De olho no vice: os pontos altos do Bellator 120

Renato Rebelo | 18/05/2014 às 06:48

Apenas quatro decisões em 14 lutas, uma pá de controvérsia e desdobramentos importantes.

Aparando algumas arestas, o Bellator parecer ter estreado com o pé direito no sistema pay-per-view.

Enquanto os números da audiência (vendas de pacotes) não saem, vamos à minha leitura básica da porção principal do card:

RAMPAGEQuinton Jackson x King Mo

Quem disser que o bate-boca no cage foi mais divertido do que a luta em si não estará mentido. Mo havia garantido que trocaria, mas com 10 segundos de prosa já estava grudado na perna esquerda do rival feito cachorro no cio. Sinceramente, não o culpo. Quedar e rezar (tradução livre de “lay and pray”) é, gostemos ou não, uma opção no MMA. Pronto, já descrevi 80% da “ação”. Os outros 20 foram marcados por Mo – que esqueceu o boxe ensinado por Jeff Mayweather em Las Vegas– andando pra trás, enquanto Rampage avançava temeroso, com os joelhos arqueados. Em pé, além de dois ou três bons diretos que fecharam o olho esquerdo do ex-Strikeforce, também nada substancial. Resumindo: marquei 2 a 1 Lawal, mas não vejo a vitória de Jackson como caso de polícia. Bom para o Bellator, que marca a revanche imediata e foge do insalubre King Mo x Emanuel Newton 3.

WILLWill Brooks x Michael Chandler

Outro resultado contestável. Acho que não há muita discussão sobre os rounds 1, 2 e 5 terem ido para Chandler. Mesmo marcando 10 a 8 Brooks no R3 (meu caso), terminaríamos com um empate. Enfim… Não há como negar o feito monstruoso do wrestler da American Top Team – que treinava para três rounds contra Nate Jolly e topou, em cima do laço, 25 minutos de Michael Chandler. Essa demonstração de força do agora campeão interino só explana que a divisão até 70kg é, de longe, a mais disputada do evento. Lembrando que Eddie Alvarez voltará à disputa assim que estiver saudável e Dave Jensen, vencedor do penúltimo torneio, ainda aguarda oportunidade.

TITOTito Ortiz x Alexander Shlemenko

Na prévia falei sobre a bizarrice que era casar o dominante campeão dos médios (pequeno para a categoria) com um meio-pesado gigantesco vindo de sete derrotas em oito lutas. Afinal, a vitória de Tito queimaria um importante ativo à medida que alguém sem nenhum futuro na organização sairia valorizado. Pois bem, mesmo atuando em câmera lenta, o ex-UFC conseguiu levar a luta pro chão. Lá, deu um prazo de três dias e meio para o russo livrar o braço do katagatame. Nada feito. Segunda vitória desde dezembro de 2006 na conta do “Bad Boy de Huntington Beach” e uma dor de cabeça logística para Rebney.

VOLKOVAlexander Volkov x Blagoy Ivanov

É muito frustrante ver um rapaz que já bateu Fedor Emelianenko no sambo e sobreviveu a uma facada no coração abrindo mão da invencibilidade no MMA por pura falta de gás. Em outras palavras, o Ivanov já respirava feito fumante com enfisema no segundo round e, ao tentar uma queda em telegrafadíssima, acabou mochilado e finalizado no pescoço pelo Professor Girafales loiro (2m tem o cidadão!). 100 mil dólares na conta de Volkov – além da chance de se vingar do campeão Vitaly Minakov – que o nocauteou em novembro de 2013.

Michael_Page_vs._Ricky_Rainey_2Michael Page x Ricky Rainey

Page é simplesmente um dos maiores astros da trocação em atividade no MMA. Suas credenciais são: faixa-preta de caratê, filho de mestre de kung fu, 10 vezes campeão mundial de kickboxing e uma quantidade “tola” de campeonatos ingleses de “full contact” conquistados. Por trás da guarda nula – ele se defenda basicamente com movimentos- e das provocações está o ridículo fato de que Page aterrissou 100% dos golpes tentados contra o “Sniper” Rick e Renner. Já que em sete lutas o bicho ainda não passou do primeiro round, que tal botá-lo no próximo GP dos meio-médios? Sei que ainda é cedo, mas o representante da London Shootfighters versus Douglas Lima seria insano!

Confira os resultados do card preliminar:

Cheick Kongo venceu Eric Smith por nocaute no R2
Marcin Held venceu Nate Jolly por finalização (armlock) no R1
Fabricio Guerreiro venceu Shamhalaev por finalização (kimura) no R1
Goiti Yamauchi venceu Mike Richman por decisão dos jurados
Austin Lyons venceu Zach Underwood por decisão dos jurados
Mike Wessel venceu Justin Frazier por TKO no R1
Ben Brewer venceu Andy Uhrich por nocaute no R2
Codie Shuffield venceu Anthony Lemon por finalização (mata-leão) no R2
Brian Hall venceu Cortez Phelia por TKO no R3

Obs: os gifs são cortesias de @ZProphet_MMA.

Abraços.

  • Rodrigo Carvalho

    Cheguei tarde em casa, e não vi nenhum texto, fiquei de bobeira pela internet, e es o que acho aqui! Fiz bem em não dormir haha Ótima análise!
    Renato, gostei da tua avaliação – quando se trata das lutas que consegui achar pelo facebook (Page x ‘ninguém’ & Tito x Shlemenko). Shlemenko estava bem lento, bem compreensível, se o peso dele em off é de 92kg – lutar nesse peso pra quem esta acostumado a bater 84 (imagino que sem muitas dificuldades), mas a ‘velocidade’ que o Tito apresentou.. foi bem abaixo do que podia se imaginar – tanto pelo físico, quanto pela história do cara, bem, o combate foi totalmente injusto com o derrotado. Não entendi bem o que o cara queria provar, e como você disse, será um problema para o Bjorn resolver. O russo, não era rápido, contundente ou mesmo estratégico, a luta foi de bandeja para Ortiz que só usou.. sua força e seu peso. Bem a quem do que eu esperava (sinceramente). Já esse ‘novo anderson silva’, desculpe por suas credências, mas ele pede para ou ser quedado, ou ser nocauteado, mesmo com timing bom, e um bom jogo de pés (ou pelo menos rápido), o cara se abre tanto, que assusta de se ver! Coloca-lo no GP da categoria, pode ser outro tiro no pé – já que ele da show e chama a audiência, seria mais jogo dexa-lo nessa ‘pegada’ em que se encontra, porque com as ‘brechas’ que o rapaz dá, ele pode é estragar o próprio show.

    • Renato Rebelo

      Pela entrevista pós-luta do Rebney, acho que o Page vai entrar no GP sim. Veremos agora do que ele é feito hehe

      • Negreiros

        De pura eficiência e criatividade é inacreditável assistir o que ele faz, por enquanto Venom faz Spider parecer conservador. Não a toa estava no card principal, estão apostando alto nele.

  • Lucas Pereira Carrano

    Que análise precisa, monstro. Basicamente a combinação de sensações + pensamentos que tive ontem – é claro, porém, dotada de uma profundidade infinitamente superior.

    Fiquei tentando fazer o exercício de imaginar o impacto que a vitória do Tito poderia causar no público médio – menos preso às observações sobre qualidade de atuação e muito mais suscetível ao buzz. Claro que, a julgar pela idade do Bad Boy e o jogo que tem demonstrado no cage, fica difícil pensar que o cara possa ser um investimento até de médio prazo, mas talvez tentar pegar o público menos hardcore seja uma alternativa para minimizar os danos desse casamento de luta bizarro.

    E queria sua opinião sobre o PPV do Bellator. A despeito do bom nível de entretenimento proporcionado pelos combates, achei a transmissão excessivamente longa e maçante. Algo que, diga-se de passagem, também tem acontecido nos eventos do UFC – e não só nos PPVs. Foram apenas 53m04s de lutas em mais de 3 horas de duração!

    • Renato Rebelo

      Obrigado, irmãozão. Sobre a tranmissão, vc é o cara para falar sobre isso, pois sabe melhor que ninguém analisar detalhes, roteiros e produção. Mas concordo que foi sacal. 14 lutas é muita coisa e os caras ficaram meio perdidos entra elas. Só vale dar um desconto por ter sido a primeira experiência deles (não da Spike TV, no caso).

  • Negreiros

    No preliminar só pra nao deixar passar, goiti yamauchi mostrou que estar com as costas no chão, não quer dizer que está atrás na luta, nada de segurar e rezar para o arbitro voltar a luta em pé, como muito faixa preta faz por ai, atacou tempo todo, Richman que devia estar rezando para o árbitro interromper. E o outro destaque para Kongo, aquele inicio de primeiro assalto assustou, aquela levantada dele em 1h então ainda mais, depois tudo voltou ao normal e fim de luta.

    • Renato Rebelo

      Obrigado pelo complemento, amigo.

  • Lion

    Poh Renatinho, cadê a consideração pelos brasucas que derrotaram pedreiraças no card que antecedia o PPV, na Spike TV?

    Goiti Yamauchi mostrou uma evolução assustadora no muay thai, lutou de igual pra igual contra um dos melhores strikers do peso-pena mundial (o Richman apagou o Stepanyan e caso você não conheça o Akop Stepanyan, esse cara é de outro mundo em pé).

    E o Fabrício Guerreiro, que mesmo treinando na famosa Alpha Male, era a maior zebra do card e fez o Russo Shamhalaev bater não só uma, como duas vezes e ainda quebrou o braço do bonitão e só não levou o braço do Russo pro Amapá por que ele não quis! rsrs

    de resto, ótimo texto! e dá uma moralzinha pro Bellator nesse próximo podcast cara. Há vida fora do UFC! 😉

    • Renato Rebelo

      Pode deixar, fera, amanhã exploraremos bem o Bellator do podcast. Teremos um convidado gabaritadíssimo pra isso hehe

  • Francis Couto Falbo

    Achei maneiro esse evento do belattor, e transmissão do foxsports tbm foi bem digna! O comentarista Mario Filho(não conhecia) comenta muito bem. Amanha esse evento é obrigatorio no podcast heim Renato. Rsrsrs falow abraços.

  • William Amaral

    Uma pergunta, Renato: Brooks é mais um pro time dos tops dos Leves ou Chandler é apenas um Gray Maynard com queixo? (Antes dessa luta, eu colocaria o Chandler como favorito diante do Pettis, mas acho que me enganei muito.. haha)

    • Renato Rebelo

      Rapaz, confesso que essa luta embaralhou td na minha cabeça. Por mais que tenha dado empate, o que o Will Brooks fez foi incrível. Acho que só nas próximas rodadas veremos se o Will é o bicho mesmo ou se o Chandler não é tudo isso. Pelo que ouvi da ATT, o ele é o cara que mais treina por lá. Precisam expulsar ele da academia…

      • André Guilherme Oliveira

        Will Brooks é grande lutador, mostrou isso dominando tudo no GP e surpreendeu mesmo dominando o Tiger Sarnavsky. Não esperava que ele fosse dominado no chão igual foi nos dois primeiros rounds, até porque aquele é o jogo dele. Depois que soltou o jogo conseguiu mostrar que pode mesmo competir ali no topo.

        O Chandler continua sendo favorito contra qualquer leve do mundo, acredito que se não fosse aquele corte no supercílio ele teria levado a luta, aquilo ali abalou o psicológico dele totalmente, ele so voltou a soltar o jogo no final da luta.

        • Dan Mendes

          Sem falar que para maioria ele venceu.

  • JP

    Ponto positivo pra transmissão da Fox Sports.. Simples e Direta. Mario Filho foi injustiçado no Sportv.

Tags: ,