Sai Cruz, entra Faber: melhor ou pior para Barão?

Renato Rebelo | 08/01/2014 às 21:14
unbreakable-shyamalan-bruce-willis-samuel-l-jackson

Poster da película

Assim que pipocou a notícia sobre a mais nova lesão de Dominick Cruz, me veio imediatamente à cabeça o filme “Unbreakable” (Corpo Fechado), de 2000.

Na obra hollywoodiana, Elijah Price, personagem interpretado por Samuel L. Jackson, nasce com osteogénese imperfeita – doença que torna ossos e ligamentos do corpo anormalmente frágeis.

Revolto pela condição genética, o “homem de vidro” comete atrocidades em série para encontrar seu oposto – alguém inquebrável (Bruce Willis, no caso).

Qualquer semelhança com o lutador que está impedido de trabalhar desde outubro de 2011 por dois joelhos baleados e agora uma virilha magoada é mera coincidência.

Esse novo balde de água gelada traz consigo três consequências:

1- O cinturão linear passa para as mãos de Renan Barão
2- Barão perde, por hora, a chance de acertar contas com seu maior antagonista
3- Fãs testemunham outra superluta escorrer pelo ralo

Fatos que me remetem à pergunta: seria “Dominator” o homem mais azarado do MMA (logo após Jay Hieron, claro)?

De qualquer forma, Urijah Faber recebe o quinto “title shot” da carreira e tem 20 e poucos dias para estar na ponta dos cascos (o UFC 169 rola dia primeiro de fevereiro).

Eu acho que isso (muitas lutas em 2013) está a meu favor. Me sinto descansado, me sinto faminto, e acredito que meu conjunto de habilidades está em ordem. Eu só tenho que ir lá e executar tudo isso – disse o novo desafiante ao site MMA Junkie.

Troca vantajosa para o “Monstro” da Nova União – que barbarizou o “Calífórnia Kid” em 2012?

Há controvérsias.

Alpha Male teve um 2013 simplesmente arrebatador.

urijah-faber-renan-barao

Barão voando no UFC 149

Ivan Mejivar, Scott Jorgensen e Michael McDonald, todos top 10, batucaram – e Iuri Alcântara mal conseguiu se mexer por três rounds.

Desde que Duane Ludwig assumiu o comando técnico da equipe baseada em Sacramento, a evolução dos bichinhos – principalmente em pé- é notória.

Tirar pra mamão com açúcar um veterano que vem nessa batida é imprudência pura e simples.

Sim, considero Faber, na atual conjuntura, mais carne de pescoço que Cruz.

Afinal, as condições físicas do ex-campeão dos galos, de molho há dois anos e cacetada, são um mistério.

Pra ele, que depende tanto de velocidade e movimentação (footwork), a falta de ritmo poderia custar caro – ainda mais contra locomotiva de sobrenome Pegado, que bicaria sua perna duvidosa sem dó nem piedade.

Vejo Faber com menos chances de falhar do que Cruz.

O que também não quer dizer que suas chances de sucesso sejam enormes.

Barão é assustador e tem tudo para reivindicar a trigésima segunda vitória da carreira.

Só precisa dar o devido crédito ao novo desafio. Crédito que nós, fãs, não estamos dando.

Abraços.

  • Diego Rizzo

    Perfeita analise,concordo em numero, genero e grau

  • Ramon Franklyn Carvalho

    Perfeito! Agora ficou bem mais empolgante, afinal o Faber está em melhores condições.

  • zagolee

    A profética e iminente lesão do Dominick Cruz talvez seja resultado possível de um super ajuste dos treinamentos para se chegar no condicionamento físico de antes, mas se esta luta acontecesse (que pra mim seria o máximo) a vitória do Barão poderia ser diminuída pelo público e crítica alegando despreparo do antigo campeão.

    Definitivamente Faber é a melhor luta para Barão!

    Faber anulou 4 prospectos e evolui seu jogo depois da derrota para Aldo, contudo, Barão é convictamente o legítimo campeão da categoria. Essa luta é fantástica!

    • Ramon Franklyn Carvalho

      Falou tudo velhinho!

  • Cassio Leite

    Depois que ele fez o que fez com o Mcdonald eu não duvido da capacidade dele!
    mas ainda acredito que o Barão ainda tem mais armas para essa luta!!

  • Gleydson Silva

    Renato, muito boa a análise como sempre, concordo em tudo…

  • Leo Ferreira

    Realmente, Dominick seria tarefa mais fácil para Barão do que Faber, o tempo parado contaria sim à seu desfavor, contudo poderiam haver chances da falta de timming não ocorrer como não ocorreu com GSP no seu retorno contra Condit, apesar de seu tempo no estaleiro ter sido menor. Faber tem um jogo extremamente sólido, evoluiu muito na luta em pé e tem a luta agarrada como sua principal arma pela capacidade incrível de mobilidade no tablado e capacidade de dar giro o tempo todo. Não acredito que o pouco tempo de preparação possa prejudicar Faber, muito pelo contrário, mas Barão é duríssimo, frustrou o California Kid no combate anterior e soube administrar bem os 5 rounds. A unica chance que Uriah tem seria finalizando Barão depois de cansá-lo, mas acho difícil. Com um trabalho bem feito, Barão leva por pontos novamente.

  • Malk Suruhito

    Renatão, concordo com tudo que disse, e acho que teremos uma luta mais disputada, mas no final, vai ser o mesmo de 20 cards numerados para trás.
    E nunca podemos esquecer deste épico:
    http://www.youtube.com/watch?v=uwP04-diHtc

    • Renato Rebelo

      Hahahha esse é sensacional msm! Mandou benzão!

  • Rodrigo OLiveira

    Só discordo quando diz que os fãs estão tirando o California Kid pra nada. A não ser que seja um alienígena, todos sabem que neste momento o Faber é mil vezes mais perigoso que o Dominador. Cruz parado a tanto tempo, completamente sem ritmo, o que afetaria a sua principal arma que é a movimentação, como vc bem destacou, seria presa fácil pro Barão. Faber pelo que vem demonstrando, é oponente de respeito. Barão tem que entrar ligado na parada, porque o galeguinho não tá de bobeira.

Tags: , , ,