WSOF: cinco pedras no caminho de Toquinho

Renato Rebelo | 29/11/2013 às 21:01
esporte-ufc-rousimar-toquinho-mike-pierce-20131009-01-size-598

O momento da discórdia no Fight Night 29

Pela impecável primeira atuação como meio-médio e por todo burburinho gerado com sua demissão, Rousimar Palhares entrou em evidência como nunca antes.

Partindo dessa premissa, era elementar que, com o baixar da poeira, contratantes disputariam seus serviços no mercado.

Além do mais, independente da conduta – que pode ser ajustada- Toquinho não está no mesmo barco de 99% dos ex-UFCs que se apresentam por aí.

Falamos de um predador que se repaginou com 77kg, está no auge físico e técnico e molestou um casca-grossa que jamais havia batucado (Mike Pierce).

No total, seis propostas chegaram ao seu empresário, Alex Davis.

Toquinho curtiu mais a do World Series of Fighting – que, curiosamente, havia negado interesse poucas semanas antes.

A opinião do presidente da organização, Ray Sefo, mudou quando o influente Renzo Gracie resolveu comprar publicamente o barulho do compatriota.

Eu estava um pouco indignado no começo, assim como várias pessoas. Mas acho que Renzo explicou isso muito bem e abriu meus olhos. Eu não acho que Palhares é um ser humano ruim e sua capacidade como lutador é inegável. Ele não é uma pessoa ruim ou um atleta sujo, ele não está tentando machucar as pessoas. Estou começando a pensar que ele poderia ser uma boa adição ao nosso time – confessou o kickboxer ao site MMA Junkie.

Agora, Toquinho conta com a exposição do canal americano NBC Sports para provar que lápis têm borrachas e que pode seguir as regras do jogo.

Listo aqui cinco caras que encorpam a categoria (questionavelmente) mais dura da franquia e, cedo ou tarde, devem cruzar o caminho do mineiro de Dores do Indaiá:

CARLSteve Carl
Detentor do cinturão, o jovem de 28 anos conta com cartel expressivo (21 vitórias e três derrotas) e, desde dezembro de 2011, vem passando o carro na rapaziada. Nas sete últimas apresentações, seis rivais batucaram no primeiro round e o outro desistiu no terceiro. Os duríssimos Josh Burkman e Tyson Steel foram as últimas vítimas. Campeão especialista em luta agarrada? Tudo que Toco pediu a Deus…

 

FITCHJon Fitch
O bom e velho moedor de carne da AKA foi apagado na estreia por Burkman, mas, logo em seguida, se recuperou espremendo uma decisão dividida contra o brazuca Marcelo Alfaya. Mesmo já na curva descendente, não é prudente subestimar essa carne de pescoço – que cresce no jogo de isometria. Chances de sobrevivência à chave de calcanhar/joelho: altas.

 

BURKMANJosh Burkman
Após três derrotas consecutivas no Ultimate, o “Guerreiro do Povo” tomou tenência: largou as noitadas, subiu ao altar e internou-se na academia. Desde que a bota de Joe Silva atingiu seu traseiro, o Burkman 2.0 acumula oito vitórias em 10 lutas. A boa fase – encerrada por Carl em outubro- inclui as destruições de Fitch, Aaron Simpson e Gerald Harris.

 

HARRISGerald Harris
O poderoso “Furacão” carrega uma tonelada de experiência. Emergiu na IFL, participou da sétima temporada do TUF, nocauteou três malandros no Ultimate e chegou a dar as caras até no Dream japonês. Além da marreta na mão direita, a pujança lhe torna bem difícil de ser quedado. Ah, Harris também nunca foi finalizado e vem de vitória sobre Jorge Santiago no WSOF 4.

 

FOSTERBrian Foster
Recém-contratado, Foster, a exemplo de Toquinho, deixou o Ultimate com vitória. Em 2010, ele finalizou o “Imortal” Matt Brown na guilhotina – mas teve uma hemorragia cerebral detectada por exames médicos. De lá pra cá, o americano vem batalhando para conseguir permissão pra lutar e o WSOF será sua maior oportunidade. Fome de dez mendigos!

 

Ainda há a possibilidade de Dana White bater o pé e o wrestler olímpico e ex-campeão do Bellator, Ben Askren, parar no caldeirão supracitado.

GPzão fera, hein!?

Abraços.

Tags: ,