Pensando alto: a análise informal do UFC 167

Renato Rebelo | 17/11/2013 às 07:40

No evento que celebrou 20 anos das primeiras peripécias de Royce Gracie no UFC, preliminares mornas, 100% de aproveitamento brasileiro (vitória de Thales Leites sobre Ed Herman) e pano pra uma coleção de mangas.

Sem muita enrolação, vamos à minha sempre confusa análise do card principal:

GSPGeorges St-Pierre x Johny Hendricks

No palpite pré-luta, expliquei meus motivos e cravei: vitória do barba na decisão. Segundo o Fightmetrics, acertei. Sal D’Amato e Tony Weeks, no entanto, canetaram a favor do campeão. Poderia argumentar que os rounds 1, 2 e 4 foram pra Hendricks ou que ele acertou, no total, 142 golpes – e recebeu 125 –, mas, as imagens ao lado, retiradas da coletiva de imprensa pós-luta, advogam por si só a favor do desafiante. Enquanto um parece figurante do seriado “The Walking Dead”, o outro pode dizer à patroa que passou a noite jogando truco com os amigos. GSP, você, definitivamente, conquistou o direito à sombra e água fresca, mas, por favor, passe o UFC 167 a limpo antes de pendurar as luvas.

Isso é uma luta, quem recebeu mais danos? Estou chocado que o GSP ganhou essa luta. E eu sou um promotor e ele é o cara que mais vende pay-per-view pra minha empresa e mesmo assim acho que ele não ganhou. Eu quero justiça e isso não foi justiça. O Johny Hendricks deveria ter a chance de lutar pelo cinturão novamente – vociferou Dana White.

RASHADRashad Evans x Chael Sonnen

No concurso mais sem pé nem cabeça dos últimos tempos, Sonnen acabou no lugar esperado: debaixo das rodas do caminhão, amassado contra o tablado. Estilos fazem lutas e “Suga”, maior e mais atlético, mostrou-se superior justamente no jogo de grade – onde Sonnen costuma se safar. Agora, um vai de gogó murcho pro reality show e o outro, mesmo com três pontos a mais, permanece inerte no ranking. Precisava?

Eu tive um problema significante hoje: lutei com um cara melhor. Fui judiado – admitiu o “Gangster de West Linn”.

LAWLERRobbie Lawler x Rory MacDonald

A movimentação e a noção de distância do jovem canadense são simplesmente exuberantes. Também pudera, o cara treina MMA exclusivamente desde os 14 anos. Acontece que não há ensaio que lhe apronte pra jamanta que o “Ruthless” esconde na canhota. Desde que seu rosto foi atingido em cheio, MacDonald passou a levar o avião no piloto automático. Conseguiu aterrissar, mas cedeu passagem ao rival. O cidadão que voltou ao UFC desacreditado agora, graças à potência que Deus lhe deu, se aproxima perigosamente do cinturão. É você, Mark Hunt?

Se o Georges ficar de fora por um ano, posso lutar por um cinturão interino com o Hendricks e, quando ele voltar, eu bato nele também – desafiou o confiante Lawler.

WOODLEYTyron Woodley x Josh Koshcheck

Das duas uma. Ou o queixo do loirão amoleceu, ou os pegadores Robbie Lawler e Tyron Woodley encontraram Wally. Em outras palavras, o disjuntor foi novamente desligado e a escuridão tomou conta logo na segunda investida do negão. Cagado de urubu ou discípulo de Andrei Arlovski – o rei da absorção de golpes-, Biro Biro chega à terceira derrota consecutiva. Se não fosse pela participação-chave na imprescindível primeira temporada do TUF, diria que o e-mail triste era questão de tempo.

Sabia que tinha que atirar primeiro hoje. Botei toda a minha vida atrás daquele soco e, felizmente, ele caiu – explicou o vencedor.

ALIAli Bagautinov x Timothy Elliott

Bagau é da linhagem que trocou força com animais gentis na infância. Os ursinhos, no entanto, não eram canhotos com envergadura superior em cinco centímetros. Elliott, cheio de guilhotinas e jabs rompedores, vendeu a derrota a preço de Playstation 4 no Brasil. Acontece que, no apagar das luzes, o wrestling e a potência da cria da hostil e gelada região do Daguestão fez a diferença. Russos: duros desde o ventre.

Meu apelido é o “Puncher King” por que gosto de terminar minhas lutas rápido. Mas, como hoje era aniversário de 20 anos do UFC, queria ficar mais tempo no ar. O Arnold Schwarzenegger tava na platéia, queria que ele visse mais minha luta – brincou Ali.

Queria a opinião de vocês sobre Donald Cerrone x Evan Dunham, amigos.

Abraços.

Tags: