Luta do ano: 5 concorrentes para Pezão x Hunt

Renato Rebelo | 11/12/2013 às 03:09
7dez2013---mark-hunt-acerta-cruzado-de-esquerda-no-rosto-de-antonio-pezao-1386397422745_1920x1080

Toma lá, dá cá…

Do momento em que a buzina foi acionada pela quinta vez na luta principal do UFC Fight Night 33 até meu textinho ir ao ar, longas horas se passaram.

Além da minha habitual lentidão para escrever, Mark Hunt e Antônio Pezão tornaram especialmente difícil o trabalho de sintetizar aquela violenta obra de arte.

De forma um tanto imediatista – admito- vendi a vocês o duelo como o melhor entre pesos-pesados da história.

Obviamente, Fedor Emelianenko x Mirko Cro Cop, Rodrigo Minotauro x Randy Couture, Pat Barry x Cheik Kongo (entre outros) foram ignorados em minha rápida reflexão.

Nos últimos dias, pensando melhor, reparei que “Bigfoot” e o “Super Samoan” sequer têm garantido o troféu concedido à luta do ano no “MMA Awards”.

No páreo pela honraria, há, ao menos, outras cinco duplas:

1Michael Chandler x Eddie Alvarez II

Dois dos pesos-leves mais qualificados do planeta chegaram ao limite da capacidade humana em novembro. O mais embasbacante é notar que o ritmo se manteve praticamente o mesmo ao longo de 25 minutos de isometria e após centenas de golpes traumáticos. Display fantástico de técnica e brio que levou o Bellator às manchetes e tirou pelo menos três aninhos de vida de cada.

 

3Diego Sanchez x Gilbert Melendez

Encarar de frente o boxe superior do “El Nino” fez a valentia imensurável do “Sonho” parecer estupidez por dois rounds. Mas o resiliente Sanchez sobreviveu à tempestade e seguiu fungando no cangote do carrasco – que cansou de tanto bater. Por pouco, o ex-”Pesadelo” não tira da cartola uma das viradas mais espetaculares já vistas.

 

2Jon Jones x Alexander Gustafsson

O até então intocável campeão dos meio-pesados sangrou pela primeira vez. Gustavão, viking escandinavo, levou o negão de canela fina ao inferno no UFC 165 e lhe tomou, na mão grande, dois rounds. Se não fosse pelo preparo físico exuberante e os cotovelos pontiagudos, a marmita teria azedado pra Jones. Decisão espremida – mas a “nega” tá madurinha para 2014.

 

4Wanderlei Silva x Brian Stann

Inspirado pelo clima da Saitama Super Arena, Wand se travestiu de “Cachorro Louco” e entrou pra matar ou morrer. Trocando francamente, o curitibano chegou até a dobrar o joelho algumas vezes, mas seu “punch” de peso-pesado levou o ex-militar à lona aos quatro minutos e oito segundos do R2. Lutão que decretou a aposentadoria de Stann e deu sobrevida ao Mr. Pride no Ultimate.

 

5Matt Grice x Dennis Bermudez

Infelizmente, pela ausência de grife, essa dupla voa abaixo do radar da maioria dos fãs. Pra quem não lembra, Bermudez levou um knockdown e terminou o primeiro round na pindaíba. Milagrosamente, o malandro voltou com a catiço pros dois seguintes. O maior mistério, no entanto, é como Grice não sucumbiu a tanto castigo no terceiro. Praticamente apagado em pé, o “Verdadeiro” aterrissou o avião no piloto automático. Guerra encarniçada e memorável…

Menções honrosas: Carlos Condit x Johnny Hendricks, Cat Zingano x Miesha Tate e Demetrious Johnson x John Dodson.

E vocês, amigos, se pudessem escolher apenas uma, qual seria?

Abraços.

Tags: , ,