Sexto Round palpita: Ronda Rousey x Sara McMann

admin | 21/02/2014 às 21:46

Neste sábado, veremos, pela primeira vez no octógono do UFC, um confronto entre medalhistas olímpicos.

Falo de Sara McMann, segunda melhor wrestler estilo livre até 63 quilos em Atenas, 2004, e a judoca Ronda Rousey, bronze em Pequim, 2008.

As meninas disputarão o cinturão da categoria feminina até 61kg em duelo estilisticamente intrigante.

Para tentar entendê-lo, vamos aos chutes das Mães Dinahs do Sexto Round:

FERNANDOFernando Cappelli 

É chover no molhado palpitar que a campeã Rousey pode reinar soberana por mais um bom tempo até aparecer alguém com um antídoto forte para anular seu jogo de grappling. Wrestler medalhista olímpica, McMann só atuou uma vez pelo Ultimate e está invicta profissionalmente (sete vitórias). Com porte físico avantajado para a categoria, traz um estilo copeirão, com aquela mistureba maluca de expertise/contundência nas quedas com um par de combinações básicas de socos e chutes. No solo, estabiliza e controla bem por cima, além de saber dar sufoco no ground and pound. No geral, a batalha de minúcias e isometria nos clinches deve ser mais que interessante pelos estilos em colisão. Na última luta, Ronda aproveitou a tática kamikase de Miesha Tate – que inadvertidamente se mandou para o infight – e aplicou uma variedade perfeita de ippons clássicos do judô até encaixar outra das famigeradas chaves de braço. A campeã tem se esmerado em melhorar e ampliar as virtudes no solo quando está por baixo, o que possivelmente deve ser colocado à prova durante o combate contra alguém com tanto calibre em colocar para baixo como McMann. Mas Ronda manterá a cinta com outra finalização e outra chave de braço.

RENATO_EDITRenato Rebelo

Acho que, pela primeira vez, Ronda Rousey encontrará seu número no MMA. E digo mais: no duelo isométrico wrestling x judô, prevejo o quadril tinhoso de “Rowdy” sucumbindo à tenacidade do “double leg” da desafiante – que conseguirá quedar e se manter por cima. Acontece que, contra Tate, a campeã provou ter um quadril soltinho e deu botes venenosíssimo da guarda – tanto que quase pegou a inimiga no triângulo. Até por desconfiar do sistema defensivo de McMann, acho que o trabalho dos irmão Rener e Ryron Gracie na Califórnia pagará dividendos no UFC 170. Sendo assim, quando Sara lançar seu ground and pound, Ronda, como uma flecha, atacará. Armlock da guarda no segundo round e a nona vitória da carreira na conta da rainha do Ultimate. Em tempo: não creio que duas moças acostumadas a fazer pessoas de boneco de pano desde a infância nos proporcionarão 25 minutos de kickboxing amador…

LUCASLucas Carrano

Vejamos se nesta semana quebro a incômoda marca de sempre acertar os vencedores das lutas, mas em todas as vezes errar a forma como o combate vai se encerrar. No duelo das invictas Ronda Rousey e Sara McMann, por motivos óbvios (leia-se uma medalha olímpica de prata no wrestling) não veremos a campeã com facilidade para quedar a adversária, como aconteceu contra Miesha Tate. Este cenário deve abrir brecha para um aspecto muito falado, mas pouco demonstrado, do jogo de Rowdy: sua trocação. Acredito que neste combate teremos a chance de comprovar se a constantemente proclamada confiança de Edmond Tarverdyan nos punhos de Ronda tem fundamento ou não. Falando em convicção, Ronda afirmou que vai vencer a luta “da maneira mais espetacular possível”. Como acho improvável que ela se esquive de um Hadouken desferido por McMann e ganhe com um Kamehameha certeiro (já que é fã confessa de Dragon Ball Z), vou apostar que mais cedo ou mais tarde ela encontrará uma forma de aplicar sua arma nada secreta: a chave de braço. Vencendo, assim, por finalização no R2.

E pra vocês, amigos, quem leva essa?

  • Evandro Juninho

    ” Como acho improvável que ela se esquive de um Hadouken desferido por McMann e ganhe com um Kamehameha certeiro… ” haha sensacional!

  • Renan Trindade

    Se a Sara fosse melhor em pé, podia manter a luta na trocação defendendo as quedas. Mas, como ela não é, vai acabar tendo o braço colecionado msm. Concordo com vcs

  • André Oliveira

    Vou de Sara McMann pra essa luta. Acho que vai ser bem difícil pra Rowdy derrubar e se manter por cima, e não vi nada de empolgante ou de perigoso na sua trocação, já a Sara me parece mais forte e com uma trocação mais afiada. Com a Sara derrubando e fazendo seu ground and pound, não sei se a ronda tem o que precisa pra reverter a luta.
    É um casamento bem interessante e que vai tirar a invencibilidade de uma medalhista olímpica. Ia ser bem bacana ter uma troca de campeãs, mas no caso de a Ronda continuar com a cinta, então é hora de assinar com a Cyborg e fazer acontecer a luta feminina mais esperada do esporte.

Tags: , ,