Jones, Gustafsson e a catapulta para o estrelato

Lucas Carrano | 29/04/2014 às 22:14
Jones levando o primeiro apavoro da carreira

Jones levando o primeiro apavoro da carreira

Por alguma razão que ainda passa despercebida aos marqueteiros que gerenciam sua imagem, Jon Jones não tem uma boa taxa de conversão de seu talento assombroso e domínio notório para alcance de público.

Diante desse cenário, a organização do UFC recebeu quase de mão beijada, em setembro do ano passado, a luta principal do UFC 165.

Naquela noite, Jones adicionou um grande ativo ao seu leque de possibilidades comerciais: um nêmesis – algo até então inimaginável.

Atualmente o atleta mais alto do plantel de meio-pesados do Ultimate, desde a aposentadoria do francês Cyrille Diabaté (que tem 1,99m), Alexander Gustafsson conseguiu colar no campeão no quesito alcance e castigou Jones de forma jamais vista.

E olha que não isso não ocorreu por falta de bons nomes na lista de tentativas, que contém Lyoto Machida, Maurício Shogun, Rampage Jackson e Rashad Evans – pra ficar só nos ex-campeões.

O fato é que Jones tem sido assunto para Gustafsson e Gustafsson tem sido assunto para Jones desde aquela luta no Canadá.

Alguém duvida?

Estado da dupla pós-UFC 167

Estado da dupla pós-UFC 165

Repare quantas vezes o sueco pintou nas conversas com Bones antes do UFC 172 – em que, diga-se de passagem, fez uma atuação impecável contra Glover Teixeira.

Repare quantas notícias foram ventiladas sobre considerações, provocações e até mesmo previsões do Gustavão sobre seu rival.

Observe como na coletiva de imprensa, mesmo diante da vitória dominante sobre um lutador invicto há nove (!) anos e a quantidade de recordes que o garotão dos cotovelos de navalha quebrou, ainda sobrou espaço, e muito, para que a revanche contra “The Mauler” viesse à pauta.

Isso não é fortuito.

O UFC tem investido bastante na rivalidade entre Jones e Gustafsson em diversas esferas.

O interesse da organização, não duvidem, é transformar o duelo na maior revanche de sua história – ou, em objetivos mais modestos, pelo menos de sua história recente.

Capa do novo jogo da EA Sports

Para os fãs mais hardcore, Gustafsson tem se tornado figurinha carimbada nos Q&As, tardes de autógrafos, eventos oficiais e tudo mais a que tenham acesso os aficionados.

Para o grande público, o sueco vai estampar a capa do game “EA Sports UFC”, com lançamento já agendado para o dia 17 de junho.

Tudo bem que a eleição foi feita pelo próprio público, mas os cruzamentos e a campanha direcionaram bastante as intenções de voto.

O presidente Dana White já se rendeu ao sueco há tempos e tem dado a entender que ele é peça chave na expansão da organização, principalmente no território europeu.

Gustafsson é nossa maior estrela na Europa. Ele é o desafiante número 1 – disse o chefão logo após a vitória do queridinho sobre Jimi Manuwa.

Ao contrário do dirigente, “Bones” já tem adotado uma postura mais ríspida em relação a Alex, a ponto de mandá-lo calar a boca e voltar à prancheta antes de provocá-lo.

É claro, um tom amistoso e cordial não caberia em uma rivalidade de tal proporção.

Nos últimos dias, Jones chegou a esquivar-se das perguntas sobre o sueco, o que aquece ainda mais os ânimos.

Não vou falar nada sobre esse cara. Estou feliz, curtindo meu momento. Não quero falar nada sobre ele –  disparou o campeão, sem pestanejar, na coletiva do UFC 172.

Com o terreno assentado, o UFC decidiu ousar nos planos e mirar alto com Jones e Gustafsson.

O sangue de Jones mal esfriou após a vitória sobre Glover e Dana já projetava colocá-lo em uma roubada monstruosa ao agendar sua próxima defesa de cinturão para a Suécia.

É uma luta grande. Tem o potencial para ser enorme, e a renda dessa luta pode ser enorme também, dependendo de onde fizermos. É uma grande luta, maciça. Se fizermos na Europa, essa coisa podia vender 50 ou 60 mil assentos, ou mais – revelou o careca nos bastidores.

tele2arena_foto_aerocam-pilot_oscar-ohlson_fotograf

A grandiosa Tele2 Arena

Quer mais? A luta pode acontecer na moderníssima Tele2 Arena, antigo estádio Rasunda (onde o Brasil foi campeão mundial em 1958), às 4 da matina pelo horário local.

Isso porque o Ultimate quer aproveitar o fenômeno do “Sol da meia-noite” no país escandinavo.

Futurologia nunca foi meu forte, e nem é minha intenção neste espaço, mas prevejo uma enxurrada de fatos, fotos, vídeos, opiniões, trocas de farpas, anúncios publicitários e conteúdos institucionais sobre os dois, literalmente, gigantes da categoria peso meio-pesado.

Se o UFC vai conseguir alçá-los à condição de choques como Tito Ortiz e Ken Shamrock, Chuck Lidell e Randy Couture, Brock Lesnar e  Frank Mir, entre outros?

Só os próximos meses vão responder…

  • Gustavo Trigueiro

    Será q essa falta de carisma de Jon Jones deve-se ao fato tb do seu jogo meio sujo? Ele tem recebido mts críticas, e com razão, por causa disso.
    Com relação a Gustavão, ele tem q evoluir mt o seu arsenal, pois o Jones q vimos domingo tá mt melhor q o Jones da luta com o sueco.

    • Lucas Pereira Carrano

      Com relação ao “jogo sujo”, eu concordo no que diz respeito aos dedos nos olhos – que realmente ele não mostrou muito afinco para evitar. Sobre cotoveladas e pisões frontais, como já vi algumas pessoas falando, são golpes legais e que, sinceramente, não entendo pq os demais lutadores não fazem uso (não que vão repetir a maestria do JJ, que é muito favorecido por sua envergadura colossal).

      Sobre ser o Jones melhor, realmente, o campeão fez uma atuação bem convincente diante do Glover. A questão é que não sei se esse será necessariamente o mesmo Jones que veremos numa revanche contra o Gustafsson ou qualquer outra luta. As vzs vemos atletas oscilarem entre um combate e outro, até mesmo o JJ da sua defesa anterior para o UFC 165, devido aos mais diversos fatores (condição física, matchup com o oponente, problemas pessoais,etc). De toda forma, partimos do pressuposto de que o pequeno Jonathan vai chegar mais ligado e preparado na revanche contra o suecão.

      Abraço.

  • Renan Trigueiro

    Acho que o Gustavão levou a primeira, mas, não sei pq, to com a sensação q o Jones vai passear na segunda. Obs: ótimo texxto!

  • David Carvalho Crosariol

    Ótimo texto.
    O problema é que o João Jonas é muito mais campeão do que o Gustavão.
    O sueco mandou bem, mas não acredito que ele possa mostrar mais do que mostrou na primeira luta como suas defesas de queda e ótimo jogo de pernas, mas o Jão é felomenal, quando você acha que viu tudo, o maluco me aparece com uma nova.

    Sinceramente, nunca fui com a lata daquele que não tem pé de feijão, mas também é João, porém, cada entrevista que vejo dele percebo o quanto ele se esforça para criar a imagem de um verdadeiro campeão e o “jogo sujo” acredito que seja por mera insegurança, assim como o abaixar de guarda e brincadeiras do Spider, enfim, que tô ansioso para ver a revanche, eu tô!

    • Lucas Pereira Carrano

      David,

      Se você já está ansioso, pela previsão do Pai Lucas de Oxóssi aí em cima vai ficar ainda mais nos próximos meses. O bombardeio midiático vai ser grande! Não sei quanto a você, mas eu até que gosto de ficar na pilha por alguma luta.

      Abraço! 😀

  • Felipe Paranhos

    É a luta mais esperada de 2014. Tem cara daquele tradicional evento de fim de ano. Mas, se estiver nesse card, não vai acontecer na Suécia. Como se diz no futebol, o professor está com uma dor de cabeça boa.

  • Leo Ferreira

    Venho torcendo contra Jon Jones desde o UFC 128 e cá entre nós, desisti. Não há muito que se contrariar no jogo dele, exceto pelo dedo no olho que chamar de não intencional é o mesmo que acreditar que foi o papai noel que te deu aquele helicóptero maneiríssimo do comandos em ação no natal de 1992. O que passei a acreditar é que no UFC 165, Jones foi pego desprevenido pelo jogo de Mauler em se movimentar daquela maneira. Como Ikki de Fenix nos ensinou,“Nenhum golpe funciona duas vezes no mesmo Cavaleiro.”

  • Gabriel Guimarães Calefi

    O “Gustavão” é o único, ao meu ver, que pode parar Jon Jones nos meio pesados, justamente devido a envergadura. Quero muito ver essa segunda luta, haja vista que a primeira luta ficou com aquele gostinho especial de quero mais….. só uma ponderação, esqueceu de mencionar o Belfort como ex-campeão que o Bones enfrentou…. abraços!!!

  • zagolee

    Esta luta vai render ao Luthor… kkk!

    (Imagina se os lutadores insatisfeitos se organizam entre eles e começassem a migrar pro Bellator!)

Tags: ,