Dana disse não. Logo, precisamos
falar sobre Silva x St. Pierre

João Vitor Xavier | 12/10/2016 às 14:01

Primeiro foi Patrick Côté, meio-médio do UFC, que postou em seu Twitter pessoal um rumor de uma possível superluta entre os ex-campeões Georges St. Pierre e Anderson Silva.

Logo depois, Kalyl, filho do brasileiro, colocou uma foto dos dois em seu Instagram pessoal, com a legenda “mês do Natal deve ser divertido”. E aí, como uma quase confirmação do esperado duelo (risos), o presidente do Ultimate, Dana White, negou qualquer possibilidade de que a luta esteja acertada para o UFC 206, em Toronto, no dia 10 de dezembro.

Sei que muitos falam dessa luta, mas St-Pierre não está nem próximo de retornar. Definitivamente, essa luta não vai acontecer, porque duvido que GSP volte um dia. Ele deixou o esporte estando no topo, sendo um dos maiores lutadores de todos os tempos, mas acho que ele perdeu o sangue nos olhos há tempos”, disse Dana White em entrevista ao ex-lutador Dan Hardy para a emissora inglesa BT Sport.

Adicionando lenha na fogueira está o fato de que, mesmo com a excelente revanche pelo título dos meio-pesados entre o campeão Daniel Cormier e o desafiante Anthony Johnson, ainda não há um main event escolhido para Toronto. Os amigos leitores sabem que poucos duelos são mais importantes que uma luta pelo título. Silva x GSP certamente seria uma dessas…

Luta cogitada há anos...

Luta cogitada há anos…

Já que há mesmo uma possibilidade de a luta finalmente se tornar real, que tal analisarmos se ainda é relevante colocar Anderson e St. Pierre frente a frente?

Assim como aconteceu com os pugilistas Floyd Mayweather e Manny Pacquiao, se essa luta for oficializada, ela terá acontecido muito, muito tarde. O ideal era que os dois tivessem se enfrentado em uma superluta no meio do caminho entre os pesos dos dois (talvez 177,5lbs) quando ambos ainda eram senhores de suas respectivas divisões.

Essa seria, do ponto de vista esportivo e de business, a maior luta da história do MMA. É raro juntar relevância esportiva e de marketing e o UFC deveria ter feito mais para fazer essa luta acontecer.

Na época, se me lembro bem, houve uma tentativa de colocar nos ombros de St. Pierre as falhas nas negociações, quase como se o canadense tivesse medo de enfrentar Anderson. Parece que a narrativa se repete alguns anos depois, com Dana White constantemente reclamando que GSP não quer voltar a lutar e que era interessante para o ex-campeão manter seu nome em evidência.

Por algum motivo, ele gosta de ter seu nome ainda em evidência, dando a entender que vai voltar, e todos os torcedores ficam ansiosos por isso, mas no fim das contas, não acho que ele queira isso”, disparou White, também ao BT Sport.

Não acho que seja o caso. Até porque nas negociações atuais há uma nova variável: a Reebok. No contrato que GSP tem com o UFC, não há a previsão de que ele ganhe apenas 20 mil dólares em patrocínios – sendo que marcas como a Hayabusa, Affliction, NOS, GatoradeUnder Armour já despejaram caminhões de dólares nos bolsos do canadense. Por isso, ainda não há acordo.

UFC compensará a grana dos patrocínios?

UFC compensará a grana dos patrocínios?

Voltando à superluta: sim, acho que seria ainda relevante ver Silva e St. Pierre se degladiando por cinco rounds. Eu me animaria muito para ver uma luta como essa, primeiro porque trata-se de duas lendas do esporte.

Seria excelente vê-los finalmente lutando depois de anos de expectativa. Gostaria muito de ver GSP de volta, por mais que falem que ele já estava na descendente quando deixou o MMA, em 2013, com uma vitória mandrake sobre Johny Hendricks. Por fim, quero ver esse combate porque os estilos dos dois atletas casam muito bem.

Seria um verdadeiro jogo de xadrez, com GSP tentando achar brechas para derrubar Anderson. O canadense, sem vantagem na envergadura, teria problemas para estabelecer seu famoso jab, que abre caminho para quedas e golpes mais duros.

Já o brasileiro, que já se mostrou vulnerável a um jogo de pressão que poderia ser imposto por St. Pierre, também teria que lidar com GSP dominando o centro do octógono e com o vigor físico do ex-campeão meio-médio, que certamente entraria fresco para a luta, mesmo três anos longe do octógono.

Enfim, se vai acontecer ou não, em breve saberemos. Eu, pelo menos, estou na torcida para que essa luta finalmente saia do papel. Mesmo que quatro ou cinco anos tarde demais.

  • Pedro Duarte

    Falei isso no fórum e repito: Quem ganha com essa luta são os verdadeiros fãs de MMA que acompanharam a carreira desses caras na íntegra. Esse duelo pra mim é atemporal e a verdadeira definição de uma superluta. Não só vou ver como pra mim seria a maior luta da história do esporte, ainda que realizada nos dias de hoje. Em tempos de Bisping e McGregor travando categorias cheias de talentos para realizar lutas sem qualquer sentido esportivo, recebo GSP x Silva de braços abertos. Faz acontecer, careca!

    • Lucas Silva

      Só li verdades, bela explanação amigo Pedro.

      • Fezes Do Chacal

        teste

    • Berimbolo

      boa pedrão

    • Wanderson Oliveira

      li altas verduras, comentário excelente

    • Thiago

      Não, na verdade, a luta atemporal e verdadeira definição de superluta que todos queriam ver, seria Silva x Jones. Teria sido uma luta mitológica. Mas, ambos amarelaram. Jones provaria sua superioridade.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Seria ótimo pois ambos pra mim não almejam mais nada, e creio que o GSP levaria sova da galerinha dominante na WW atualmente, se aposentou, tem que ser permanentemente, mas já que pretende voltar, que seja para super lutas mesmo, GSP x Spider seria uma luta que eu veria amarradão e tenho quase certeza que será ME do UFC 206, e acho que o andisso ganha, ele é vulnerável a pressão, mas os principais que submeteram ele a isso foram o Sonnen e o Cormier que são mais “fortinhos”, o GSP é menor que ele, então acho que não rola a pressão.

  • Hyuriel Constantino

    Essa sim é uma superluta de moneyfight que vale a pena casar. Logo essa daí, com toda a lógica do mundo, a beluga milhardária fica regulando.

    É do cacete mesmo…

    Ah, e acho que o GSP não conseguiria quedar o Spider tão fácil. De longe, seria o oponente mais alto e pesado que o canadense iria pegar, e com velocidade que nada deve a um meio-médio. Porém, o brasileiro ia pegar o adversário mais técnico de sua carreira. Difícil imaginar o desfecho dessa bagaça. hehe…

  • fabiojbm

    Esse luta tem uns 10 anos de atraso. Hoje, com o Spider a 4 anos sem vencer ninguém e GSP parado a 3 depois da surra que levou do Hendricks, a luta me interessa muito pouco.

  • lee

    Nunca lutei, entao nao irei opinar. Me sentiria sujo falando sobre algo que precisa muito ter vivido na prática..o dia a dia. Faladores dirão que eu sou uma comédia, mas quem já viveu esse mundo, por mais rápido que tenha sido, sabe que…os faladores passam mal de tanta merda que vomitam pelos dedos.

  • Diego Campachi

    Adoraria ver essa luta em um peso casado e torço para que ela aconteça ainda esse ano, a questão dos patrocinadores deve ter um bom peso nas negociações pois mesmo parado GSP continua patrocinado. Agora esse filho do Anderson já havia postado isso uma outra vez há tempo atrás, ou esse moleque só quer chamar a atenção ou está queimando a largada e empacando com as negociações.

  • magnuseverest

    Espero que aconteça,antes tarde do que nunca.

  • Felipe Lemes
  • Daniel Piva

    Leio muito que era uma luta pra ser marcada há anos…já pensaram se fosse antes de Silva X Weidman e GSP x Hendricks?

  • bedotRJ

    No auge de ambos, eu só via sentido nessa luta se fosse prá valer, com algo relevante em jogo. Mais especificamente o cinturão dos médios. Uma superluta nos mesmos moldes de GSP vs BJ II, na qual o campeão mais pesado ficaria com a vantagem física e o campeão mais leve teria menos a perder, já que permaneceria com a cinta em sua divisão de origem. Um tipo de luta que o UFC só voltará a fazer no UFC NY (Alvarez vs McGregor), mais de 7 anos após aquele distante UFC 94. Não sendo assim, na minha visão, seria um mero “amistoso de luxo”.

    Hoje, sem os dois no auge e sem valer nada de relevante, me parece, a grosso modo, como ver uma partida de tênis entre o Agassi e o Sampras no ano de 2016. É interessante, desperta curiosidade e muita gente vai parar prá ver. Mas está longe de ter qualquer relevância esportiva – o que poderia ser modificado à posteriori, caso o vencedor volte a dominar sua categoria. Em suma: verei, mas não faço a mínima questão dessa luta. Por mim, o Anderson estaria pegando o Tim Kennedy prá avaliar se ainda dá prá voltar ao topo. E o GSP estaria voltando como peso leve, categoria mais adequada ao seu biotipo para os padrões do MMA atual.

  • Ridelson Medeiros

    – Quando alguém procurar o significado de “superluta” no dicionario, certamente é a foto dessa luta que vc vai encontrar la. Quem n gostaria de ver isso?

  • Lorenzo Fertitta

    Lutas muito especuladas, mas que jamais acontecerão: Spider X GSP, JJ X Velasquez, Aldo X Pettis, Ronda X Cyborg, JJ X Spider, Weidman X JJ, Ronda X Joanna.

  • Fezes Do Chacal

    teste teste

Tags: , , ,