Três motivos para não perder o Fight for the Troops 3

Renato Rebelo | 06/11/2013 às 01:24

Desde janeiro de 2011 que o UFC não dá uma moral a militares seriamente lesionados e veteranos de guerra.

Pra quem não sabe, é esse o intuito do “Fight for the Troops”: angariar fundos pra ex-combatentes.

De volta à filantropia, Dana White e sua trupe montaram o octógono mais famoso do mundo no forte Campbell, Kentucky, EUA.

Lá, nenhum popstar vai sangrar, mas alguns bons valores poderão entreter a plateia repleta de milicos.

Sem mais delongas, vamos a três motivos pelos quais vale dixavar a Copa do Brasil e sintonizar no Combate hoje à noite:

SAPOA loteria do Sapo

O olho problemático de Michael Bisping remanejou Lyoto Machida pra Londres e proporcionou a Rafael Natal uma chance de ouro. O mineiro de BH, que recebia estreantes e transeuntes em cards preliminares, fará hoje seu primeiro “main event” no maior palco do mundo. Teoricamente, ele até possui ligeira vantagem no chão e em pé… O pepino é que Tim Kennedy já trocou 25 minutos de lero com Ronaldo Jacaré e outros 15 com Roger Gracie sem batucar – muito menos foi nocauteado pelos assassinos Melvin Manhoef e Robbie Lawler. Missão nada mole para Sapo – ainda mais se tratando de cinco rounds contra um cara que domina o meio-campo e tem gás pra dias de porrada…

RONNYProva de fogo pro Bebezão

Ronny Markes encara a ingrata tarefa de ter que abandonar suas principais virtudes (prensar na grade, quedar e bater por cima). Isso porque do outro lado estará Yoel Romero, um dos wrestlers mais condecorados em atividade no MMA (medalha de prata nas Olimpíadas de Sidney e campeão mundial em 1999 ). O potiguar, bem instruído por Dedé Pederneiras e Jair Lourenço tá ligado que trocar força é inviável: “Quero ir pra dentro, mostrar minha trocação, confiar nela”. Será que ele vai respeitar a estratégia na hora H? E se cair, consegue levantar e/ou tem guarda pra incomodar? A conferir.

KHABILOVO retorno da montanha russa

Rustam Khabilov é aquele manolo que costuma tirar nego pra boneco de pano. Pra quem não tá ligando o nome à pessoa, informo que, no UFC, o “Tigre” possui a assustadora média de 18 quedas por luta. Vinc Pichel, no TUF 16 Finale, apagou após aterrissar de cabeça no chão e Yancy Medeiros, no UFC 159, fraturou o dedão tentando se proteger da queda livre. Dessa vez, o peso-leve russo enfrenta competição bem mais sólida. Falo de Jorge Masvidal, veterano rodado que já saiu na mão com Gilbert Melendez, Paul Daley, Joe Lauzon (…) e manja dos pananauê (atalhos do octógono). Pra encaixar uma série de quatro vitórias consecutivas esperta, o kickboxer da American Top Team terá que afivelar o cinto de segurança – se não quiser ser levado para uma voltinha…Palpites?

Abraços.

Tags: ,