Atacando de Joe Silva: lutas a casar pós UFC FN 33

Renato Rebelo | 08/12/2013 às 22:48

Com o UFC Fight Night 33 nos livros, chegou a hora desse pretensioso jornaleiro que vos fala vestir o chapéu de “matchmaker”.

Mantendo os pés no chão, dispensando confrontos improváveis e ignorando atletas já comprometidos, cheguei aos seguintes casamentos:

NUM1Antônio Pezão x Mark Hunt II

Não é necessário um cientista nuclear para sugerir a remarcação de uma das melhores lutas da história. Mesmo sem vencedor, Pezão x Hunt tornou-se um clássico instantâneo e tem todos os ingredientes para entregar outro “blockbuster”. Se o jogo de ida foi na Austrália, que tal marcarmos a volta para o Brasil? Luta principal na medida para um dos muitos “Fight Nights” que teremos por aqui em 2014.

NUM2Ryan Bader x Maurício Rua

Gostaria de ver Shogun migrando pro peso-médio – mas sou voto vencido. Seguindo em frente, “Darth” também vem de duas vitórias em quatro lutas, dominou seu oponente na Austrália e está ileso. “No-brainer” considerando o timing (atuaram na mesma noite) e a fama de ambos. No papel, o jogo não casa pro curitibano, mas, até 93kg, não tem muito pra onde se correr. Se não quiser sentir novamente o amargo gosto da derrota, a zona de conforto precisará ser bicada novamente…

NUM3Soa Palelei x Ben Rothwell

Mesmo com uma ou outra atuação abaixo da crítica, verdade seja dita: o “Hulk” não sabe o que é perder desde novembro de 2010. “Big Ben”, que fez as pazes com a vitória em agosto, é ótimo desafio para entendermos onde o faixa-preta australiano realmente se encontra na categoria dos pesadões. Chatear Nikita Krylov até a morte e dominar Pat “No Jiu-Jitsu” Barry no chão, infelizmente, não me diz muito.

NUM4Beth Pitbull x Juliana Penna

A protegida dos irmãos Patricky e Patrício tirou da cartola apenas o necessário para estrear com o pé direito no Ultimate e, de quebra, aposentar a “Bola de Fogo” Julie Kedzie. Com grande margem para evolução, a paraibana poderia testar o brio da “Raposa Venezuelana” – que se destacou no TUF 18 como integrante da equipe de Miesha Tate. Faixa-azul de jiu-jítsu e roxa de kung fu x instrutora de “sikjitsu”. Soa interessante, não?

Alguma ideia do que propor aos derrotados Pat Barry e James Te Huna, amigos?

Abraços.

 

Tags: ,