José Aldo x Jon Jones: quem é o melhor peso por peso?

Renato Rebelo | 06/02/2014 às 20:23

Começo meu textículo de hoje explanando o óbvio ululante: todo conceito por trás da famigerada lista peso por peso – chupada do boxe pelo MMA – é absolutamente abstrato.

Afinal, a mesma regulamentação que ajudou a massificar as regras do esporte também proíbe que Royce Gracie e Chad “Akebono” dividam novamente o mesmo cercado.

Com desafios entre atletas de medidas discrepantes enterrados no passado e a impossibilidade física dos mais levinhos darem as caras num torneio como o saudoso GP Openweight do Pride, por exemplo, só nos resta recorrer à imaginação para fantasiar quem é, proporcionalmente, o melhor do planeta.

Na real, não somos muito diferentes de nerds que debatam com afinco se o Super-Homem bateria o Batman num duelo.

Mesmo assim, analisamos, a torto e direito, feitos individuais em cenários distintos para chegarmos a algo próximo de uma conclusão.

E é mais ou menos isso que farei aqui – sem intenção de apontar um vencedor (até por que não há).

Vamos lá:

José Aldo

130203020451-aldo3-420-single-image-cut

Frankie Edgar: luta mais dura para Aldo no UFC

Júnior está para a categoria até 66kg do Ultimate como um OG (Original Gangster) está para máfias que comandam guetos americanos. Ou seja, não há predecessor, foi ele o cara que deu o pontapé inicial no jogo. Isso implica no fato de que, como primeiro campeão, Aldo sempre teve que treinar para 25 minutos de pau-pereira. Antes, ele já havia defendido duas vezes o título no extinto WEC e despachado outros 16 caboclos (seis no próprio WEC e 10 em eventos menores). Há oito anos e dois meses o manauara não sabe o que é perder, nem correr riscos reais – incluindo dois ou três minutos de ground and pound de Mark Hominick e Ricardo Lamas. Desde que deixou o Pancrase e assinou com a Zuffa, seus triunfos podem ser quebrados da seguinte maneira: nove KOs/TKOs e cinco decisões unânimes. A seu favor, também conta que Kenny Florian e Frankie Edgar, dois leves condecorados (o segundo, inclusive, ex-campeão) falharam miseravelmente na missão de descer de peso para tomar seu cinto. Estatisticamente, o “Campeão do Povo” ainda desponta em três quesitos importantes: defende 74% dos golpes desferidos contra ele, acerta 78% de tudo que tenta e defende 92% das quedas propostas. Ainda destaco que grande parte de suas vítimas mais notórias (Urijah Faber, Mike Brown, Manny Gamburyan, Chad Mendes, Zumbi Coreano, Cub Swanson, Lamas, Edgar) estavam no auge da carreira quando o enfrentaram. Agora, com a categoria oficialmente limpa (os próximos da fila seriam Mendes e Swanson – ambos já devidamente nocauteados por Aldo), o faixa-preta de Dedé Pederneiras nadará em tanque com tubarões mais robustos para buscar novos desafios.

Na minha opinião, José Aldo é o melhor lutador peso por peso do planeta. Além de ser um atleta sensacional, daqueles extremamente talentosos, ele tem todos os elementos, a confiança e a fome pela vitória. Aquele cara, na minha opinião, é o melhor do mundo… Definitivamente ele foi a luta mais difícil da minha carreira – disse Faber ao Combate.com.

Jon Jones

jon-jones-win-gustafsson-2

Gustafsson: luta mais dura para Jones no UFC

No UFC, o caneludo de Nova York tem as mesmas seis defesas de cinturão de José Aldo. A diferença, no entanto, é que “Bones” é mais mortífero (três finalizações e um nocaute versus dois nocautes do peso pena). Antes disso, ele já havia quebrado 13 adversários (sete no UFC e seis em eventos menores). Jones também é (virtualmente) invicto – já que sua única derrota foi por golpes ilegais no subjugado Matt Hamill. Estatisticamente, ele supera Aldo em defesa de quedas (96%) e perde em defesa de golpes (65%) e golpes aterrissados (52%). Agora, Jones foi exposto pelo viking Alexander Gustafsson como nenhum rival jamais expos Aldo – e ainda não enfrentou pesos-pesados renegados (Daniel Cormier pode ser o primeiro). Aliás, duas de suas defesas foram contra pesos-médios que subiram para tapar buracos (Vitor Belfort e Chael Sonnen). Entre suas maiores vítimas, também não podemos dizer que Sonnen, Rampage Jackson e Maurício Shogun estavam no auge. Para zerar a categoria e desafiar Cain Velásquez, falta passar Gustafsson a limpo, bater Glover Teixeira e o já citado Cormier.

Números gerais:

                     Vitórias     Derrotas     Lutas por Cinturão     Nocautes / Finalizações

José Aldo         24              1                 9 (UFC + WEC)                       16

Jon Jones        19              1                           7                                    15

O negócio sobre o Aldo que me deixa doido é que o garoto tem todo o talento do mundo. Ele é explosivo, rápido e pode fazer qualquer coisa, mas ele se acomoda e não solta o jogo. Quando falamos em ser o melhor peso por peso do mundo, você não pode ir cinco round com um cara que você pode bater no segundo. E é isso que o Aldo tem o hábito de fazer – declarou Dana White à ESPN.

Pode parecer o contrário, mas o tom pró-Aldo é involuntário.

Apenas usei o brasileiro como base para comparar feitos.

De qualquer forma, a ausência de debate sobre quem é número um e quem é o número dois deixa claro o fato histórico de que, quanto mais pesa o cidadão, maiores são suas chances de estar debaixo dos holofotes em esportes de combate.

Acho que o calvário dos levinhos é originado pela ânsia de descobrirmos quem é o homem mais forte/mau/temido do planeta.

O domínio de um campeão de 66kg pode ser incontestável, mas sempre aparecerá algum “haole” pra botar tudo em termos absolutos: “Ele é bom, mas…”.

Também considero infundadas as comparações com Georges St-Pierre.

Enquanto o canadense faz um jogo bem mais estudado e opta sempre pelo caminho de menor resistência, o produto da Nova União anda pra frente 100% do tempo e aposta nas mesmas armas contra o adversário que for.

A real é que, em seu mundo, Aldo é tão – ou mais- efetivo do que qualquer outro campeão em atividade ou aposentado.

Cabe aos fãs reverenciá-lo de tal forma.

Abraços.

  • LucasHawk

    “…sem a mínima intenção de apontar um vencedor (até por que não há).”, né Renato?

    O texto ficou claramente tendencioso, e eu concordo, que o Aldo é melhor peso-por-peso que Jones. Não tenho muito o que comentar porque tudo já foi dito, Aldo pegou os melhores no auge da carreira só que Jones não deixa as lutas irem até o final.

    • Renato Rebelo

      Queria comparar dados e deixar vocês julgarem. Mas concordo que ficou um pouco tendencioso… Enfim, não era minha intenção inicial = (

      • marcos machado

        Ótimo texto, Renato, nesse caso, o mais pra lá do que pra cá, foi o justo, pois seria impossível fazer um texto deixando Aldo e Jones no mesmo nível, talvez o nível técnico deles pode até ser o mesmo, mas é indiscutível que o Aldo provou mais do que o JJ.

  • Camilo Saraiva

    Aldo é o cara… Analise muito boa Renato!

  • Renan Trindade

    Não sei se consigo botar o Aldo na frente do Jones na minha lista. Mas confesso q seus argumentos fazem sentido Rebelo. Bom texto.

  • bruno

    aldo é um monstro! um dos melhores peso por peso que já existiu…. porem hoje, apesar das poucas defesas de cinturão pra mim o Renan Barão é o cara! Além de ser completo o cara é o que faz as melhores lutas de disputa de cinturão, e infelizmente só com muito mais tempo para ele estar nessa lista ai!

  • Fernando

    Que tal fazer uma análise tática, numa dobradinha capelli e rebelo, como se eles fossem dos mesmo peso !!?? Ao estilo do que fazem nas lutas que são realmente casadas.

    • Sergio

      Curti!!

    • Renato Rebelo

      A idéia é ótima, meu camarada. O problema é que o jogo do Jones é todo baseado na manutenção de distância (http://sextoround.com.br/8532-manutencao-de-distancia-a-magica-de-jon-jones) e teríamos que, deliberadamente, inventar uma enverdura mt maior pro Aldo heheheh

      • Fernando

        Então ampliemos os “se”, como mesmo peso, mais ou menos a mesma altura e
        envergadura (sempre com vantagem na altura e envergadura pro jones, já
        que na prática ele sempre (quase) tem essa vantagem no ufc). Pode até
        usar um parametro como pegar pro Aldo como referência a altura e
        envergadura do Machida. É muita abstração, eu sei, mas no mundo das
        idéias é legal cogitar!! Aldo seria um “animal diferente” pro João! O
        Aldo está tão bom de esquivas que estas começaram antes da luta. Reparem
        nesta útima luta ele se esquivando de um torcedor tentando lhe tirar o
        boné a caminho do cage, foi sensacional, já que o torcedor não estava em
        seu campo de visão e o JA estava olhando pra frente.

  • Leo Ferreira

    O que eu mais gosto no José Aldo é que ele conduz o combate à sua maneira e deixa o adversário muitas vezes perdido, como vimos contra Lamas, Aldo dita o ritimo da por pelo menos 4 rounds, não deixa o adversário gostar se sentir confortável em momento algum na luta.

  • C

    Aldo é melhor pq é mais técnico em pé (muito mais) e no chão. No que se refere aos feitos, são similares.

  • Rafael Cunha Caroline Reis

    Muito bom texto como sempre Renato!

    E o Renan Barão? aonde se encaixa neste ranking peso por peso? a terceira posição ficaria com Cain V, barão ou Weidman?

    Na minha opinião, Aldo > Jones > Barão > Cain

    Sobre Weidman, não querendo tirar os méritos, mas já tirando, só vou considerar ele de fato um verdadeiro campeão depois de passar pelo Vitor, isso se ele sobreviver.

  • Evandro Juninho

    Achei o texto perfeito, detalhado e bem conclusivo! a única parte que (na minha humilde opinião), fugiu um pouco, foi dizer que quando Chael Sonnen enfrentou Jones, ele estava no auge da carreira! de resto perfeito! Aldo > Jones!

    • Renato Rebelo

      “Entre suas maiores vítimas, também NÃO podemos dizer que SONNEN, Rampage Jackson e Maurício Shogun estavam no auge”. Eu disse exatamente o contrário, fera hehehe

Tags: ,