Lombard, Condit e Sanchez em três perguntas quentes

Renato Rebelo | 13/03/2014 às 20:11

Com sete dos 15 melhores meio-médios do planeta, o UFC 171, que rola neste sábado no Texas, definirá o novo campeão da categoria dominada por Georges St-Pierre de agosto de 2007 a novembro de 2013.

Mas, antes de uma das principais estrelas (Robbie Lawler ou Johny Hendricks) afivelar o cinto dourado, outras perguntas serão, necessariamente, respondidas.

Confira três delas:

1Kryptonita para Condit?

Carlos Condit é, questionavelmente, o striker mais letal e experimentado da categoria até 77kg do maior evento de MMA do mundo. Seu calcanhar de Aquiles, no entanto, sempre foi a impetuosidade de grapplers capazes de mantê-lo de costas pro chão. Vimos sua defesa de quedas melhorar nos últimos anos – assim como sua guarda-, mas, contra os foras de série GSP e Hendricks, o “Assassino Nato” só conseguiu oferecer resistência física e coração. Talvez, algozes do passado, do quilate de Jake Shields, Pat Healy e Carlo Prater (apesar da vitória espírita, quero citar também Rory MacDonald, que o arremessou de um lado para o outro feito boneco de pano por 10 minutos) se arrasariam hoje em dia – mas e outro wrestlerzão de elite (tipo Tyron Woodley)? Pra ilustrar, o “Escolhido”, terminou seu primeiro ano colegial invicto, com 52 vitórias na NCAA. Woodley, formado em agronomia, ainda adicionou uma pesada mão direita ao seu arsenal – que deitou Jay Hieron e Josh Koscheck em 2013. Em suma, é claro que Condit possui maior volume de jogo e experiência, mas Woodley está longe de ser esse mamão com açúcar que pintam por aí. O benefício da dúvida (vai quedar ou bater?) às vezes é cruel demais pra quem depende da trocação para levar o leite das crianças…

2Entediante ou babaca?

Com “sou fanático por lutas e não consigo assistir as deles. Acho que ninguém consegue. Ele é muito entediante e ruim para o esporte” e “ele é um babaca. É aquele cara que ninguém gosta na academia, que machuca os outros para se auto-afirmar” Hector Lombard e Jake Shields deixaram claro que não passarão o natal juntos esse ano. Felizmente, ambos não permitem que a animosidade ofusque seus julgamentos: “Ele já bateu grandes nomes do esporte e tem um jogo que, mesmo chato, é eficiente” – reconheceu o cubano-australiano. “Ele é um grande lutador que nunca foi finalizado e tem uma tonelada de nocautes. É talentoso” – analisou o pupilo de Cesar Gracie. Vale lembrar que o americano vem de vitórias sobre Demian Maia, Tyron Woodley e, em passado não tão distante, despachou tanto Carlos Condit quanto Robbie Lawler (nomes que estão à sua frente na corrida pelo cinturão). A questão é se Shields conseguirá grudar no judoca olímpico, que também é faixa-preta de jiu-jítsu (de Ricardo Libório), para implementar seu nada pomposo, porém efetivo, jogo de isometria. Se sim, provavelmente, teremos três rounds mornos. Se não, apesar da envergadura inferior (1,84 x 1,80m), o ex-campeão do Bellator, com seus bracinhos de dinossauro recheados com TNT, deve causar problemas à integridade física do vegetariano.

3O velho coração aguenta a fúria jovem?

A capacidade de Diego Sanchez causar calafrios em nós, fãs do esporte, é inquestionável. Acontece que o vistoso estilo kamikaze também cobra um preço altíssimo. Manchas no cartel e uma pá de mazelas físicas graças à imprudência e à ausência de planos de voo podem botar o futuro do rapaz de apenas 32 anos em xeque. De olho na longevidade e nos resultados, o “Sonho” (ex-Pesadelo) garante estar mudado. “Eu sempre vou lá e causo uma grande briga, mas, para ser campeão do UFC, você tem que ser um kickboxer de elite, eficiente e professional. Por isso, para esse luta, me dediquei seis dias por semanas à minha trocação e à ioga. Esse é meu segredo, além de toda a corrida, wrestling e treino de MMA, para balancear meu corpo, alcançar a longevidade e ser mais eficiente dentro do octógono”. A questão é: será que, na hora aperto, o Sanchez comedido não dará lugar ao lunático que morde o protetor bucal, abaixa o queixo e sai cuspindo raquetadas? O estratégico Myles Jury, faixa-preta de jiu-jítsu invicto em 13 lutas, espera que sim. “Fury”, como é conhecido na Alliance MMA, curte jabear, lança um direto de direita pesadinho e controla rivais no chão com maestria – mas também não reinventa a roda. Cabe a Sanchez, que já bateu de frente com meliantes mais periculosos desde o TUF 1, apostar um pouco menos no coração e mais no cérebro.

Qual seriam as respostas de vocês para estas perguntas, amigos?

Abraços.

  • diego

    Acho q Héctor Lombard nocauteia… Acho q Condit x Woodley sera a luta da noite, não sei quem ganhará e Diego Sanchez finaliza Myles Jury em outro lutasso

  • Renan Trindade

    Rebelo, o rei da síntese! Otima coluna cara! Respondendo: 1- Não / 2- Babaca / 3- Aguenta!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Na torcida pelo Carlos ( um dos meus lutadores favorito), Shields (nessa vou em dar mal, creio) e Sanchez.

  • Eu quero que se embole tudo, meu amigo!
    Woodley ganhando do Condit e Lombard ganhando do Shields.

  • Leo Ferreira

    Se a mão do Woodley não atravessar Condit, ainda assim The Chosen One deve vencer o combate na base da isometria. Condit é muito técnico, mas não tem taaaanta pressão nos golpes e Lombard espanca Shields no primeiro round. Ta me cheirando a nocaute de Sanchez no primeiro round tmb.

Tags: , , , , , ,