Quatro motivos para não perder o UFC FN 35

Renato Rebelo | 14/01/2014 às 19:43

Nesta quarta-feira, a Arena Gwinnett Center, no estado americano da Georgia, recebe o UFC Fight Night 35.

O card é um daqueles sem “popstars”, porém, imprescindíveis para o cultivo de novos valores.

Vamos, então, ao meu tradicional “lobby” não remunerado pró-Combate:

ROCKHOLDO retorno do “Rockstar”

Último campeão até 84kg do Strikeforce, Luke Rockhold desembarcou no Ultimate com pinta de cara a ser batido. Um encapetado Vitor Belfort, no entanto, derrubou suas ações logo na estreia. Agora, o novo faixa-preta da Checkmat busca redenção contra Costas Philippou, porradeiro da pesada cujas habilidades no chão são pra lá de suspeitas. No duelo de canhotos, Rockhold usa o jab com mais eficiência e possui envergadura superior (1,96 x 1,90,m) – mas também não agrega tanta potência aos socos quanto o pugilista cipriota. Sua praia é o clinch, a isometria na grade, o “grind”. Caso consiga se aproximar – à la Francis Carmont no UFC 165– esse “Jon Fitch melhorado” não deve passar perrengue. Costas, por sua vez, fará das tripas coração para manter a distância e evitar a segunda derrota consecutiva.

ROMEROCubano promissor

Yoel Romero é especialista em manusear seres humanos como se fossem pacotes de Doritos. Também pudera: estamos falando do wrestler mais condecorado em atividade no MMA. Seus feitos na categoria “freestyle”, até 85kg, incluem: uma medalha de ouro, duas de prata e duas de bronze em mundiais e uma prata em Jogos Olímpicos (Sydney, 2000). O terror da concorrência é que ele ainda se apaixonou pela trocação: “Me sinto muito bem lutando em pé. Não acho necessário levar a luta para o chão”. Desde a transição, nocauteou seis e levou a pior apenas contra Rafael Feijão. Derrota que, inclusive, otimizou bastante suas chances no novo esporte – uma vez que ele migrou pro peso médio. Para frear a locomotiva da American Top Team, Derek Brunson, aluno de Greg Jackson, foi escalado. Será que o americano, que atravessa boa fase, aguenta a pressão do “Soldado de Deus”?

MORAGAMoscas vivas

Abusado, John Moraga entrou no Ultimate metendo logo o pé na porta. Os rodados Chris Cariaso e Ulysses Gomez pouco puderam fazer para conter seu ímpeto. Resultado: “title shot” com apenas seis meses de casa. Pena (pra ele) que Demetrious Johnson estava alguns degraus acima… Agora, para voltar à coluna da esquerda, o camarada Ben Henderson tem que lidar com o Dustin Ortiz – um garotão cabeludo que treina com Anthony Pettis na Roufusports e bate pesadinho (José Maria “Sem Chance”, sua última vítima, que o diga).

SILVERIOPaulista invicto

Ele não é Geraldo Alckmin mas também carrega o apelido “Xuxu”. Elias Silvério, companheiro de Demian Maia e Daniel Sarafian, abraçou a oportunidade de ingressar no maior evento do mundo enfrentando João Zeferino com pouquíssima antecedência. A vitória, aos trancos e barrancos, agora rende ao ex-campeão do Jungle Fight a chance de mudar de categoria (77 -> 70kg) para mostrar a que veio. Em seu caminho, o duríssimo Isaac Vallie-Flagg, invicto desde outubro de 2007. Aos 35, o representante da Jacksons MMA finalmente chega, cheio de ódio, ao “mainstream” – após passar boa parte da carreira no circuito regional. Vitamina de linguiça que o brasileiro, faixa-marrom de jiu-jítsu e preta de muay thai, terá que engolir.

Confira o card completo:

Luke Rockhold x Constantinos Philippou
Lorenz Larkin x Brad Tavares
T.J. Dillashaw x Mike Easton
Derek Brunson x Yoel Romero
John Moraga x Dustin Ortiz
Cole Miller x Sam Sicilia
Justin Edwards x Ramsey Nijem
Elias Silverio x Isaac Vallie-Flagg
Brian Houston x Trevor Smith
Alptekin Ozkilic x Louis Smolka
Vinc Pichel x Garett Whiteley
Charlie Brenneman x Beneil Dariush

Abraços.

  • Rubens Rodrigues

    Eu não estava esperançoso sobre esse evento, já havia acompanhado algumas reportagens sobre, mas nada que pudesse deixar minhas papilas gustativas saltitando. Logo depois que termino de ler essa postagem, fiquei muito empolgado para assistir o UFN 35 de amanhã.
    Parabéns pelo trabalho, grande abraço.

    • Renato Rebelo

      Estamos aqui pra isso, meu velho. Muito obrigado por acompanhar = )

  • Gustavo Souza

    Rebelo, o Elias lutou com o Zeferino nos meio medios, o Zeferino tinha lutado nos médios contra o Natal e desceu de categoria depois.

    • Renato Rebelo

      Bem lembrado, fera. Já troquei aqui. Abs!

  • Alexandre Matos

    Cabe reforçar que o Yoel Romero é irmão do Yoan Pablo Hernández, campeão mundial de boxe na categoria dos cruzadores. A base na casa dos caras foi forte.

Tags: