Pensando alto: a análise informal do UFC FN 35

Renato Rebelo | 16/01/2014 às 02:31

A presença do lendário Ric Flair inspirou a torcida presente na Arena Gwinnett Center, Georgia, Estados Unidos, a nos brindar com cinco longas horas do gritinho “woo” – marca registrada do pro-wrestler.

No mais, o UFC Fight Night 35 foi até aprazível para uma noite de quarta-feira sem certames futebolísticos.

Cortando o papo furado, vamos à minha – sempre confusa- leitura do card principal:

ROCKHOLDLuke Rockhold x Costas Philippou

Da série “golpes na linha de cintura deveriam ser mais explorados no MMA”, o “Rockstar”, ainda mordido pela patada de Vitor Belfort, decidiu com ferro ferir o pugilista cipriota. Não vi ao certo se a canela do grandalhão da AKA acertou fígado, costela, baço ou apêndice, só sei que Philippou recorreu à posição fetal ainda no primeiro round. Justiça poética? De qualquer forma, na entrevista pós-luta, Rockhold mostrou que o passado ainda incomoda – e aproveitou a chance para se tornar o milésimo peso-médio a desafiar publicamente um certo inglês:

Quero uma revanche com o Vitor Belfort e atravessarei qualquer um para chegar até ele – especialmente o Michael Bisping. Seria legal, não acham? – disse Luke.

TAVARESBrad Tavares x Lorenz Larkin

Nosso bom e velho sósia de Carlton Banks segue sem dizer a que veio. Visto como grande promessa do peso após bater Robbie Lawler no Strikeforce, Larkin foi superado tanto em pé quanto no chão pelo havaiano – que, na real, não vai muito além de um lutador bacana. Mesmo sem empolgar, Tavares engata a quinta (vitória consecutiva) e segue firme em busca de uma vaguinha no top 10.

Foi uma má aposta para eles (ele era a zebra). O Larkin é um striker muito criativo e rápido, mas me senti ainda mais rápido e não deixei ele achar o ritmo dele. Agora, quero um desses caras que estão no topo – contou o vencedor.

TJT.J. Dillashaw x Mike Easton

15 minutos de domínio, fora o baile. Pela seminário aplicado, acho que o “Hulk” deveria ceder 10% de bolsa ao nanico tutor. T.J. foi desmembrando o rival, pouco a pouco, com suas mãos hipersônicas, chutes ardilosos e entradas de quedas precisas. O susto ficou apenas por conta de um bico no fígado no primeiro round – que fez o Alpha Male urinar sangue no vestiário. No mais, uma clínica de MMA do cara que, cedo ou tarde, chegará forte às cabeças.

Não tenho “camps”, tenho um estilo de vida. Treino dia e noite pra mim ou para ajudar meus amigos – mandou TJ.

ROMEROYoel Romero x Derek Brunson

A mistureba de boxe e quedas do pupilo de Greg Jackson se mostrou perfeita para neutralizar a potência e o wrestling do vice-campeão olímpico (enquanto havia gás no tanque). O cubano, que faça chuva, faça sol, detém o centro do octógono, não perdeu as esperanças após dois rounds perdidos e conectou uma canhota linda no R3 – aproveitando a guarda já baixa de Brunson. Terceiro nocaute consecutivo do “Soldado de Deus” no Ultimate, que parece não ter saudades do regime de Fidel Castro – ainda mais com 50 mil dólares pela luta da noite em mãos:

A América é um país abençoado, é uma nação grande por que Deus a abençoou. Muito obrigado Dana White e Joe Silva por me darem uma oportunidade que nunca tive – respondia assim Romero a qualquer pergunta feita por Jon Anik sobre a luta.

MORAGAJohn Moraga x Dustin Ortiz

O garotão de 25 anos foi com tanta sede ao pote que mais parecia adolescente virgem diante de uma bela… Enfim, Ortiz até neutralizou o ex-desafiante número um da categoria no primeiro round, mas se esqueceu que MMA está mais para maratona do que para 100 metros rasos. Quando seu ímpeto diminuiu, Moraga, na experiência, foi pontuando de mansinho e abocanhou a decisão dividida. Derrota apertada e dolorosa para o companheiro de equipe de Anthony Pettis. Bastava um dosador de energia Tabajara para quebrar a banca (ele era a segunda maior zebra da noite).

Uma vitória frustrante. Não estou feliz por essa por decisão dividida, mas sempre que eles quiseram lutar, sabem onde me encontrar: no centro do octógono – disse o enigmático descendente de mexicanos.

Curtiram a passada de trator de Elias Silvério em Isaac Vallie-Flagg, amigos?

Abraços.

  • Leo Ferreira

    Rockhold acertou o peito do pé direto no fígado de Philippou, chute perfeito, belo nocaute. Agora, Brad Tavares x Lorenz Larkin parecia luta de card preliminar… muuuito ruim. O evento todo foi muito a baixo da média.

    • Leo Ferreira

      Num replay que passou logo depois da luta dá pra ver melhor, mas dá pra ver que o chute foi com o peito do pé, muito plástico, qualquer um deita com um chute desses no fígado

      • Renato Rebelo

        Foram dois chutes que arrearam o cipriota. Mas vc tem razão. O derradeiro entrou mais o peito do pé msm. Boa!

  • Diego Jaqueira

    Bela análise, acho que o TJ ainda vai dar muito o que falar, o mlk luta demais, e acho que a grande atuação do Sivério poderia ganhar maior destaque, apesar de ter sido no card preliminar, já vi algumas lutas dele, mas dessa vez em especial ele me impressionou, não tomou conhecimento do gringo, que diga-se de passagem é bem experiente e tal.

  • zagolee

    1. Brenneman tava passando o carro até tomar um diretaço na fuça… kkk! Beneil Dariush veio pra ficar!

    2. Brian Houston foi garfado na cara dura… Que raiva mortal destes árbitros!

    3. Elias Silvério fez um excelente luta, mas acho que ele poderia ter terminado antes…

    4. Justin Edwards merecia a vitória… Realmente não sei o que passa na cabeça dos árbitros.

    5. Sam Sicilia pra mim vacilou… Estava muito melhor na trocação e deu mole pro Magrinho!

    6. Dustin Ortiz foi melhor que o Moraga. Dia macabro pros árbitros!

    7. Romero deu um show! É o grande nome promissor da categoria agora.

    8. Dilashow foi show… kkk! (Sem novidades!)

    9. Larkins e Tavares pra mim foi a luta decepção… Eu esperava mais do Larkins!

    10. Rockhold venceu claramente, mas pegou um Phillipou numa categoria abaixo… (Isso com certeza influenciou, pois estava diferente…). O último chute do Rock foi desnecessário, poderia ter usado os punhos… kkk!

    • Leo Ferreira

      Eu tmb vi vitória do Ortiz, não sei que luta que os arbitros estavam vendo, sorte pro Moraga que precisava da vitória, mas não lutou bem.

Tags: