Fight 2 Night pode ser um
divisor de águas no MMA nacional

Felipe Paranhos | 12/10/2016 às 20:46

Às vezes acho que muitos de nós, que escrevemos sobre MMA, tendemos demais a ver o copo meio vazio nos assuntos relacionados ao esporte no país.

“Provamos” por A+B que os lutadores do Brasil vivem uma crise técnica, aí vai lá Amanda Nunes e ganha um título improvável.

Escrevemos que o torcedor daqui não vai se interessar por um UFC sem brasileiros campeões, mas cada vez mais se fala de Conor McGregor, de Cris Cyborg e de Michael Bisping por aqui.

Luta principal - a ser transmitida pelo Combate

Evento será transmitido pelo Combate

Usamos estes argumentos para minimizar o nosso mercado de consumidores de MMA, mas surge uma iniciativa como o Fight 2 Night, encabeçada pelo ator e empresário Bruno Gagliasso e pronta para mostrar que estamos errados.

É evidente que, como em todo negócio, o sucesso do evento ainda é incerto — assim como a sua continuidade.

Mas não faltam bons motivos para acreditar numa ótima primeira edição: o fato de que Gagliasso, executivo e principal “cara” do evento, é um apaixonado por MMA; a presença de empresários importantes no marketing e da captação de recursos; o casamento de lutas interessantes e equilibradas; e um show de um grande artista da música brasileira, Marcelo D2.

Além disso, o evento tende a atrair um público que normalmente não vai a eventos nacionais de MMA: aquele que lota bares e boates para assistir às principais lutas do UFC, deixando muito dinheiro nos caixas enquanto torcem, conversam ou paqueram.

Queremos fomentar o esporte, revelando novos talentos, mas, mais do que isso, convidar homens e mulheres a curtir uma verdadeira experiência, que mistura esporte, música e diversão”, Bruno Gagliasso, sócio do Fight 2 Night.

Este grupo de consumidores, cada vez maior, não tem do que reclamar no Fight 2 Night, que investiu em nomes conhecidos ex-Ultimate – como William Patolino, Thiago Silva e Paulo Thiago – sem deixar de apostar em bons lutadores.

A ideia de vender ingressos para as lutas, para a festa ou para os dois também demonstra que investimento e criatividade precisam ser aliados. Sobretudo porque os preços não são exorbitantes: de R$ 75 a R$ 200.

Casal "empresta" sua notoriedade ao MMA

Casal “empresta” sua notoriedade ao MMA

Aproveitando a força das redes sociais, o evento tem feito propaganda massiva a um custo baixo. Só Bruno e sua esposa, Giovanna Ewbank, somam 9,3 milhões de seguidores no Instagram. Claro, muitos deles são as mesmas pessoas, mas é muita gente sendo impactada de maneira espontânea por uma organização de MMA.

Para se ter uma ideia de como a coisa está sendo feita de maneira muito inteligente, experimente colocar #fight2night por lá. É uma enxurrada de propaganda muitíssimo provavelmente de graça, nos perfis de amigos famosos e parceiros do evento.

Por tudo isso, o Fight 2 Night tem tudo para ser — perdão pelo clichê — um divisor de águas no MMA brasileiro.

Se um evento de um esporte de nicho como o MMA conseguir ao menos se pagar mesmo em tempos de crise braba no país, teremos um indício forte de que há, sim, mercado nacional para MMA — ele apenas precisa ser conduzido pelas pessoas certas, para atrair as pessoas certas.

Card completo:

Thiago Silva x Rameau Sokoudjou
Hernani Perpétuo x Karl Amoussou
Cheik Kone x Paulo Thiago
Léo Leite x Danny Mitchell
Lisa Ellis x Virna Jandiroba
William Patolino x Dylan Andrews
Lucas Perizinho x Fabio Nativo
Jhonata Silva x Raul Andrade
Luta amadora a ser anunciada pela organização

  • Felipe Lemes

    seria o Jungle Fight da era moderna surgindo?

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Caramba, e não é que tá um card massa pros padrões brasileiros? Patolino, Thiago Silva, Soukodjou, que coisa não. E o camaronês foi nocauteado no KSW e já vai lutar de novo, esse aí é doidão, pena que não tá mais tão sanguinário hahaha.

    Mas eu espero que realmente seja esse divisor de águas, só de ter um monte de famosos envoltos, além de um show no meio do evento, acho que vai ter mais gente pro show do D2 que pro evento mesmo hahaha, espero que vingue e continue com cards massas.

  • max

    Gagliasso tem um nome forte e pode atrair bons patrocinadores pra esse evento, mas não adianta botar o evento escondido no Combate, seria uma boa fechar parceria com o SporTV ou Fox Sports.
    O card tá excelente, sempre me perguntei o por que de não termos um bom evento internacional, até mesmo mercados mais fracos como o Polonês e o Sul Coreano tem bons eventos de nível internacional.
    Ok, temos Jungle por aqui mas tem muito mismatch, os gringos são meia boca (geralmente Paraguaios haha), acho muito feio o padrão do Jungle. Já viram o cinturão? é bizarro.
    Nos resta torcer para o Fight2Night se estabilizar, o plano deles é de 5 eventos em 2017.

    • RWillians

      Tomara que dê certo, além de poder investir em nomes nacionais e internacionais que estão em eventos menores. A verdade é que qdo o cara sai do UFC se não for para um Bellator ou Wsof, o cara acaba lutando em eventos bem menores, mas q ainda são maiores que o Jungle, talvez o q precise no Brasil seja um evento mais intermediário entre o Jungle e o UFC.

  • bedotRJ

    Com Marcelo D2 de atração musical, o controle de doping recreativo do local deverá ser afrouxado. Talvez o Nick Diaz se interesse pelo evento.

    • Hyuriel Constantino

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

  • Lucas Venagas

    ta quase melhor que o card de sao paulo do ufc

  • Thiago Eugenio

    Vejo com bons olhos o envolvimento de uma celebridade como Bruno Gagliasso em eventos de MMA. Da mesma forma que o UFC se beneficiará por ter grandes personalidades do entretenimento, o F2N tem chances de atrair um público maior pela presença do ator. Quem sabe outros artistas também comprem a ideia e emprestem sua credibilidade e fama para esse e outroa eventos.

    Agora cabe aos fãs hardcore compreender e apoiar a iniciativa. Agir como hater pela simples presença de um artista famoso é no mínimo desinteligente.

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      Penso igual, temos é que apoiar em vez de ficar criticando só por que o cara é ator e tal, se ele gosta de MMA e quer sentir na pele como é ser um cartola do esporte que o faça.

      • Thiago Eugenio

        E vai que ele se torna um Dana White do bem?

        Poderemos ter um evento grande o suficiente pra competir com o UFC pelo menos no mercado interno.

  • Rodrigo Tannuri

    Só digo uma coisa sobre o casal Gagli/Ewba: querido d+!
    O poder do amor é isso aí mesmo S2

  • Renan Oliveira

    Tomara que vingue

  • Gabriel Lourenço

    Iniciativa muito boa do Gagliasso, tá atirando no público certo, montando um card com nomes interessantes até da gringa, e botando um puta nome pra puxar o show do evento. Que dê certo e tenham muitas edições.
    Aliás, já fiz minha parte e comprei o ingresso agorinha.

    • Thiago Tavares dos Santos

      Melhor que o Card do FN de Brasilia….

  • Álvaro

    Torço muito pra que vingue, mas não me animo com dois frangões como Patolino e Paulo Thiago

  • Shotokan Karate

    Vale pra conferir o Thiago Silva o maior desperdicio de talento que já vi em anos que acompanho lutas. Tem tudo pra ser top de divisão mas é derrotado acima de tudo por ele próprio.

  • Fernando Ribeiro

    Será que o Combate vai transmitir?

    • Igor Bittencourt

      Tem o símbolo do Combate ali no cartaz. Acho bem provável.

    • Renato Rebelo

      Sim! Tá na legenda da primeira foto

    • pablomaz

      Vai sim. Falaram num dos programas esses dias. Revista Combate, talvez? Mas vai sim.
      Abs!

  • Hyuriel Constantino

    Opa, será que teremos um rival a altura do Jungle Fight aqui no Brasil? (eu mesmo não conto o Shooto como tal). hehe…

  • Ridelson Medeiros

    – N boto toda essa fé, mas vamos esperar que vingue mesmo…

Tags: , ,