Passando a limpo: jornalistas analisam o card principal do UFC Fight Night 36

Renato Rebelo | 17/02/2014 às 17:19

Ainda na sala de imprensa da Arena Jaraguá, convoquei Ivan Raupp, repórter do Combate.com, e Dudu Ferreira, editor-chefe da revista Tatame, para me ajudarem na leitura das principais lutas do UFC Fight Night 36.

O bate-papo você confere abaixo:

  • zagolee

    1. Não concordo com o Ivan sobre o Charles, porque o Charles já chegou no UFC superestimado (Tinha vencido tudo no Brasil). Venceu as duas primeiras e depois pegou um grande teste que era Jim Miller e perdeu, perdeu pro Cerrone e baixou de categoria, venceu mais duas, logo pega um dois ótimos testes que foi o Cub Swanson e Frank Edgar e perdeu as duas… Venceu Ogle ótimo, mas agora tem vencer grandes nomes sem nenhuma luta preparatória (ou molezinha)! Não tem conversa!

    1. Não concordo com Dudu Ferreira sobre o Lyoto baixar de categoria e estar mais forte e mais rápido, porque simplesmente ninguém baixa de peso como a maioria faz e fica mais forte oras… Isso não existe nem pro Lyoto nem pro Mousasi!

    Vou explicar! A força muscular tem relação direta com a secção transversa do músculo, ou seja, maior o músculo mais força será gerada… O “mais rápido” também não acontece, pois, para ter mais velocidade teremos que falar em potência muscular que é força x tempo. No caso específico dos lutadores que se expõe as dietas de perda de peso tem suas reservas endógenas de glicogênio depletadas que não são recuperadas em 1 dia (Por isso acho o Mestre Machida pai do Lyoto um gênio… kkk!). Esse glicogênio é a energia necessária para a contração muscular plena. Essa exposição do atleta nestas dietas não o fazem atletas melhores nunca, pois fisiologicamente não estão lutando 100% e por isso acho que poderiam render muito mais com seus pesos absolutos verificados durando todo os treinamento. A discussão de como fazer o treinamento perfeito só contratando zagolee mesmo… kkk! (Yao Ming rindo.jpg)

Tags: ,