Aperte o cinto, Zuffa, 2014 promete ser austero

Renato Rebelo | 23/12/2013 às 01:25

Sabendo que a galinha dos ovos de ouro da Zuffa continua sendo a venda de pacotes pay-per-view na América do Norte – onde a pirataria não é regra e sim exceção-, 2014 pinta como ano austero.

O freio de mão puxado deve vir a reboque de um punhado de lesões, trocas de guarda repentinas e a impossibilidade da nova safra apresentar números robustos a curto prazo.

Questionamentos semelhantes vieram à tona quando Chuck Liddell, Randy Couture e até Brock Lesnar botaram a viola no saco – mas Dana White e sua trupe souberam renovar, principalmente, incorporando novos mercados ao portfolio.

De qualquer forma, o bom marujo sempre barulha sua tripulação ao menor indício de tormenta (acabei de inventar esse ditado).

Vamos aos pepinos:

DUPLATubarões fora d’água

Georges St-Pierre, maior vendedor de PPVs da história do MMA (cerca de 10 milhões!), pediu por sombra e água fresca no ano que vai nascer. Número dois da firma, Anderson Silva também não esconde que deseja seguir o exemplo do canadense – e outra derrota no próximo dia 28 pode muito bem decretar esta decisão.

LESOESLesões

Dois caras que costumam dar retorno trabalharão pouco ano que vem. Cain Velásquez, campeão dos pesados, acaba de realizar procedimento cirúrgico no ombro esquerdo e tem retorno previsto lá pra agosto/setembro. Já Anthony Pettis, que rompeu ligamentos do joelho, também ficará de molho até o segundo semestre de 2014 – fato que inviabiliza superluta com José Aldo, por exemplo.

TRIOPrematuros

Apesar dos pesares, Jon Jones não costuma atrair multidões para frente da televisão. Combinado com Alexander Gustafsson e com o falastrão Chael Sonnen, “Bones” cravou 350 mil e 520 mil pacotes, respectivamente. Não é pouco, mas também não é muito para a “menina dos olhos” de Dana White na atualidade. Caras como Johny Hendricks e Chris Weidman recém pairaram sob os holofotes e precisam de quilometragem. Já os levinhos (Demetrious Johnson, Renan Barão, José Aldo, Dominick Cruz…) seguem desprestigiados na terra do Tio Sam. Nenhum deles supera a marca de 350k como protagonista e o UFC on Fox 9, em que Mighty Mouse nocauteou Joseph Benavidez, levou a emissora a recorde negativo de audiência.

Esperanças

BOXENobre Arte

A intenção do caxias Dana White de quebrar o protocolo para realizar a primeira luta de boxe da história do Ultimate prova que o cenário não é dos mais amenos. Pagar milhões para manter Anderson Silva ativo e tirar Roy Jones Jr do sofá virou solução pra ele que, no passado, ridicularizava tal manobra.

 

NICKNick Diaz

950 mil pessoas pagaram para ver o Bad Boy de Stockton em ação do conforto de suas casas contra GSP no UFC 158. Para não botarmos o recorde do ano integralmente na conta do canadense, lembro-lhes que “Rush” x Hendricks vendeu “só” 600 mil PPVs… Entendem por que, desde que se declarou aposentado, o faixa-preta de Cesar Gracie já recebeu três propostas para retornar ao octógono? Em 2014, certamente, outras virão…

TUFTUFs

Se a primeira edição do Ultimate Fighter salvou o UFC da bancarrota, em 2014, o reality show pode dar outra mãozinha nas finanças. Wanderlei Silva x Chael Sonnen e BJ Penn x Frankie Edgar já estão a postos para duas temporadas que prometem dar o que falar. O primeiro duelo, se combinado com Vitor Belfort disputando o cinturão dos médios no Brasil, enche até estádio de futebol…

WMMACyba x Rowdy

Outro arrasa-quarteirão mais ou menos factível envolveria a candidatura da brasileira Cris Cyborg a faquir. Caso a campeã do Invicta decida amputar uma perna para bater 61kg, o duelo com a rainha Ronda Rousey seria, provavelmente, o maior já realizado entre duas damas (desde Maggie Fitzgerald x Billie, a “Ursa Azul”, claro).

Amigos, além de Cain Velásquez x Fabrício Werdum no México, projetam outro casamento não citado batendo a marca de 500K?

Abraços.

  • Malk Suruhito

    Maggie x Billie é inigualável!

  • William Amaral

    Acho que Jones x Gustafsson 2 bate 500K, principalmente pelos que querem ver o campeão perdendo o cinturão.. rs

  • diego rizzo

    Belfort x Silva ou Belfort x Weidman… Jones x Cormier… Aldo x Mendes talvez…

    • Thiago Felix

      Belfort vs. Silva tem muito mais apelo aqui no Brasil do que nos EUA, mas pode sim bater os 500K lá nos States. Belfort vs. Weidman tem pouco apelo comercial e falta uma rivalidade entre os dois. Jones vs. Cormier é uma incógnita, já que o Jon não anda numa fase muito boa de vendas e o Fedor Black ainda precisa mostrar serviço nos meio-pesados. Quando a Aldo vs. Mendes 2, sem chance. Lutas de levinhos, infelizmente, tem pouquíssimo apelo comercial entre os fãs… Nem mesmo Velásquez vs. Werdum eu aposto que consiga, já que o final “épico” da trilogia com o Cigano vendeu meros 330k (pouco considerando a rivalidade dos dois)

  • Diego Parente

    Texto muito bom, parabéns. É, vão ter que segurar Wand por mais um tempo e, pelo visto, AS vai ficar mais arrogante do que já é. GSP fará muita falta ($$) ao UFC.

    Mas um fato me deixa curioso. Qual o sentido de White virar as costas para grandes lutadores do Bellator, por exemplo? Tenho uma hipótese: geralmente, quem vem para o UFC e enfrenta os casca-grossas de lá, não costuma render muito. No caso, tardar a vinda seria uma forma de fazer seus cartéis tornarem-se mais incríveis pra, quando os atuais campeões pararem, trazê-los. Será?

    • Renato Rebelo

      Obrigado, Diegão. Essa questão que vc levantou rende um bom debate. No caso do Hector Lombard, o Dana abriu a carteira. O Eddie Alvarez também foi bem assediado. O Askren é que não conseguiu vaga de jeito nenhum. Será que tb não tem a ver com o estilo de cada um? O Biro Biro é beeeem conservador…

  • FABIO NEVES

    É incrível como GSP vende tanto PPV.
    É inegável que se trata de um puta lutador, porém, passa longe de fazer lutas “agradáveis” ao grande público…( Digo aqueles espectadores eventuais )
    Tento entender até hoje como o cara vende tanto, apesar de reconhecer seu valor!
    Creio que 80% disso deva concentrar-se somente no Canadá.

Tags: ,