Pensando alto: a análise informal do UFC 171

Renato Rebelo | 16/03/2014 às 17:30

Com sete dos 15 melhores meio-médios do planeta em campo, o UFC 171 lotou a American Airlines Arena em Dallas, Texas, coroou o novo monarca da categoria e embaralhou de vez o grupo de desafiantes.

Cortando o papo (lead) furado, vamos à minha sempre confusa leitura do card principal:

HENDIRKCSJohny Hendricks x Robbie Lawler

Até o mamado que marcou 10 a 8 Hendricks no segundo round e 10 a 10 no quinto acabou contribuindo para um plausível 49 a 48 a favor do cara que aterrissou 158 golpes significativos (quarta melhor marca da categoria). Assisti à peleja duas vezes e, sem muito torcer o nariz, vi 3 a 2 Barba em ambas – portanto, não compactuo com a indignação dos que comparam o resultado ao assalto ao trem pagador. Ruim mesmo foi constatar que minha intuição falhou mais que o sinal da Tim em Alagoas. Hendricks escreveu publicamente outro capítulo sobre sua evolução em pé. Enquanto o novo campeão abusou de combinações espertas (muitos jabs seguidos por diretos e chutes baixos), o representante da American Top Team se pôs na linha de tiro (“in fight”) contando basicamente com movimentos de cabeça e tronco (no melhor estilo “rope a dope”, imortalizado por Muhammad Ali) e sua característica trauletada de canhota. Lutaralhaça que coroou “Big Rigg” no volume.

Pra mim, estava 2 a 2 no quinto round e, quem vencesse o último, levaria. O Robbie tava ganhando, mas levou muitos socos no final e acabou dando Hendricks. Dei o primeiro round pro Hendricks, mas muita gente deu pro Lawler. Acho que foi no primeiro round onde houve discordia – analisou Dana White.

WOODLEYTyron Woodley x Carlos Condit

Fazendo-se valer da pesada mão direita e do benefício da dúvida (vai quedar ou trocar?), Woodley encaixou um claro 10 a 9 no primeiro round. No entanto, seu ímpeto nocauteador foi pro vinagre no segundo e o “Assassino Nato” partiu pro ataque. Acuado, o produto da ATT recorreu ao “double leg” para esfriar a luta e acabou estourando o joelho de Condit na queda. Pra mim, a ação foi muito mais acidental do que Woodley faz parecer no comentário abaixo. Mas, hey, se eu tivesse espumando por um “title shot”, também contaria a mesma estorinha.

Acho que a vitória do jeito que foi não diminui meu feito. A lesão foi criada por um “double leg” meu. Na sequência, vi a oportunidade e consegui terminar com um preciso chute baixo. Acho que estava dominando e o Condit é um cara difícil de se dominar. Agora, quero meu “title shot”. Eu e o Johny temos assuntos inacabados desde os tempos do “Big 12” (competição de wrestling), portanto, adoraria por minhas mãos nele – soltou Woodley.

JURYMyles Jury x Diego Sanchez

O Sonho provou mais uma vez que lutar apenas com culhões e coração diverte a tigrada – mas dificilmente te leva ao topo da montanha. Em clara demonstração de troca de guarda, Jury, garotão refinado, escolheu bem os golpes e quedou com certa facilidade. Já Diego, que havia prometido mais estratégia e menos ímpeto, se enfezou rapidinho, mordeu o protetor bucal e foi pro pau. Resultado: quinta derrota em oito lutas que tira o pupilo de Greg Jackson definitivamente do top 15 do peso leve; “Fury” segue invicto.

Assim que você acerta o Diego, ele fica bravo e parte para arrancar sua cabeça. Então, sabia, desde que comecei a atingi-lo, que ele recorreria ao seu velho estilo e eu poderia explorar isso a meu favor – disse Myles.

LOMBARDHector Lombard x Jake Shields

O ex-campeão do Bellator é, definitivamente, um pesadelo logístico para caras que dependem do jogo isométrico na categoria até 77kg. Vamos aos fatos. 1- grapplers genuínos não curtem ser golpeados – e Lombard carrega dinamite nos bracinhos de T-Rex. 2- Como se cai por cima de um judoca olímpico com massa muscular mais densa que a Floresta Negra? 3- A faixa-preta de Ricardo Libório não é enfeite. Vulnerável sem o controle do meio-campo, Shields apanhou em pé e foi, sistematicamente, projetado pelo pesado quadril do rival. No chão, no entanto, Lombard ficou no sapatinho – mostrando respeito pelo jiu-jítsu fino ensinado por César Gracie. Novo e periculoso top 10 na área…

Acredito que o Jake Shields é um dos melhores da categoria. Ele tem vitórias sobre grandes lutadores e não quis me arriscar muito. Precisava vencer – mandou.

Abraços.

  • Leandro Ramos

    Quem diria, a categoria do amarrão, virou a categoria onde os amarrões nao tem vez, com Hendricks, Lawler, Condit, Woodley, Lombard, Ellenberger, Brown, Saffiedine muitas lutas da noite virão por ai.

    • Tássio

      Pierrezetes loucas em 3,2…

    • Leo Ferreira

      Vei, falou tudo, essa agora é a categoria onde os amarrões nao tem vez…. ta certissimo

  • elvis fernandes

    sei q nao vai acontecer,mas nao seria loucura nenhuma o lawler ganhar a revanche imediata,lutou muito ontem,tava lutando feliz o maldito,com sorriso no rosto…

  • Francis Couto Falbo

    Grande luta pelo cinturão, mas achei que deu empate. Vi Pouca gente comentando sobre esse possível resultado.

    • Renato Rebelo

      Fala, Francis! Pra ter dado empate, algum round teria que, necessariamente, ter sido 10 a 8. Qual deles você marcou dessa forma? Sobre a finalização, em inglês chamamos de “Von Flue choke” – por ter sido popularizado pelo lutador americano aposentado Jason Von Flue. De qualquer forma, é um estrangulamento até comum em treinos – só não creio que haja um nome específico aqui no Brasil.

      • Francis Couto Falbo

        Nunca tinha visto essa finalização antes e me estranhou os comentaristas do combate falarem que não sabia o nome do golpe. A luta achei q o 2 round deu 10×10 e 2 rounds pra cada lado. Parabéns pelo blog ta mto bom.

        • Renato Rebelo

          Obrigado, feroz. E hoje, teremos vídeo dessa finalização!

  • Leo Ferreira

    Numa luta parelha, o 5º round é o round do campeão, vide João Jones x Gustavão e até GSP x Hendricks, não tem erro, o quinto é do campeão, e o barbudo dominou as ações, Lawler foi um embuste e tanto, mas não fez tanto por merecer a cinta e venceu somente o 3º e 4º round. Mas não vejo o gold na mão de um só por tanto tempo, tem muito por vir nos meio-médios e se Deus olhar por nós, teremos um champ.

  • Fernando Chaves

    Opa, gosto e acompanho sempre o blog. Gostaria de saber se há algum email para sugestão de pautas?

  • zagolee

    Lawler ganhou e indiscutivelmente a categoria está muito competitiva!

  • Tiago Nicolau de Melo

    o pior dessa noite foi a possível contusão do Condit. Acho que vão pôr o Rory pro Hendricks.

  • Danyel P Lorenzo

    Uma luta tão acirrada dizer que foi um roubo é injusto e tira o brilho até mesmo do perdedor. Não quero ser o Advogado do Diabo, mas uma coisa é nós analisarmos as lutas do sofá de casa com trocentas câmeras e replays outra é analisar round a round com apenas um ângulo de visão. Concordo que o juízes das comissões vem evento a evento mostrando seu despreparo em relação a contagem dos pontos, tornando o MMA cada vez mais parecido com o Boxe. Fato q me preocupa um pouco já que o Boxe caiu no descrédito de muitos, sendo inclusive taxado por um esporte “político” por outros tantos.
    Eu acredito que a revanche direta possa acontecer, já que o Condit se machucou, e mandar o Woodley agora seria queimar cartucho.

    • Leo Ferreira

      Concordo Danyel, é bem isso mesmo, mas não acredito na revanche imediata pq a categoria precisa andar, apesar de eu não concordar em Woodley disputando a cinta ainda. Mas ai vc pensa.. quem é o próximo? Se Brown passar por Erick Silva, pode ser o próximo contender.

Tags: