Bellator 2016: retrospectiva
de um ano sem crise

Mario Filho | 05/01/2017 às 14:35

2016 foi o ano mais produtivo e frutífero da história do Bellator. Portanto, é justo afirmar que o Bellator foi a organização de MMA que mais cresceu no ano passado.

Territorialmente, o progresso foi global. Sob a direção do Bjorn “MMAAA” Rebney, a expansão geográfica do Bellator se limitou ao Canadá. O empreendedorismo de Scott Coker levou o BellaTOUR à Europa e a Israel.

Lima quebra Koreshkov em Tel Aviv

Lima quebra Koreshkov em Tel Aviv

Foram dois eventos na Itália, um na Inglaterra, um na Irlanda, além do Bellator de Tel Aviv que resultou na reconquista do cinturão meio-médio para Douglas Lima. Aliás, não houve perdas de título mundial para o Brasil em 2016.

O então campeão peso-galo Marcos Loro Galvão foi destronado sim, é verdade. Mas a coroa segue verde-amarela, com outra reconquista: Dudu Dantas que, inclusive, já aproveitou e fez a primeira defesa da cinta, se vingando de quem mais queria.

Foram 10 rounds nas duas lutas que Dudu fez em 2016, batendo em Joe Warren e no Loro durante 50 minutos, evidenciando a absoluta superioridade do carioca na categoria. Darrion Caldwell é o próximo desafiante, mas o campeão já aderiu à tendência de colecionar cinturões, e deixou bem claro que o maior interesse dele agora na organização é o dono da categoria de cima.

Dudu se vinga de Warren

Dudu se vinga de Warren

Dudu não quer se aventurar nos penas, a menos que a chefia lhe conceda a chance de desafiar o campeão Daniel Straus. Falando nele, o rasta da ATT já está totalmente recuperado da cirurgia na mão, e deve fazer a primeira defesa de título em meados do primeiro semestre.

Patrício Pitbull, muito mais que (o também merecedor) Daniel Weichel, segue como o adversário mais cotado, até mesmo por ter vencido Straus duas vezes.

Nosso terceiro campeão mundial, o peso-médio Rafael Carvalho, venceu Melvin Manhoef numa decisão muito questionada em maio do ano passado. Os dois se reencontrariam no Bellator Italiano de dezembro, mas Rafa sofreu uma fratura no metatarso do pé direito e o tira-teima foi adiado pra 2017.

Também não podemos deixar de lembrar que a temporada passada foi a menos generosa de toda a carreira de Ben Henderson. Ex-campeão do UFC e do WEC, Bendo chegou ao Bellator com pretensões de ser o único dono da Tríplice Coroa no mundo, mas conheceu a maior surra que já levou, cortesia do então campeão Andrei Koreshkov.

Apesar das lutas memoráveis, Bendo deixou a desejar no Bellator

Bendo entrega luta do ano, mas resultados deixam a desejar

Elegantemente admitiu que de meio-médio a coisa ficou beeem ruça pra ele, e voltou para os leves, encarando o peso-pena Patrício Pitbull. De novo a performance de Ben Henderson foi anulada, mas o brasileiro fraturou a fíbula no segundo round e não teve mais condições de seguir no combate.

O duelo valia uma vaga como desafiante ao título de Michael Chandler. E, no dia 19 de novembro, Chandler e Bendo protagonizaram a melhor luta de toda a história do Bellator. E facilmente a maior batalha do ano, superando inclusive Cruz x Garbrandt, em virtude da alternância de liderança e, consequentemente, fortíssimas emoções.

Concordo que o título dos galos do UFC foi imbatível no quesito espetáculo, mas o protagonismo foi todo do novo campeão.

Desempenho unilateral. Já a disputa de título dos leves do Bellator foi polarizada por dois maníacos que fizeram uma guerra mundial de 25 minutos na maior demonstração de insanidade, comprometimento, potência, cardio e resistência que aquela – ou qualquer outra arena de MMA já testemunhou.

Phil Davis: campeão incontestável dos meio-pesados

Phil Davis: campeão incontestável dos meio-pesados

Bendo não obteve êxito na missão Bellator. Mas Phil Davis sim. O ex-top meio-pesado do UFC confirmou o favoritismo e conquistou finalmente o primeiro troféu de melhor do mundo, ao dominar completamente o invicto ex-campeão Liam McGeary no início de novembro.

Michael Page foi desmascarado depois da medíocre vitória sobre Fernando Gonzalez, e está de fato mais para fraude que para um campeão meio-médio em potencial. Também em 2016, MVP fez história ao estilhaçar o crânio de Evangelista Cyborg com uma joelhada voadora num dos nocautes mais impactantes da temporada.

A russa símbolo sexual Anastasia Yankova também não correspondeu às expectativas, Kimbinho decepcionou e Sergei Kharitonov foi implodido em segundos. Mas AJ Mckee honrou e provou que é de verdade.

O fenômeno irlandês James Gallagher venceu nas duas vezes que lutou em 2016, mas ainda tem muito que provar que não é mais um castelinho de areia. Especialmente no tanque de tubarões que é a divisão dos penas.

R.I.P. Kimbo

R.I.P. Kimbo

A parte nefasta de 2016 foi a sequência de mortes sem precedentes que amaldiçoou o Bellator num período de 3 meses. Mortes muito chocantes e trágicas. Em maio, Jordan Parsons foi atropelado pelo bêbado Dennis Wright quando saía do treino na Blackzilians e não resistiu aos ferimentos, amputando inclusive a perna direita na tentativa de se recuperar de uma grave infecção.

Kevin Ferguson, mundialmente conhecido como Kimbo Slice, precisou de um transplante de coração às pressas e morreu subitamente aos 42 anos de idade, no mês de junho. As duas fatalidades ocorreram semanas antes de Parsons enfrentar Adam Piccolotti, e Kimbo reencontrar James Thompson.

Outra macabra coincidência é que ambos morreram na Flórida. Também em junho, o peso galo Ivan Cole morreu – ou se suicidou – num incidente que acabou atribuído à prática de “Roleta Russa”.

TKO de Royce!

TKO de Royce!

Em 2016, Royce Gracie venceu por nocaute.

O Bellator 2017 começa com o midiático e verborrágico – porém irresistível – Sonnen x Ortiz. Los Angeles recebe o maior evento que o Bellator já ousou fazer.

Um mês depois tem a estreia de Fedor Emilianenko (contra Matt Mitrione) na organização. Rory MacDonald e Wanderlei Silva também vão estrear no primeiro semestre.

Alguém duvida que até mesmo a Ronda Rousey não retorne aos braços do patrão que a descobriu?

2016 provou que Scott Coker é um realizador, eu não descartaria mais essa imponente surpresa. Seria bem interessante principalmente para a própria Ronda.

  • Hyuriel Constantino

    Ronda no Bellator seria um mindblow do tamanho do Big Bang! kkkkkkkk

  • Lucas Santana

    acho que esse ano de 2017 vai ser o que definirá o Bellator como uma empresa que pode enfrentar o UFC, ou continuar a ser a segunda força do MMA, e o que o Bellator fez de melhor para mim foi a expansão agora só falta desbravar a América Latina e depois pensar na Asia.

    • luis ricardo paiva

      Acredito da vinda do Belator para o Brasil em junho,Dudu ou Douglas um deles defendera seu cinturão aqui……………….

  • Vinicius Maia

    Excelente texto Mario. Eu também achei a luta do Bendo com Chandler animal demais. No ano de 2016, poderemos ter a luta do ano e nocaute do ano no Bellator.

    • Tiago Nicolau de Melo

      Seria bom pra dar uma fugida do lugar comum (UFC), mas não sei não…

  • Gabriel Nicacio

    Bendo x Chandler foi muito boa, mas será que passa de Chandler x Alvarez 1?

    • Marco antônio

      Pra mim não. Nem perto…

  • Renato Rebelo

    O papo hj é que Bader e Larkin estão “na agulha”. O Bellator tb podia fazer uma investida no Marlon Moraes e já cercar o Justin Garthje (pra rivalizar com o Chandler). É isso aí. Concorrência!

    • Hyuriel Constantino

      Eu queria ver o Justin Garthje no UFC pra fazer uma puta anarquia nos Leves. haha…

  • Marco antônio

    Mario, nem de perto a luta do Chandler vs Bendo foi a melhor da história do Bellator. Pra mim, as duas lutas do Chandler com o Alvarez foram as melhores. Respeito sua opinião sobre essa questão, mas não concordo. Inclusive com o comparativo sobre a “luta que eles descansaram” pra ser considerada a luta do ano. Acho que Cub Swanson vs Do Ho Choi, Lawler vs Condit e até Dominick Cruz vs TJ Dilashaw foram melhores que Cruz vs Garbrant. Mas, isso é só minha opinião…

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Esse ano agora vai ser decisivo, é inegável o crescimento do Bellator, será que vai ser concorrência a altura do Pride hahaha?

  • Gutierres Nascimento

    não sou fã da era Coker, nem foi o ano que mais gostei de acompanhar o Bellator. Mas, inegavelmente, foi o ano mais importante da organização. Quanto a Chandler vs Henderson ser a luta do ano, ou melhor de todo o Bellator, tenho dúvidas sobre essa primeira afirmação, já que Condit vs Lawler foi pelo menos tão boa quanto (foram as duas lutas que mais me divertiram no ano), e discordo completamente da segunda, devido as duas batalhas entre Chandler e Alvarez existirem. Meu top 10 de lutas do Bellator: Chandler x Alvarez 1 e 2, Chandler x Henderson, Curran x Pitbull 1 e 2, Chandler x Brooks 1, Shlemenko vs Cooper, Pitbull x Straus 2, Pitbull x Weichel e Rickels x Fischer 1. por estarem em tantas das lutas que achei excelentes, Pitbull e Chandler se tornaram dois dos lutadores que mais gosto de ver lutar em todo mma.

  • ”Alguém duvida que até mesmo a Ronda Rousey não retorne aos braços do patrão que a descobriu?” – Eu duvido completamente.

  • dan

    Ronda orgulhosa como é, na segunda divisão do mma? Nunca kkkkkkk

  • Burro do Xureg

    Ano sem crise ===== Parada cardíaca do DaDa 5000, doping de Shamrock e Slice, morte do Kimbo e do Parsons, diversas decisões polêmicas e lutas sofríveis. Será que foi sem crise mesmo??

    • Burro do Xureg

      Nem entro na discussão de Chandler vs Bendo ser a melhor luta da história. Não chega nem no top 5 de lutas desse ano.

    • luis ricardo paiva

      E o cinturão dos pesados que ninguém sabe,ninguém viu…………………

  • luis ricardo paiva

    Gostei do texto,quero pedir pra vocês abordarem o cinturão dos PESADOS por que não é disputado,o que acontece com Minakov e Belator que ninguém diz nada?Um grande abraço amigos……………….

    • Renato Rebelo

      Minakov tá com um pé no UFC, parece. Poderiam botar em jogo com Fedor x Mitrione, mas seria mt difícil garantir a assiduidade do russo tb

  • Lorenzo Freitas

    Eu so queria que o bellator voltasse com os torneios

  • James sousa

    sem crises ? um lutador morreu sendo que ele foi pego no doping e ignorado pelo Coker que colocou ele pr luta fugindo da comissão atlética , outro teve uma parada cardíaca um evento com main e co main event com freaks shows

Tags: ,