Pensando alto: a análise
informal do UFC 206

Felipe Paranhos | 11/12/2016 às 04:35

Que evento. Que evento! O UFC 206 foi muito mais do que a gente esperava (e eu estou escrevendo esta frase ANTES das lutas co-principal e principal).

(Viram? Eu tava certo.)

Um evento que chegou à penúltima luta daquele jeito não iria nos decepcionar. Foram tantos momentos marcantes que nem precisávamos ver uma grande luta entre Anthony Pettis e Max Holloway para desligarmos a TV satisfeitos.

E realmente não vimos: o sinal do UFC para o Combate, meio capenga desde o ínicio do evento, falhou justamente no fim da apresentação dos dois. Resultado: quem viu via links ilícitos viu. O resto dos assinantes sobrou, assistindo apenas aos segundos finais do duelo.

HOLLOWAYMax Holloway vs Anthony Pettis

Para o bem de quase todos e felicidade geral da nação, deu Holloway. Isso porque, se Pettis vence, o já banalizado cinturão interino oferecido para este combate seria ainda menos importante. Imagina se o ex-campeão dos leves não bate peso, não leva a cinta e ainda assim ganha a luta – bem mais vendável – contra o brasileiro. A vitória de Max, de quebra, dá um novo gás à categoria, que vê surgir o desafiante com mais chances de superar José Aldo. No fim, o havaiano ainda subiu o tom das cobranças ao novo-velho-campeão dos penas, dirigindo-se diretamente a Dana White. A derrota de Pettis ainda sacramentou o fim da passagem dele pelos 66 kg. Falta saber qual será a motivação dele de volta aos leves.

Não conseguimos achar José Aldo. Eu quero a luta contra ele no Brooklyn. Eu quero o cinturão de verdade. Façam barulho para o Pettis, ele merece muito respeito. Esse cinturão é o meu passaporte para o José Aldo. Dana White, eu nunca serei parado”, falou o Abençoado.

CERRONEDonald Cerrone vs Matt Brown

E não é que o Imortal fez lutão com Cerrone? Quem achava, como eu, que o Cowboy passearia por ser mais técnico em pé e no chão se enganou. Quem optou por fazer transições foi Brown, que equilibrou as ações no fim do primeiro round e em boa parte do segundo – deixando margem para que juízes dessem algum dos dois assaltos pra ele. Slow starter por natureza, desta vez Cerrone usou a adaptação mais de uma vez durante o combate – primeiro ao subverter a lógica e trocar a média pela longa distância mesmo tendo menor envergadura, depois ao perceber que o caminho do chute era o melhor, uma vez que conseguiu encaixar a esquerda várias vezes durante a luta. Pro que ele poderia fazer, a atuação individual de Cerrone foi ruim, mas tenho minhas dúvidas se há muitos lutadores mais inteligentes do que o xará do presidente Trump.

CUB_SWANSONCub Swanson vs Doo Ho Choi

Sinto muito: se você perdeu esta luta, você perdeu a luta do ano. Um absurdo o que fizeram o Filho do Cisne e o coreano. Não vou dizer que faltou técnica, porque naquela intensidade, até o mais preciso e inteligente dos trocadores viraria brawler ali. “Como é que esse cara não caiu?” foi a pergunta que fiz pelo menos 20 vezes em 15 minutos de luta. Essa é uma daquelas raras ocasiões em que vale o clichê: os dois foram vencedores. O coreano mostrou que está pronto pra lutar de igual pra igual com o top-5 da divisão, e o americano provou que ainda é absolutamente relevante na categoria. Em tempo 1: Cub venceu também a torcida, que abraçou o Superboy desde o primeiro jab, com aqueles gritos que poderiam “empenar” qualquer juiz. Em tempo 2: seja qual for a idade em que Choi morrer, vai ser uns três anos antes da hora em que morreria antes deste sábado.

Eu me preparei para uma entrevista de vitória, achava que ia vencer. Eu nunca mais quero perder, não quero esse gosto de novo. Isso pode parecer estranho, mas meu técnico e eu somos fãs do Swanson. Apesar do ranking, quis essa luta porque, do fundo do meu coração, achei que ia vencer. Me desculpe pela derrota, quero agradecer a todos os fãs e a todos que me ajudaram”, disse Doo Ho Choi ao microfone de Joe Rogan.

Pela luta, pelo momento da derrota e sobretudo pela declaração, ainda de sangue quente, eu acho que esse moleque tá mais perto do título tendo perdido do que se tivesse ganhado.

KELVINKelvin Gastelum vs Tim Kennedy

Aos 37 anos e parado havia dois, Kennedy talvez não soubesse de suas limitações. Fez o primeiro round praticamente todo na isometria, o que minou seu gás antes mesmo do encerramento dos cinco minutos iniciais. 12 anos mais novo, Gastelum aproveitou o pouco tempo que teve para golpeá-lo incessantemente, uma vez que o militar norte-americano parecia estar mais perto de achar Adolf Hitler do que a distância na trocação. Daí pra frente, foi ladeira abaixo – não só na luta. O KO no terceiro round pra mim encerra a carreira de Tim, que nem de longe lembrava o lutador que anulou Michael Bisping em 2014. 26 meses e uma USADA depois, o melhor lugar pra Kennedy é mesmo no Twitter.

emil_meekEmil Weber Meek vs Jordan Mein

Os gritos de Lee Mein, pai de Jordan, não adiantaram muito. Provavelmente abalado por seu longo tempo distante do octógono, o canadense teve muita dificuldade de impor seu jogo e, curiosamente, evitou ao máximo o seu feijão-com-arroz, a trocação. O norueguês não tinha nada com isso e aproveitou a falta de ritmo de Mein para quedar e gastar o tempo sempre que possível – ainda mais porque, desde o primeiro round, o nórdico sentia uma dor forte na região da costela. Jordan ainda é jovem (27 anos), mas já é “velho” de luta. Ou o canadense se encontra ou vai pedir aposentadoria novamente em breve.

Menções honrosas:

* Que beleza o nocaute de Lando Vannata em John Makdessi, hein? Tudo bem que o canadense já estava na descendente havia algumas lutas, mas o seminovato no UFC achou um chute rodado no rosto que, se não foi tão bonito quanto o épico golpe de Edson Barboza, já garante um moral antes inimaginável para Vannata, que já havia assustado Tony Ferguson em sua estreia.

* E Viviane Sucuri, hein? A luta não foi lá essas coisas, mas, mal ou bem, a cearense se apresentou ao grande público como a brasileira de 1m52cm que venceu uma ex-desafiante ao cinturão que tinha grande vantagem em envergadura e experiência. Para Valerie Letourneau, a coisa complica. Ex-desafiante, ok, mas com três derrotas e duas atuações ruins seguidas, sei não…

Para os demais resultados e a resenha pós-evento, é só dar um pulinho no tópico do UFC 206 em nosso fórum.

  • Henrique Berto

    Evento muito bom, virei ainda mais fã do coréia. Tudo bem que não dá pra comparar o nível dos adversários, mas hoje o Vannata provou que aquele round contra o Fergusson não foi só uma noite sorte.

    • magnuseverest

      Esse coreano é bom de briga,pode lutar com Pettis,ou Edgar,ou ainda contra o Vannata.
      Em época de lutas sangrentas marca logo Lawler e Cerrone,ou Tyron e Wonderboy 2.

  • Tomé

    1) UFC 205 >>>>>>>>>>> UFC 206
    2) Cerrone é FODA! Cerrone vs Nick Diaz já!
    3) Se o Aldo e sua equipe não levarem a sério o Holloway e não trouxerem novidades técnicas, estará em grandes apuros.
    4) Vannata e Doo Ho Choi são rising stars em potencial. Mesmo com a derrota o coreano cresceu muito. Precisa apenas aprender a jogar mais fechado. Nesse aspecto se parece muito com o Thomas Almeida, mas tem uma trocação ainda mais fluida que o lutador da Chute Boxe.

    • Bolsomito2019

      mano, eu acho que essa guarda do superboy faz parte do jogo dele.
      tipo… diferente do thominhas, saca? muaythai e tal
      o jogo defensivo do coreano , de maneira geral, é fundamentado nos contragolpes , mesmo que fraquinhos, e controle da distância (esquivas, footwork)
      ao meu ver, o problema dele ter perdido essa luta de ontem, foi de não ter treinado (“ensaiado”) o anti-jogo da daqueles 2 passos largos do Cub, seguidos do overhand… quando os 2 primeiros entraram ,xiiiiiii já tinha sacado que ele iria ter sérios problemas

      Méritos do Cub.

  • Thiago Arruda

    UFC 206 = INSANIDADE

    Um dos melhores eventos de todos os tempos. Talvez os últimos eventos, de tão horrendos, me façam supervalorizar esse, mas de qualquer forma, foi sensasional.

    https://uploads.disquscdn.com/images/5a39ad7e06308ffff50804eb9fd92aad6d44bf5f2e66b471c0091f6a2aae16d6.jpg

    • abner albuquerque

      inesquecivel

  • Hyuriel Constantino

    Galera, se hj alguém voltasse na máquina do tempo e dissesse para nós há alguns dias atrás que nesse evento teria Pettis sendo nocauteado pela primera vez, Cerrone aniquilando um cara que nem mesmo a heroína foi capaz de matá-lo, um meio-médio com problemas de balança tombando um militar casca-grossa e tantas opções de lutas e nocautes da noite e do ano, com certeza mandaríamos esse sujeito para um sanatório! É simplesmente incrível como um dos eventos mais desfalcados dos últimos tempos e tão desacreditado acabou superando as expectativas até dos mais exigentes e de muitos card numerados supostamente melhor construídos, revelou novos talentos e verdadeiros monstros em ascensão.

    Pra começar, se após duas lutas, onde uma eu não vi e a outra pouco prestei atenção, o evento apenas me parecia seguir um padrão genérico, o desrespeito anárquico do senhor Lando Vannata foi o prenúncio de que estaríamos testemunhando um dos cards mais surpreendentes dos últimos anos.
    O debutante baixinho surgido de última hora que esculpiu com o sinistro El Cucuy um dos maiores candidatos a “Round do Ano” de 2016 hj mostrou que sua ambição é gigantesca! Se mesmo numa derrota conseguiu 50 mil doletas por “Luta da Noite”, é virtualmente impossível que, após 100 segundos, é virtualmente impossível que uma vitória que mescla o KO de chute giratório de Edson Barboza e o “walk-off” mítico de Mark Hunt não só lhe garanta o prêmio de “Nocaute da Noite”, como tb se candidatar a “Nocaute do Ano”. Duas lutas, quatro prêmios distintos (apesar de dois destes apenas estarem em cogitação no momento). Vannata é simplesmente mítico!

    Iniciando a noite abençoada para estreantes, Viviane Sucuri provou que tem toda a raça para permanecer no plantel do UFC aceitando de última hora uma missão que, para muitos, seria altamente indigesta. Ao estrear no maior evento de MMA do mundo contra uma atleta 14 cm maior, mais pesada, com um background de oponentes de elite e bem em território inimigo, a brasileira superou a pressão gigantesca do debut e as gaps escandalosas em relação a canadense com paciência e resiliência raras. Letorneau, por sua vez, tá numa draga cavernosa de três derrotas seguidas, mas, ao meu ver, é precipitado botá-la com a corda no pescoço por ainda ser uma competidora de altíssimo nível, que ainda promete recuperação caso pegue uma adversária mais em conta e que só entregou a vitória caro.

    Na última luta do card preliminar, apesar de eu ter dito que a categoria dos meio-pesados tá na UTI de tão rasa no momento, confesso que meu pessimismo foi decorrente da luta entre Villante e Safarov na noite anterior. Não que tenha sido ruim, mas pela gritante falta de condicionamento físico e técnico por parte destes em relação ao TOP 4 da categoria, uma realidade predominante entre os demais integrantes da categoria.
    Contudo, fiquei particularmente impressionado com o atleticismo e potencial da parte de Krilov e Cirkunov. Apenas do ucraniano ter perdido, sua idade e o atual panorama dos meio-pesados ainda lhe permite evolução e espaços mais privilegiados na divisão, e Cirkunov, vindo de oito vitórias seguidas (4 no UFC) e nenhuma por decisão, merece, no mínimo, o Shogun em sua próxima luta. Ambos me mostram que a categoria ainda possui alguma vida.

    Abrindo o card principal, outro debutante na área nos brindou com uma porra louquice que infelizmente se volatiza conforme o compromisso em se manter vitorioso aumenta. Emil W. Meek, recentemente conhecido e contratado por ter sido o carrasco de um dos sujeitos mais odiados por Grana Branco, o arrancador de pés Rousimar Toquinho, nos revelou que, de fato, corre sangue viking em suas veias. Encarando a guerra contra Jordan Mein como se fosse uma festa, regozijou-se dando e levando porrada como um selvagem medieval com direito até a fazer comemoração fanfarrona no final da luta com um braço preso na guarda do oponente. Empolgante, o norueguês me deixa ansioso para saber até onde irá na dura divisão dos meio-médios

    Isso tb nos prova que, para se manter em relevância competitiva no MMA, a última coisa que vc deve fazer é passar dois anos caçando um ditador já morto. Tim Kennedy pode ser um militar extremamente articulado, gente fina e ex-campeão do Strikeforce com excelente Wrestling. Porém, seu tempo distante do octógono (e uma potencial suspeita de falta de “espinafre”) tenham sido os fatores mais significativos para a derrota desmoralizante que sofreu contra o desrespeitador de balanças, Kevin Gastelum.
    Por outro lado, tb vejo méritos do vencedor do TUF 17 que tem evoluído monstruosamente sob tutela de Rafael Cordeiro, e que me deixou emputecido com seu discurso chorão, quase implorando pela vida a Dana White, para voltar a categoria de baixo. Sinceramente, devia tomar umas palestras com Whittaker para ter mais colhões e permanecer nos médios, pois não é qualquer um que sobe de categoria de última hora e bate o décimo do ranking com tanta propriedade. “Seje ômi”, Gastelum e permaneça nos médios, pois futuro vc tem.

    Apesar disso, se Gastelum chorou pro Dana de poupá-lo de perigos maiores, na luta seguinte fomos privilegiados com dois atletas que despudoradamente troçaram com a adversidade. Senhoras e senhores, Cub Swanson e Doo Ho Choi protagonizaram uma das lutas mais dramáticas, brutais, caóticas e anárquicas que já vi na minha vida! O coreano iniciou na vantagem com sua jovialidade, autoconfiança e seu boxing de precisão cirúrgica, mas foi a experiência, dureza e instinto assassino de Swanson que nos tragou para uma batalha que mais se assemelhou a uma luta de mil dias travada entre cavaleiros de ouro. Invertendo os papéis a todo tempo, ambos tb provaram que tinham as mesmas qualidades entre si. Se Swanson podia ser mais preciso nos seus ataques, Choi mostrou um queixo diamantino e coração flamejante que logo veio a mente um saudoso compatriota seu (isso me faz até questionar se não está rolando um apocalipse zumbi na Coréia do Sul…).
    Swanson, novamente, pode sonhar em ser um potencial contender na categoria, e Choi, apesar da derrota, é uma ameaça real, ainda que a longo prazo. Indiscutivelmente, Luta do Ano com direito a se tornar uma das mais antológicas do esporte.

    Ainda falando daqueles que riem perante o abismo, Cerrone se consolidou essa noite como um meio-médio legítimo. Esqueçam que ele já foi um peso-leve algum dia. Este cara não só pertence a categoria de cima como, até agora, não sabe o que é vencer na decisão na divisão de Tyron Woodley.
    Matt Brown até que se esforçou. Combinou sua natureza de brigador com um QI mais elevado de luta e vantagens físicas, inclusive inibindo o cowboy com sua marra de psicopata. Entretanto, no início do último round cometeu um erro fatal (e singularmente inusitado!). Lembrando aquele ensinamento popular perante gaiatos de que, se mostrar os dentes, desça a mão, de acordo com um certo forista daqui, bastou rolar um abraço amigo que o Cerrone logo desferiu uma bica mais mortífera que o antigo vício do “Imortal”. Os chutes de Cerrone na cabeça foram tantos e seu timing tão impressionante que mais pareciam estar teleguiados, mas parece que o “poder da amizade” era a forcinha que o cowboy precisava para deixar o “Imortal” estatalado no chão.
    Por isso, ironicamente vimos que a pior coisa que se pode fazer perante Cerrone numa luta é se deixar levar por sua simpatia, e se o Demian não se cuidar, pode ser outro a ser afetado e até preterido de seu sonho, nem que seja indiretamente, pelo carisma (E ATIVIDADE!) do americano.

    Por fim, provando que atividade e trabalho duro compensam, em aproximadamente quarenta meses, um compatriota de BJ Penn fez história na luta principal da noite. Max Holloway não só foi abençoado se tornando o terceiro campeão interino dos penas como, bem-condicionado, altamente treinado em todos os aspectos e extremamente motivado, o havaiano se tornou o primeiro homem a bater o, outrora promissor, Anthony Pettis antes do tempo legal via TKO.
    Suplantando Pettis sem precisar abafá-lo no grappling (incrivelmente negou jogar nesse âmbito de forma categórica!) e onde este era mais temido, no striking, Holloway é, de longe, o adversário mais credenciado que José Aldo irá enfrentar. Sendo o contender mais legítimo que se tem conhecimento na história da companhia ao alcançar a incrível marca de dez vitórias seguidas, o mais novo campeão interino dos penas pode não ter o trash talking da nêmese de Aldo. Contudo, bastante puto da cara há algum tempo com o brasileiro, a este diria que se prepare para mais outra guerra. Caso contrário, pode se tornar a miríade numérica de Holloway sendo a sua 11º vítima.
    Se o destino fez com que o havaiano fizesse jus ao seu apelido, “Blessed”, o mesmo trata com escárnio o apelido de Pettis. O bordão fatídico de RDA ainda se mostra sepulcral na carreira do ex-campeão dos leves e sua vitória contra Do Bronx nos antecipou de sua dura realidade daqui pra diante: se, nos leves, suas chances foram bastante reduzidas pela alta qualidade dos competidores de lá, nos penas corre o risco de ter sua performance sabotada pelo corte de peso doentio, inclusive podendo falhar diversas vezes no processo. O futuro do “Showtime” dentro da companhia é, no mínimo, incerto (para não dizer negro)…

    Resumo da noite: não senti falta de GSP, nem da revanche de Rumble contra DC. Com direito a trocadilho, se vc seguiu o conselho de Lucas Carrano, diferente do card madorrento de Albany, em Ontario vc não foi feito de “Ontario”.

    • Savio Cardoso

      Parabens mais uma vez pelo texto e dedicacao ao sexto round colaborando e muito com os otimos comentarios pos ufcs, valeu !!

      • Hyuriel Constantino

        Obrigado, amigo. 🙂

    • FabioH

      Hyuriel sempre nos brindando com seus belos textos! Esse #206 realmente surpreendeu, as lutas que estava mais aguardando (Vannata, Choi e Cerrone x Brown) não decepcionaram nem um pouco, e o evento todo foi muito divertido, bem diferente da sexta.. :/

      • Hyuriel Constantino

        hehe… Muito grato por apreciar minhas considerações, meu caro. E, de fato, esse evento nos ensina categoricamente que não se deve julgar um livro pela capa. Foi um card excepcional.

    • Nelson Junior Ticaum

      Belo texto… Praticamente um “setimo round”…. Artigo dentro do artigo… Inception do forum….
      Tu eh o cara, Hyuriel!!!!

      • Hyuriel Constantino

        haha… Muito obrigado meu caro. Tanto pelo elogio quanto pela singularidade do mesmo. xD

    • Rafael

      Belo texto. Muito bem elaborado.

      Contudo, cometeu um grande equívoco ao acusar a NÃO FALTA de GSP em qualquer card, bem como diminuir o provável espetacular embate na revanche de Rumble contra DC.

      Continue escrevendo.

      • Hyuriel Constantino

        hehe… Muito obrigado, meu caro. Fico feliz que tenha gostado e seu incentivo é de grande valia.
        Relativo ao equívoco, considere-o mais como uma hipérbole textual. Óbvio que a revanche entre Cormier e Rumble é uma luta extremamente aguardada e o retorno de GSP gera uma grande expectativa. Apenas quis dizer que mesmo com a ausência desses dois fatores, o evento não só foi capaz de se manter por si mesmo, como tb chocou positivamente a todos e quem deixou de vê-lo ao vivo por tais alterações hj deve se sentir ludibriado pelas própria seletividade. (rs)
        Além disso, foi graças a tais desfalques que a categoria dos penas pôde ser destravada, o Aldo voltar a ser o campeão por direito e Holloway projetar seu nome capitaneando seu primeiro Main-Event enumerado tb ganhando a visibilidade que merece.
        Portanto, foram males que vieram para bem. Sem contar que preterir DC x Rumble 2 e o retorno de GSP é menos dramático do que o destino de toda uma categoria que estava no limbo há onze meses.

        Essa é minha justificativa para essa hipérbole. hehe…

  • THIAGOD

    Se o Aldo não se preparar vai passar dificuldades com Holloway. Cerrone subindo na categoria pouco a pouco e de forma consistente. Choi demais até após a luta, realmente acredito que a derrota fará bem a ele, Swanson que por mim já era um porteiro da categoria mostrou que esta vivo ainda. Sou suspeito em falar do Gastelum, mas o melhor foi seu comentário de que o melhor pro Tim Kennedy é o teu ter.

  • Jeh

    Na verdade o Holloway disse: “Não conseguimos achar o Aldo, por isso estamos chamando ele de Waldo”
    Tá muito zoero esse orelhudo kkkk

    Caramba que evento foda, meu favorito esse ano depois do 203, quase tive um orgasmo quando Cerrone apagou o Matt Marrom

    • Hyuriel Constantino

      “Mete Marrom”. kkkkkkkk

      • Jeh

        kkkkkkkkkkkkkk

  • Agnaldo Ramalho

    “Se o Aldo não se preparar…”
    “Se o Aldo n levar a sério o Holloway…”

    Estava aqui pensando, quando foi que isso ocorreu?! No caso de McGregor, vamos combinar, fora a ansiedade do campeão, não deu para avaliar a preparação de ninguém. A verdade é que eu já vi este mesmo filme na segunda luta contra Edgar. Um desafiante brilhante e em grande fase, desconfiança em relação a Aldo e sua equipe aqui no 6R (isso n entra em minha cabeça), domínio do brasileiro na luta (técnica e taticamente) e silêncio daqueles que anunciavam a eminente derrota.

    Holloway e Edgar são lutadores fantásticos, o Havaiano dará luta dura para Aldo mesmo com a séria preparação que ele sempre faz, mas n vejo ele vencendo o brasileiro. Considerando que a luta transcorrera de pé (n vejo ninguém quedando a mantendo Aldo n chão em todo UFC) e que o americano vai para o pau e se abre bastante, o que enxergo é vantagem de Aldo no boxe, tanto na velocidade das mãos quanto no Punch.

    • THIAGOD

      Acredito que em termos de técnica e física o Aldo muito melhor, não o vejo o Holloway vencendo, mas o descrédito com relação ao Aldo é mais pelas besteiras que fala e a derrota para o Conor. O Holloway vem falando muito tem que ver se isso vai mexer com o campeão.

    • Wadson

      Agnaldo foi perfeito !! O que me faz coçar a cabeça aqui é que agora falatório virou critério de avaliação pra luta ! Que diabo é isso ? O Aldo tem mais é que esculachar o Connor mesmo, pra cavar uma revanche que ele já tinha direito desde o ano passado.

      • Agnaldo Ramalho

        Velho..
        De uns tempos para cá eu tenho ficado até desanimado com o esporte por conta dessa “novelização” do MMA. Parecem um bando de meninas fofoqueiras debatendo picuinhas, em detrimento da análise marcial da coisa.
        “Ai, vc viu como o Aldo só fala bobagens? Não tem assessoria, que coisa off!” “Bom é o McGregor, aquele sim é um bofe escândalo que sabe vender suas lutas e domina o microfone (ui!)”
        Parecem jornalistas da Caras, PQP!!
        Eu assisto e amo esse esporte por conta do que cada um faz no cage, ponto!! Se o cara é hábil com as palavras que vire político, orador, palestrante, jornalista do 6R… Não me importa!!
        Aldo é um gênio do esporte, um dos maiores, mas, ainda assim, é tratado como um qualquer por não ser habilidoso para vender suas lutas. Arrumem um “consultor independente” da Herbalife para fazer malabarismos ao microfone e deixem o artista fazer o que ele sabe, bater em outro homem (como diria Massara, o mito).

        • Wadson

          Perfeito Agnaldo !!! Um dos momentos mais bizarros pra mim foi quando depois da vitória do Aldo sobre o Edgar quando o Aldo pegou o microfone, e quase não vi um jornalista comentando a vitória. Questionaram o fato do Aldo ter aproveitado pra promover o filme, gente dizendo que a homenagem ao Dedé foi forçada, que o Aldo não deveria xingar o McGregor … enquanto isso, o Kenny Florian dizia no Twitter: “Não foi o Aldo quem voltou … foi o Mestre Aldo !”.

          • Agnaldo Ramalho

            Concordo com tudo! Ocorreu exatamente isso.

    • Tomé

      Aldo nunca precisou mostrar nada muito diferente desde que entrou no UFC. Sempre teve vantagem física, técnica ou ambas contra todos os seus adversários, exceto o McGregor. Jogo do Edgar não casa com o dele de jeito nenhum. Além de ser mais alto e ter maior envergadura, o Aldo tem uma defesa de quedas excelente.

      Contra o havaiano é completamente diferente. Naquilo em que o Aldo sempre teve vantagem contra seus adversários é justamente onde o Holloway se destaca. Levar a sério significa acrescentar algo novo e não vir com a receita de sempre. Holloway tem volume, arsenal variado, velocidade, envergadura, queixo, bom jogo de grade e vontade de chegar ao topo.Tem que ser tratado como o animal diferente que é.

      • Hyuriel Constantino

        Mas Aldo já enfrentou Kenny Florian, originalmente um peso médio. O cara era bem mais alto e com maior envergadura que o brasileiro. Ainda assim foi obliterado.

        • Tomé

          Florian era peso leve. Das suas 20 lutas na carreira, somente 5 não foram pelo peso leve. Médio mesmo, só na final do TUF 1 em que foi nocauteado pelo Diego Sanchez. Imagina só…. Sanchez de peso médio….

          De qualquer forma, mesmo com a vantagem no tamanho e envergadura, Florian era um lutador apenas razoável. Envergadura e tamanho são diferenciais para lutadores tecnicamente equivalentes. Um Kendall Grove da vida tem o tamanho e a envergadura, mas falta talento. Mesmo em seu auge, Florian não tinha as armas que o Holloway tem. E discordo que o Aldo tenha obliterado. Ele ganhou com tranquilidade, mas na base do volume, como sempre fez no UFC. Holloway é diferenciado e vem cheio de confiança. Precisa ser encarado de forma diferente.

          • Hyuriel Constantino

            Aldo com certeza não subestimará Holloway. Mas o havaiano tem mais trabalho duro do que talento e bater um cara como Aldo exige tb bastante talento.

      • Agnaldo Ramalho

        Não dá para se reinventar de uma luta para outra, ninguém faz isso. O que pode ser feito (e Aldo sempre faz) são ajustes técnicos e táticos de oponente para oponente. A envergadura de Holloway, apesar dos seus 1,8 de altura, é menor que a de Aldo (salvo engano) e suas muitas habilidades, na minha opinião, se chocam e perdem para as do manauara. É um perigo real e dará trabalho, mas acho Aldo um perigo ainda maior para ele. E digo mais, se vier para a troca franca, como fez com o Lamas, vai cair.

        • Tomé

          Entre acrescentar algo novo e se reinventar existe um abismo. Se trata do primeiro, não do segundo. Sinceramente eu não vi nenhum mudança técnica (ou ajuste, whatever…) significativa que o Aldo tenha feito em suas últimas 5 lutas que ele já não tivesse apresentado nas anteriores. Ocorre que ele, como eu mesmo disse, sempre teve vantagens físicas, técnicas ou ambas sobre seus oponentes que não sei se terá contra o Holloway e tenho lá minhas dúvidas sobre a capacidade do camp do Aldo em adaptá-lo a a essa, para mim, nova situação (um adversário capaz de igualar ou superar o Aldo em todos os seus pontos fortes). Daí a minha preocupação como torcedor. Perigo sempre há e o Aldo é o campeão. Isso não se discute. Mas a pior coisa que pode acontecer a ele e seu camp, na minha opinião, é tratar este desafio como outro qualquer.

          • Agnaldo Ramalho

            Veremos!
            Coloco minhas fichas no Aldo, pois acredito que ele possui mãos melhores. Sou muito fã do americano também, mas acho que sua maior arma, sua agressividade e ímpeto, será também sua maior armadilha. Lutão, já estou me tremendo de nervoso só de pensar.

    • Nubia Castro

      Vc foi perfeito em suas colocações. Do jeito que falam, até parece que Aldo foi um campeão dominante menosprezando seus oponentes e não se preparando de forma adequada para suas lutas. Até outro dia Aldo era “o cara” e agora o tratam como se fosse um lutadorzinho medíocre.

    • Forista de São Paulo

      Vejo vantagem do Holloway no gás e no volume. Edgar é fantástico, mas nem de perto tem o mesmo volume em pé do orelhudo. Aliás, o Aldo ainda não pegou alguém com essas características.

      • Bolsomito2019

        agora lascou… Edgar não tem volume!
        arriégua, valei-me minha nossa senhora
        https://uploads.disquscdn.com/images/cffd57d0a3a9993f77d4807c7bfc7b12aabd941a0adf6d40dcdaff3d84b94012.gif

        • Forista de São Paulo

          Seu analfabetismo combina com seu Nick.

          • Bolsomito2019

            Risos opressores hahahhaha

      • Vinicius Maia

        Mano do céu… Edgar tem o melhor gás da categoria, um dos melhores queixo, um jogo de quedas e abafa monstruoso e um boxe alinhado pra caralho que tirou o Mendes pra nada. Ninguém tirou o Mendes pra nada e ele tirou. Numa possível luta de Holloway x Edgar eu aposto meu dinheiro no Edgar de olhos fechados. Holloway é excelente mas o buraco com Aldo é mais embaixo.

        • Forista de São Paulo

          As comparações foram em relação ao Aldo. O Holloway tem mais gás que o Aldo, que já perdeu últimos rounds justamente pela queda de gás. Vide a primeira com o Edgar e a luta contra o Lamas. No mais, Edgar não é um striker de tanto volume e praticamente não chuta. Com certeza numa luta de em pé, eu apostaria todas as minhas fichas no havaiano contra o Edgar.

          • Vinicius Maia

            Da aonde tu ta tirando que o Holloway tem mais gás que o Aldo? Tu já viu uma luta de 5 rounds do Holloway? Eu nunca vi. Pra saber realmente se o que tu falando é verdade e eu duvido muito pois se o Aldo lutou e dominou o Edgar na segunda luta e não cansou não vejo o gás do Holloway tão superior assim não. Desde a luta contra o Kenny Florian eu não me lembro do Aldo abrir o bico não (diminuir o ritmo todo mundo diminui).
            E luta em pé não existe no MMA. Vejo o Edgar bem mais redondo em todas as áreas que o Holloway. Até mais experiente. Lutas duras com favoritismo pros veteranos no meu ponto de vista.
            Eu gosto demais do Holloway e acho que ele vai dar trabalho pro Aldo mas Aldo é um lutador diferenciado veio. Maluco nasceu pra lutar. Nas CNTP não vejo o Holloway vencendo.

          • Forista de São Paulo

            Edgar chuta? Tem combinações? Tem alguma sequência que seja diferente de jab jab e direto? Edgar tem um boxe alinhado, competente e previsível. Só. Nao tem bala na agulha pra vencer o pettis por tko ou fazer o McGregor virar grappler nem a pau. Fora a proporção física. Aguarde e verá.

          • Vinicius Maia

            Mc Gregor virou grappler por que machucou o joelho veio. Não foi por que o Holloway é um ET.

          • Felipe Oliveira²

            Amigo, com todo respeito você ta viajando um pouco, e parece que ta repetindo o que ouviu alguem dizer. Se você assistir a luta do Max vs Mcgregor vai perceber que o Conor estava levando vantagem em pé até se machucar. Dizer que Edgar não tem “tanto volume” é até engraçado. Eu te entendo quando você diz q Holloway será um grande desafio pro Aldo, e concordo, principalmente por conta na qualidade no strike e tamanho, mas esses outros argumentos são muito forçados.

          • Forista de São Paulo

            Forçado mesmo é achar que alguém com o boxe básico do Edgar representa o mesmo perigo em pé que um sujeito que chuta, golpeia em todos os níveis e venceu o pettis numa luta praticamente de kickboxing. Edgar tem pressão, mto em parte pelo wrestling, e um boxe pra lá de previsível. Além de ser um peso galo natural.

          • Felipe Oliveira²

            Amigo, você leu meu comentário ou só ficou chateado e veio “réplicar”? Em que momento eu disse que eles representam o mesmo perigo?
            Como eu disse em cima concordo com você que o Holloway é um grande perigo pro Aldo, pela qualidade que ele tem em pé e o tamanho. Os meus pontos de discordância são os seus argumentos de que Edgar “não tem tanto volume” e “McGregor teve que virar grapler”.
            Não leve tão pro pessoal hehehe

      • Agnaldo Ramalho

        O Zumbi Coreano tinha, à época, um jogo parecido com o do Holloway h Para o bem e para o mal o americano vai mais para a troca franca, já o Coreana era mais estratégicoj. O orelhudo é um desafio enorme para Aldo, mas o brasileiro é um desafio ainda maior para ele.

    • Paulo Souza

      “””””No caso de McGregor, vamos combinar, fora a ansiedade do campeão, não
      deu para avaliar a preparação de ninguém.””””””…vc tem razão o que
      aconteceu não tem nada haver comm preparação, tem haver com técnica. O
      aldo se projetou para atacar o conor e o conor deu um passo para tras e
      acertou um cruzado de esquerda bem colocado, foi um lance muito tecnico,
      o aldo na época disse que tinha ensaido aquele ataque que fez contra
      connor e ja aplicou em varias lutas, então o aldo não foi ansioso, ao
      contrario realizou um ataque planejado , uma pena que esse lance do
      conor seja amortizado com palavras do tipo: sorte, ansiedade do aldo,
      etc..Acho que a realidade deveria falar mais alto e derrota faz parte,
      não há necessidade de amortizar, ela tem que ser aceita e mais nada..

      • Agnaldo Ramalho

        Concordo em parte com você. A resposta ao ataque do Aldo tem haver, de fato, com a excepcional técnica de contragolpe de McGregor, mas, embora o brasileiro tenha falado que o golpe foi ensaiado (o que comprova o que eu falei sobre ele levar as lutas a sério e se preparar para os seus oponentes adequadamente), quem o acompanha sabe que aquele ataque com pouquíssimo tempo de luta demonstra que ele estava fora da casinha da racionalidade. (e isso não retira 1mm do mérito do irlandês, nem diminui o excepcional lutador que Aldo ainda é).

  • Saulo Henrique

    Já vou pedir desculpas pelo exagero. .mas obrigado Deus por fazer essa luta do choi contra o Swanson. Foi uma das coisas mais bonitas que já vi..e olha que vejo minha namorada pelada todo dia. Haahah. Mas zueiras a parte, Max foi merecedor, e que venha Aldo vs Holloway em março. 🙂
    Sexto round, que site foda.

    • KRS Porlaneff

      Tom Brady, é você? rssssss

      • Saulo Henrique

        Haahahahaha, boa, KRS.

  • Lucas Santana

    Se eu fosse o UFC, investia no Vannata e no Choi, um é um trocador fluído com jogo chamativo e muito bonito de se ver, já o outro será a principal porta de entrada do UFC no oriente. Já o Swanson com mais uma vitória poderá ser um novo desafiante a categoria mas depende da luta entre Aldo e Holloway, se Aldo vencer ele pode disputar o cinturão agora se o Blessed vencer o próximo desafiante deve ser o Edgar. Donald Cerrone está imparável na divisão, se eu fosse o Demian pediria uma luta contra o Cowboy pra não ser passado para trás, já o Brown está mostrando sinais de que está na descedente visto que seu queixo teve alguns problemas nas ultimas lutas mas mesmo assim ainda deve ser mantido no evento.

    • Hyuriel Constantino

      Eu acho que Brown não tem o queixo ruim. Aquela pedrada que ele levou do Ellemberger e a bica arrancadora de cabeças do Cerrone eram capazes de nocautear até um rinoceronte.

      • Lucas Santana

        ele tem um baita queixo, mas ele está começando a ruir.

  • João Monteiro

    Não sei se dá pro Aldo não.

    • Hyuriel Constantino

      Eu acho que dá, cara. Aldo é um cara que consegue implementar sua estratégia como poucos e Holloway, por mais promissor que seja, ele não tem a aura ameaçadora do McGregor. Além disso, não é um atleta excepcional per si, mas pelo trabalho duro, e talvez trabalho duro não seja tudo para bater um cara como o Aldo. Nessa hora, é onde tenho que afirmar que McGregor teve o talento como crivo para sua vitória mais histórica.

      • João Monteiro

        Ainda acho que a altura e envergadura do havaiano serão problemas para Aldo, como foi com McGregor. Tendo também a apostar no brasileiro, mas não ficaria nada surpreso se Holloway levasse a unificação numa decisão dos juízes…..

        • Hyuriel Constantino

          Sim, com certeza o tamanho do Holloway será o maior empecilho pro Aldo, sem contar o gás e o footwork do havaiano.
          Contudo, creio que o Aldo pode vencer na base do contra-ataque, precisão, contundência dos golpes e fechando o cerco em alguns momentos. Pelo menos esses são os elementos necessários pra bater o Holloway.

  • Gabe Thai

    Galera, se assim, com todas essas mega-lutas, mostrando-se queixo de Rocky Balboa, o cara ao invés de com milhares de golpes ser nocauteado, golpeava também e quase nocauteava, vemos um Cowboy nocauteando com um belo chute logo depois de levar 2 knockdowns, um Holloway tirando Pettis pra nada, um cara super promissor nocauteando á lá Edson Barboza, imagina se tivéssemos ainda DC x Rumble?

  • Álvaro

    Sintomaticamente, Aldo queria o Pettis. Deu ruim. Acabou o Natal. Chega de presentes!

    • Hyuriel Constantino

      Queria pela rentabilidade, mas depois reconheceu que o próprio Holloway era o adversário mais digno para disputar o cinturão.

    • Matheus V.

      Ele queria o Pettis de Natal, mas não vai ganhar pq foi um Evil Aldo…

      • Hyuriel Constantino

        kkkkkkkkkkkk

  • Fernando Ribeiro

    Que evento! meus destaques vão pra Sucuri, Swanson, Superboy e Holloway. A Sucuri, que no papel deveria ser apenas uma luta de recuperação pra Valerie, a la Nate Diaz ( na primeira luta com Mcgregor)também fugiu do script original e acabou roubando a cena. Foi Garfo? na minha opinião garfo mesmo é só quando a coisa é tão nitida que chega a ser constrangedora, tipo Satoshi Ishi vs Quintom Jackson, Ashlee Evans Smith vs Marion Reneau, Al Iaquinta vs Jorge Masvidal, entre outros. O que eu acho chato é ficar dizendo ” lutador x ganhou a luta claramente” em casos onde há muita margem pra interpretação, tipo Lawler vs Condit, Bisping vs Henderson, Lineker vs Dodson, entre outros. Se a luta foi apertada eu não vejo o porque de levar essa discussão adiante, então pra mim foi uma vitória justa.
    Swanson e Choi protagonizaram uma das melhores lutas que eu já vi, provavelmente a FOTY, até o momento a FOTY pra mim era Anderson Silva vs Michael Bisping, mas eu acho que foi superada ontem, mas preciso rever ambas lutas pra dizer com propriedade. E tá todo mundo falando só do Choi, com razão aliás, mas vamos dar mais créditos ao Swanson, o cara mandou bem demais. Vou sempre lembrar desse evento como ”o evento que rolou Swanson vs Choi”.
    E a ultíma luta, que decepção! não da luta, do sinal. Quando o sinal caiu eu rapidamente pedi um link no forum daqui, mas após eu comentar o forum também caiu! fiquei um tempão dando reload na pagina mas só aparecia aquela mensagem, alguma coisa com gateway down, algo assim. Fiquei igual barata tonta sem saber o que fazer, então fui pro Youtube e procurei pela luta usando aqueles filtros pra pegar só resultados ao vivo, o que eu encontrei foi um audio da luta na narração gringa, então eu fiquei ouvindo a luta como se fosse um rádio, meu inglês é bem fraco, o que consegui entender foi que o Pettis quebrou a mão, continuei procurando no Youtube e encontrei a luta ao vivo numa imagem sofrível com uma marca gigante na tela, vi o segundo round e um pedaço do terceiro, quando o video caiu foi questão de segundos o sinal do Combate retornou, foi até um pouco estranho. Após o término da luta eu a vi completa no Youtube, não achei grande coisa, mas certamente era minha irratação que não permitiu me empolgar. Vitória previsivel do Holloway, entra com moral na disputa com Aldo. Quanto ao Pettis, eu espero que o UFC lhe dê uma luta de recuperação e não pedreira atrás de pedreira como o que fizeram até agora, é triste um lutador há não muito tempo um dos top do mundo em tamanha decadência, ele só tem 25, tem muito tempo pra voltar a ser o Showtime, mas pra isso o UFC tem que colaborar. E me desculpem pelo meu desabafo sobre a queda do sinal hahaha!
    Nota: o Holloway tá passando da hora de adentrar no Ranking P4P, Rockhold e Lawler que vem de derrotas devem sair.
    Nota 2: Acho que fiquei numa boa posição no confere, acho que só errei na luta do Vannata, vacilo meu… Mas acertei a vitória do Swanson por pontos, se bobear entro no top20! E rumo ao topo!

    • Hyuriel Constantino

      Como vc foi capaz de apostar contra o Vannata?! kkkkkkkkkkk

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Choi e Swanson merecem uma estátua em Toronto, luta sensacional… nunca tinha visto tamanha carnificina, não teve uma luta do card principal que foi ruim, fez jus as expectativas de lutaças no card.

    • Bolsomito2019

      vei, que massa essa ideia… não sei em toronto
      mas tem doido pra tudo
      seria massa (visionário talvez) se a gestão fizesse um
      marketing desse

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        hahaha, pior que foi

  • Denys Ferreira

    A luta do Swanson x Choi foi FODASTICAMENTEFODA
    Mas a luta do ano foi Lawler x Condit (Se não, a melhor de todos os tempos)
    Depois vem Woodley x Thompson!

  • bedotRJ

    Por isso que eu havia dito, após o evento de Nova Iorque, que o UFC 205 foi apenas ‘bom’, mas não espetacular. Vimos essa madrugada o que realmente significa um evento espetacular. Com uma ou outra exceção, só lutaço. Chances reais de saírem desse evento a luta e o nocaute do ano. Isso resume o que foi o UFC 206, redimido na prática pelas quedas das atrações principais.

  • Anderson Tomaz

    PQP! PQP!
    Que evento bom da porraaaa!!!!
    Surtei quando Cerrone nocauteou o MALA do Brown com aquele incrível head kick… Brown não teve espirito esportivo nenhum durante os face offs e divulgação prévia… Nem tocar luvas quis… Esses tipos de lutadores não têm meu respeito/torcida de forma alguma…… Golpe na hora certa já que pra mim a luta tava bem acirrada

    Vanatta com selo Jackson Wink MMA Academy … CARALHO, aquele rodado veio da onde velho??? lol

    Vi garfo na luta da Letourneau coitada kkkk, ainda vai ter que desembolsar 20% da sua pífia bolsa (as meninas, infelizmente, ganham menos que os rapazes ne?) por não ter batido o peso… WFLY pra ontem UFC, PFVR… Torci muito pra brasileira que pegou a luta em short notice e tá invicta… Acho que a invencibilidade contou pros juízes.

    Luta principal bem mais ou menos ein

    Aliás, Cub Swason e o Doo Ho Choi QUE LUTA EIN! Muito coração do coreano… Uma das melhores que eu assisti

    Kelvin Gastelum engoliu o Kennedy… Como não resiste a um Big Mc deveria permanecer nessa categoria ein… Ainda mais que nem peso cortou, segundo ele, e em minha opinião lutou com o mesmo desempenho

    Deveriam ter sido distribuídos mais prêmios porque o evento foi top!

    • magnuseverest

      Concordo além do bônus para Max e Lando V…Cerrone e Kelvin mereciam tb. A luta da noite tinha que ser Cub vs Choi mesmo;quem sabe casam Pettis contra Lando.

  • Savio Cardoso

    Sensacional o UFC 206, simplesmente todas as lutas foram bem disputadas pelos lutadores como a algum tempo eu nao via mais nos UFCs, lutadores vendendo caro suas derrotas e mostrando ao publico bastante garra, determinacao, tecnica, coracao, e mostrando o que realmente é preciso para se ter um verdadeiro grande evento de mma, mais especificamente o UFC, e nao dependencia de promocoes de eventos em cima de lutadores modinhas ou de trash talkes imbecis, parabens a todos os lutadores que adentraram no cage nesse evento, azar de quem nao gosta realmente de mma e perdeu de assistir esse porque nao havia nenhum lutador de cinema ou bate bocas midiaticos entre lutadores antes das lutas, viva ao bom e velho mma onde so boas lutas entre lutadores importa. Vou assistir a reprise denovo aqui, mais umas tres vezes, abracos !!

  • Renan Oliveira

    Foi bom esse evento, depois daquela vergonha de sexta.

  • magnuseverest

    Se o camarada paga pra ter o PPV e por algum motivo “falha o sinal”,eles devolvem a grana ou dão algum bônus,vi muita gente reclamando ontem,só curiosidade não tenho o Canal Combate,mas minha NET vive caindo por aqui.

  • flavio israel

    confesso que o evento me surpreendeu , não esperava lutas emocionantes,mas, tivemos belos nocautes como : chute de Vannata em Makdessi, chute de Cerrone em Brown e a melhor luta do ano até aqui Chooi e Swason que lutão ! sobre o main event só vi hoje (como todos sabem sinal do combate caiu) vimos Holloway sedento nocauteou Pettis e agora pronto pra enfrentar Aldo.

  • Leo Corrêa

    No final, vacilo do Matt Brown em deixar a cabeça 300 anos lá embaixo hein? só faltou pedir aquela patada derradeira do Cerrone. No mais, luta emocionante, cheia de “reviravoltas”, do jeito que a gente gosta. 🙂

Tags: , , ,