não passou perrengue e garantiu o voto de todos os jurados. Anotem aí: Antônio será uma força na categoria até 84kg a médio-longo prazo – e Vitor, pode muito bem, fazer bonito entre os meio-pesados.

Eu sou campeão do TUF, não poderia estar mais feliz, só se o (Júnior) Cigano estivesse lutando nesse evento e tivesse vencido. Nunca havia lutado três rounds, mas acho que eu precisava disso para crescer como lutador – mandou o vencedor.

WARLLEYWarlley Alves x Márcio Lyoto

Capitão da equipe verde no TUF Brasil 3, Chael Sonnen disse que hoje, agora, Warlley Alves poderia bater tanto Chris Weidman quanto Johnny Hendricks. Exageros (colossais) à parte, o produto da X-Gym, de apenas 23 primaveras, botou o reality show canarinho no bolso de maneira jamais antes vista (lembrando que Jason, Mutante e Leo Santos chegaram lá aos trancos e barrancos). Com exceção de Wendell Negão, amplamente considerado um dos melhores do cenário nacional no peso, na fase preliminar, os duros Ismael Marmota, Wagnão Gomes e Márcio Lyoto sequer ofereceram resistência. O último deles foi dominado em pé pela agressividade do kickboxer e terminou apagado na especialidade da casa: a guilhotina. Da série ferro afia ferro, os anos sendo amassado por Ronaldo Jacaré na academia vêm pagando dividendos cada vez maiores…

O Jacaré me passa o carro, me joga pro alto, então, se eu ficar um treino sem ser finalizado por ele já é uma grande conquista. Brincadeiras à parte, treino com ótimos grapplers, como o Erick Silva e o Paulo Thiago. Também tenho ótimos professores, como o mestre Sylvio Bering – disse Warlley.

DEMIANDemian Maia x Alexander Yakovlev

Dizem por aí que nunca é tarde para começar. Vide o jiujiteiro Demião, que abriu caminho para sua redenção no UFC com um belo knockdown (o primeiro da carreira, segundo ele mesmo). Daí pra frente, foram muitos minutos de seu característico cozimento a vapor e outros poucos de perrengue. O russo, que vinha de vitória sobre o famigerado Paul Daley fora do Ultimate, engrossou o caldo na reta final com uma pá de chutes baixos e quedas oportunas. Insuficiente. O paulista, ex-desafiante número 1 dos médios, soma três pontinhos pela primeira vez desde fevereiro de 2013.

Eu adoro o boxe, adoro o muay thai, mas, infelizmente, não nasci pegador, como o Johnny Hendricks, por exemplo. Mas vou procurar cada vez mais usar o boxe, botar a mão dura, para acompanhar meu jogo de chão.

PERALTARobbie Peralta x Rony Jason

Injustiças à parte, quando um jurado marca 30 a 27 para o atleta X e o colega do lado anota o mesmo placar, só que para o atleta Y, podemos concluir duas coisas: 1- o sistema de pontuação vigente é falho (abstrato demais) e 2- falta preparo (treino) a esses cidadãos. Não fugindo da raia, ao vivo, marquei os dois primeiros rounds pro cearense – que, apesar de ter aterrissado menos golpes significativos (30 a 51), foi mais contundente e incômodo. O que vale mais, tocar (à la boxe amador) ou magoar? Vai entender…

Ele é um cara duro, um ótimo lutador. Eu sabia que seria uma batalha, lá e cá o tempo todo, então eu estou feliz de ter saído com a vitória – declarou o americano.

Abraços.

  • Marcão

    Falando do Cara de Sapato…..seria muito bacana se após a vitória, no momento em que foi “vaiado” ao falar do Wanderlei, ele tivesse desafiado o Sonnen já para o próximo dia 5, nos 93 kgs, claro que a chance desse duelo rolar seria a mesma que acertar na tele-sena, mas já que o trash talking virou definitivamente um dos pilares do UFC, seria bacana….iria dar uma bela apimentada e com certeza o Dana daria pulos de alegria!!!rs

    • Rodolfo

      falou tudo velho. o cara de sapato espancaria o sonnen (assim como o warley também espancaria ele). na verdade, o sonnen não ganha de ninguém relevante no ufc…não sei como ganhou do shogun (acabou acertando uma guilhotina…,mas se a luta continuasse ia pegar uma surra vergonhosa). Eu fico puto que tem um bando de idiota defendendo esse fdp, torcendo por ele…piadas a parte, ele falou que ia trazer sabonete e escova de dente pro brasil…isso é desrespeito demais. o cara é um merda, nunca lutou nada, nunca fez nada e vai apanhar feito uma criança do belfort ou até do próprio wand se houver uma virada de mesa. o que eu acho legal é que todo mundo esqueceu que o sonnen foi pego no dopping quando lutou a primeira com o Anderson…tem que torcer mesmo pra ele =)

      • Esse “um monte de idiota defendendo esse fdp” inclui inclusive o Cara de Sapato, que encheu o Sonnen de elogios.

  • FABIO NEVES

    Sinceramente, lado a lado, não vi tamanha diferença física entre Miocic e Maldonado
    O que me pareceu foi um excesso de nervosismo do brasileiro frente ao americano…Ele estava extremante tenso, travado e isso se refletiu sobre o octógono.
    Tudo bem que para um cara com talento, 6 ou 7 quilos podem representar o limite entre ir para casa assistir televisão depois da luta ou parar no hospital…

    • Gustavo Souza

      Mas os quilos do Maldonado são de “banha”, do Miocic de musculo ..

      • FABIO NEVES

        He he ou então de “peitos”…
        Parece que o maldonado tem seios…

  • Kaue Macedo

    O que sera que vem agora pro Demian ? Talvez Jake Ellenberger, Tarec Saffiedine ou alguém menos rankeado denovo ? No aguardo pras lutas a casar.

    • Nilo Júnior

      Acho que o Ellenberger faz mas sentido no momento, mas os dois nomes são casamentos ruins pra esse Demian que anda amando o boxe.

  • A regra é clara (tentei fugir desse bordão, mas não deu): contundência vale mais do que quantidade, desde que não estejamos falando de 100 toques contra um porradão. Levaram o Jason na mão grande.

    Sobre o 30-27/27-30, pensei se isso poderia acontecer numa luta de três tiebreaks, tipo o Isner-Mahut do 70-68 em Wimbledon-2010, com três rounds extremamente parelhos, “que poderiam ir pra qualquer um no detalhe”. Ainda assim seria bizarro um sujeito dar os três pra um e outro dar os três pro rival.

Tags: