Quatro motivos: o UFC 168 além de A.S. x Weidman

Renato Rebelo | 24/12/2013 às 22:38

Que Anderson Silva e Chris Weidman carregarão nas costas o evento derradeiro do UFC em 2013 –quiçá o faturamento anual da empresa- tá na cara.

Mesmo assim, os executivos da Zuffa não negligenciaram o restante do card.

Pelo contrário, há opções bem interessantes no cardápio para esquizofrênicos desinteressados no prato principal.

Faço, então, aquele tradicional lobby voluntário para o Combate – com quatro motivos para estar diante da TV no sábado:

1Fim do faniquito

A 18ª temporada do TUF trouxe à tona o ódio patológico que Ronda Rousey nutre por Miesha Tate. A aversão foi tão desproporcional que a outrora princesinha do MMA saiu com a imagem mais arranhada que filhote de tigre. Já “Cupcake” que, convenhamos, conseguiu a vaga na casa pelo mix beleza + rivalidade, angariou uma penca de fãs por ter mantido a compostura – mesmo quando chamada de “vadia” pra baixo. Resta saber se dentro da jaula a namorada de Bryan Caraway conseguirá se recuperar de três atuações sofríveis. Pra quem não lembra, depois de “Rowdy” estalar seu braço ainda no primeiro round, a já aposentada Julie Kedzie lhe aplicou um knockdown e Cat Zingano a nocauteou.

2Quem ficará com Werdum?

Recentemente, Dana White precisou reimplantar um velho mandamento na cachola de Fabrício Werdum: não ficarás largadão no sofá jogando Xbox até o ombro de Cain Velásquez sarar. O papo retilíneo bota o faixa-preta gaúcho em rota de colisão com o peso-pesado que tiver seu braço levantado em Las Vegas (Josh Barnett ou Travis Browne). O “Rei da Guerra”, ex-Assassino com Cara de Bebê (apelido mais escroto de todos os tempos), executou Frank Mir sumariamente em sua reestreia pelo Ultimate e agora quer manter a peteca no ar contra o poderoso Hapa – que demoliu o “Homem Demolição” no Fight Night 26. Conseguirá ele?

4Diamante cearense

Nesse encontro de diabos da Tasmânia, preparem seus videocassetes, pois algum detalhe passará desapercebido. Dustin Poirier e Diego Brandão têm estilos similares: imprimem velocidade insana, apostam mais em poder do que volume em cima, são ariscos no chão e minguam bastante com o decorrer da luta. O Diamante, de apenas 24 anos, vinha bem até ser atrasado por Cub Swanson (companheiro de equipe de Brandão) em fevereiro. A redenção veio em agosto com o domínio de Erik Koch, ex-desafiante número um da categoria. Já Ceará passou o rodo no último ano (Joey Gambino, Pablo Garza e Daniel Pineda que o digam) e tá espumando pela sétima posição no ranking – pertencente a Poirier. American Top Team x Greg Jackson não costuma dar errado…

3Última chance

Ao ser acusado de fazer corpo mole nos treinos, Didi “Folha Seca”, bicampeão mundial com a Seleção Brasileira de futebol, lançou a célebre frase: “Treino é treino, jogo é jogo”. É mais ou menos que acontece, às avessas, com Uriah Hall. Em combates “amadores” de dois rounds e sem plateia, o “Homem Ambulância” dominou o TUF 17 como André Marques domina mesas de doces em casamentos. Debaixo dos holofotes, no entanto, o bichão congela. Kevin Gastelum e John Howard, em sequência, se aproveitaram desse estranho mal – conhecido cientificamente como “paçocadus amarelus”. Agora, Hall disputa o emprego com Chris Leben, um velho “aleijador” com três derrotas nas últimas quatro apresentações cujo queixo foi amolecido pelo tempo. E aí, quem deixa a cidade?

Mais alguma na alça de mira, amigos?

Abraços.

  • Pedro Gabriel Salaar

    Tem o jim miller sendo testado na sua praia mas q anda vacilando no jiu jitsu contra o morango tbm que promete bastante e o patolino bom card pra fecha o ano bem!!

  • LucasHawk

    E de pensar que a vitória do Leben nas últimas quatro lutas foi o nocaute no Wanderlei…

  • Heitor

    ate que fim não preciso ter um facebook pra comentar aqui o/, rapaz só perde esse card quem tem “lezeiratus mongolises”

Tags: