Seca nos meio-pesados deixa
UFC 'refém' de Ryan Bader

João Vitor Xavier | 23/11/2016 às 11:18

Ryan Bader, vencedor do main event do UFC São Paulo do último sábado, chegou ao UFC com a pompa de um futuro desafiante ao cinturão meio-pesado.

Com um wrestling de alto nível, força bruta em abundância e muito espaço para aprender, Bader foi preparado desde sua passagem pelo TUF (onde foi treinado por Rodrigo Minotauro, irmão de sua vítima, Rogério Minotouro) para ser um astro do Ultimate.

Bader amassando Minoto

Bader amassando Minoto

Ainda que não tenha chegado ao nível que se esperava dele (por “engasgar” em lutas grandes e também pelo estilo conservador), o americano perseverou e, com a vitória sobre Rogério, tornou-se o segundo meio-pesado mais vitorioso da história do UFC (atrás apenas de Jon Jones), com 15 vitórias e cinco derrotas em 20 lutas pela companhia.

Agora sem contrato com o Ultimate, “Darth” Bader pode lucrar com a falta de opções no peso.

Vejamos o cenário dos meio-pesados dentro do Ultimate. Tirando os três principais nomes (Daniel Cormier, Jon Jones – além de pouco confiável, está suspenso até meados de 2017 -, e Anthony Johnson), a divisão tem apenas alguns gatos pingados em condições de incomodar.

Temos veteranos como Glover Teixeira, Maurício Shogun e o próprio Minotouro (com 40 anos), que não lutam com tanta frequência. Alexander Gustafsson parece cada vez mais desmotivado e sofreu grave lesão, enquanto “promessas” como Nikita Krylov, Corey Anderson e Ovince St. Preux não parecem ter condições de fazer frente ao “Big Three” da divisão.

Bader é um dos caras que tem condições de incomodar. Ainda que tenha sido dominado por Jon Jones e Anthony Johnson, o americano criou uma pequena rivalidade com Daniel Cormier e pode se tornar uma opção viável. Por isso, sua renovação se tornou imprescindível para o UFC.

Eu pensei sobre o encerramento do meu contrato, e por que não aceitar essa luta contra o Minotouro? Agora que acabou, eu posso dizer que adoro o UFC e quero continuar lutando aqui, mas precisa ser bom para mim. Estou no top 5 da categoria há algum tempo, e quero fazer lutas grandes.”, comentou Bader após o UFC São Paulo.

Mesmo tendo sido acusado no passado de ter um estilo de luta tedioso, que prioriza o wrestling, sua performance nas duas últimas lutas – nocautes sobre Ilir Latifi e Nogueira -, mostram que Bader está sim entre os melhores do mundo no seu peso. Vive situação parecida com a de Phil Davis há algum tempo.

Após derrota para Bader, Davis virou campeão mundial

Após derrota para Bader, Davis virou campeão mundial

Na ocasião (abril de 2015), o atual campeão do Bellator disse que o UFC não quis igualar a oferta do rival, forçando sua mão e fazendo-o assinar com o evento comandado por Scott Coker.

Porém, as circunstâncias eram outras: Jon Jones não estava suspenso e ainda era o campeão (algumas semanas depois se envolveria no acidente que tiraria seu título). Daniel Cormier, Glover Teixeira e o próprio Bader eram ainda desafiantes plausíveis, além de nomes na ascendente como St. Preux (que hoje vem de duas derrotas seguidas) e o próprio Gustafsson (vinha de derrota para Johnson, mas tinha espaço para se recuperar).

Hoje, porém, a divisão está longe de ter novas opções. Por outro lado, o 93kg do Bellator adiciona bons nomes a todo momento. Além do campeão Phil Davis, seu elenco conta com atletas da estirpe de Liam McGeary, King Mo, Rampage Jackson, Wanderlei Silva e, agora, Chael Sonnen.

Bader não é mais garoto-propaganda

Bader não é mais garoto-propaganda

Claro que a maioria desses nomes, esportivamente, não “fardaria” nos rankings do UFC. Mas temos aí nomes pesados, com história no MMA, que vendem. Adicionar Ryan Bader a esse grupo equilibraria a parte esportiva com a do “business” e deixaria o Bellator ainda mais perigoso.

Isso quer dizer que deixar de renovar com “Darth” é uma situação de perda dupla para o UFC. Enfraquece o próprio plantel, já pobre de talentos na divisão dos meio-pesados, e pode reforçar seu maior rival.

O Bellator que, aliás, conta com um grande trunfo em suas mãos nas negociações com lutadores do UFC: a possibilidade de patrocínio próprio durante as lutas.

O acordo da Reebok hoje dá a Bader 15 mil dólares por luta (sua próxima luta, se ele renovar, já vai dar a ele 20 mil), significativamente menos do que ele ganhava antes, como o próprio admitiu antes da luta contra Minotouro, em entrevista à ESPN americana.

Houve algumas mudanças no UFC, e toda aquela questão da Reebok, e realmente eu era um dos caras que ganhava muito dinheiro com patrocínio. No fim do dia, temos que fazer o que é melhor para nós. Mas gosto de lutar no UFC, não estou necessariamente deixando meu contrato correr para ir direto ao Bellator.”, comentou Bader, que tinha um contrato exclusivo com a Tapout, uma das companhias mais conhecidas do meio do MMA.

É melhor que o UFC arregace as mangas e ofereça um bom contrato a Bader. Ou irá enfraquecer uma das divisões nobres do esporte e histórica para a própria companhia.

  • Baixista Loko

    Seria legal ver o Bader e até outros nomes do nível dele de outras categorias migrando pro bellator, tornaria bem divertido a concorrência.

  • Sidra

    Bader x Shogun para o proximo TS seria manero… os dois vem de 2 boas vitórias!

    • Gustavo Lima

      Oloco, isso seria vacilo com o Bader. O cara lutou 7 vezes nos últimos três anos com um record de 6-1 e com essa vitória, é o único rankeado atrás do Johnson.

      • Sidra

        é verdade, bem lembrado. eu só quero ver se o Rumble vencer o Cormier, se vão dar revanche imediata ou esperar pelo Jones… o Anthony já teria vencido todo mundo do top 5 lol (glover, gusta, manuwa, cormier e bader) E ai que o shogun poderia entrar, ou um novo nome.

      • Renato Rebelo

        Francamente, acho que seria mais vacilo com o Shogun…

        • Vinicius Maia

          Que isso Renatão, com aquela defesa de quedas sinistra, aquele quadril solto e guarda sinistra do Shogun seria uma pesadelo pro Bader….. kkkkkkk

          • João Vitor Xavier

            ironia mara, já dizia Tannuri kkkkkk

    • Tiago Nicolau de Melo

      Mais amor pelo Rua, cara…

  • Gustavo Lima

    Eu particularmente acho que ele só fica no UFC se assinar um contrato de title fight. Na última luta ele tirou 61k + 61k sendo que a tendência foi ir aumentando em 2k por luta, fora os 15k da Reebok que vão pra 20.

    Creio que até 150k o Bellator cobre, mas tem o trem do patrocínio também. Como o Dana não pode perder esse cara, vai recorrer a outras coisas que não dinheiro, já que gastar esse absurdo pra manter um cara tão midiaticamente “bland” como o Bader é doidera.

    (E pra mim, o Bader já é desafiante sumário ao vencedor de Rumble vs DC. Não dá mais pra ignorar a qualidade e regularidade do rapaz.)

  • Walter Filho

    Esse acordo com a Reebok é inacreditável. Chega a ser ridículo ver o Dana justificar o acordo dizendo que é bom para os atletas.
    Queria muito ver ele falando abertamente sobre essa diferença de valores que os lutadores estão recebendo, em relação ao que recebiam com seus respectivos patrocínios.

    Em relação ao Bader, acredito que a tittle eliminator ideal seria contra o Gustafsson, mas ainda não se sabe quanto tempo o sueco vai ficar parado. Por mais que eu goste do Shogun, ele ainda precisa de mais pra chegar no topo, mesmo em uma divisão tão rasa. Talvez uma luta contra o Manuwa, que era pra ter acontecido no evento em que o brasileiro foi nocauteado pelo St.Preux, seria o ideal.

    • João Vitor Xavier

      O Belfort é outro que deve ter perdido muito dinheiro. Olha o nível dos patrocínios do cara… SKY, Gillette…

  • Hyuriel Constantino

    Se o Bader não conseguir o TS nesse timing, ele não consegue nunca mais. A categoria dos meio-pesados tá mais rasa que os pesados e os moscas.

    • Luis Coppola

      tbm acho.
      Bader está na boca do TS, basta apenas torcer para o DC vencer novamente o Rumble. Se for esperto já vai no evento e arruma mais uma treta na coletiva com o Cormier..

    • paulo henrique

      Verdade

    • João Vitor Xavier

      Poderia, inclusive, pedir isso contratualmente. Alguma cláusula do tipo “em caso de vitória na próxima, title shot automático”. Duvido que não exista esse tipo de coisa no MMA

  • Igor Barbosa

    Jon Jones vai voltar no timing perfeito pra desafiar o vencedor de Cormier x Johnson. Sei que é um pouco injusto, mas Bader vai ter que esperar um pouco mais. Comparado ao que estão fazendo com o Jacaré, não vai ser nada de mais…

    • THIAGOD

      Pode até ser,mas pela idade se o DC vencer esperar será uma boa só se o $$$ for bom.

  • Francisco Júnior

    É uma pena ver a categoria dos meio-pesados, lugar onde já lutaram e lutam verdadeiras lendas do esporte (Jones, Liddell, Machida, Shogun, Couture, Rampage, Wanderlei, Ortiz, Belfort, etc), ter se tornado uma das categorias menos empolgantes do UFC atualmente.

    Bader agora é realmente um nome importante. Apesar de não ser tão popular nem querido, o cara tem um cartel muito respeitável, pois só tem 5 derrotas, sendo todas elas para grandes nomes (Jones, Machida, Glover, Johhson, Ortiz).

    Na minha opinião, considerando algumas defesas de cinturão que temos visto sem qualquer critério esportivo (revanches sem sentido, desafiantes vindo direto de outras divisões, semiaposentados, etc), Bader tem que lutar com o vencedor de Cormier x Johnson.

    • Sidra

      Se o Johnson vencer o Cormier ele vai ter vencido todos do top 5 (cormier, gusta, glover, bader e manuwa)… Acho q ai dariam o Jones pra ele, ou um novo nome.

      • Luis Coppola

        Se o rumble vencer o DC fica 1×1, e aí é mais provável que role a terceira luta entre eles..

    • João Vitor Xavier

      Essa questão do histórico dos meio-pesados deixa a situação ainda mais melancólica. Por muito tempo, foi a categoria nobre do esporte…

  • Fabricio Alves

    Se o UFC tiver um representante na Russia, eu creio que nao será dificil achar meio pesados no Daguestão e outros lugares.

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      Com certeza não é difícil, espero que esse crescimento do UFC na Rússia que o Dana tanto quer auxilie para o crescimento das duas categorias mais pesadas do evento.

    • João Vitor Xavier

      Duvido que não estejam procurando.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Eu acho também que o UFC poderia buscar reforçar com alguns nomes interessantes, o Rizin tem uns meios pesados jovens bons, um até ganhou um GP ou foi pra final não lembro, e manter o Bader é fundamental, se não igual falaram no podcast, finalmente o Bellator vai ter uma categoria melhor que o UFC, eu penso que eles tem que buscar esses prospectos e também manter esses medalhões, para fazer a categoria respirar novamente.

  • Caio Abreu

    Acho que oTitle shoot vai estar bem presente nessa negociaçao.

  • Gefferson Nesta

    Bader esta com a faca, o queijo, a caneta e as luvas na mão!

  • Hiago Machado

    Na hora de citar os meios-pesados do UFC , esqueceram do Manuwa , que vem de um ótimo nocaute sobre o Ovince , vejo ele lutando contra o Glover para ser o próximo a disputar o título , em relação ao Bader , a situação dele é chata , poiis ele poderia pegar o Gustafsson, mas tá lesionado , e ele já perdeu para vários outros tops da divisão.

  • Fernando Levandoski

    Agora com a lesão do cormie o bader pode pedir grana a vontade

  • dan

    Bellator mais perigoso ? Menas, Menas…bellator assisti o UFC bem de longe, e olha que estamos falando da segunda maior organização, por mais que as pessoas (os brasileiros) vejam o Bellator como a esperança de fazer o UFC “pagar” pelo o que faz com os nossos atletas, e muitos estejam com uma certa “raiva” do evento pela forma como vem tratando os brasileiros, o UFC vem quebrando recordes e mais recordes, e conquistando lugares até então intransponíveis…podem reclamar, falar que o ufc vai quebrar, que bellator é melhor, isso é tudo dor no cotovelo patriótico, o maximo que o bellator vai conseguir, é contratar atletas que o UFC não faz mais questão ou/e virar o asilo e fazer freak shows como Ken Shamrock vs Royce Gracie OU DADA 500 vs KIMBO (um quase morre no octogono)

  • Andy

    O próximo adversário dele, tem que ser o Cormier.
    Mas se Johnson pegar o cinturão, essa revanche não faria sentido.

Tags: